APRESENTAÇÃO

2004 - 2019


    “E acrescentarei aos teus dias quinze anos, e das mãos do rei da Assíria te livrarei, a ti e a esta cidade; e ampararei esta cidade por amor de mim, e por amor de Davi, meu servo.”
- 2 Reis 20

    Aqui entregamos esta Obra, quinze anos depois de vivenciado o Mistério.
    Nada pode ser mais transformador e revelador que a Verdade, que o profundo Mistério Único de toda a Criação.
    Aqui entregamos a primeira e a única Palavra e seu Signo, cujo resultado manifesto é Deus e por consequência sua criação, em outras palavras, todas as coisas conhecidas e desconhecidas.
    Todas as coisas têm um princípio, tudo tem seu molde, sua fórmula. Mesmo os moldes e as fórmulas têm seus próprios moldes e fórmulas básicas.
    Aqui encontramos o molde dos moldes, a chave das chaves, o Princípio dos Princípios.
    O oculto, o escondido, sempre esteve aos olhos de todos, pois está em tudo, ainda assim, nunca foi visto.
    Aqui encontramos a verdade, nua e crua, simples e bela, em sua mais singela e perfeita expressão.
    O que estava oculto, foi revelado e o que estava revelado, será ocultado.
    Aqui encontramos o início e o fim de todas as coisas, nada escapa de si mesmo, de sua origem.
    Isto é o que é, pois assim sempre foi, e assim sempre será.
    Aqui abrimos a porta para que este mistério passe de uma região à outra, e realize o que lhe corresponde realizar hoje, como um prenúncio do Amanhã.

A DESCOBERTA

Tratamos de revelar como e quando, o Símbolo foi descoberto. A trajetória pessoal, as transformações íntimas e a jornada que permitiu o encontro com o Mistério CLXV.

A ORIGEM

O mundo como conhecemos não é a origem, mas o resultado de algo. A realidade que conhecemos, no fundo, é apenas uma sombra de algo Primordial e Divino. Aqui tratamos de revelar à realidade por detrás da realidade, e de onde o Mistério emana.

O SÍMBOLO

A existência depende de dualidade, tudo o que vive tem de morrer, tudo tem o seu oposto e, os opostos sempre geram duas forças de transição. Aqui, relacionamos o Mistério CLXV com a vida e seus mistérios.

O Símbolo CLXV

A Verdade Incomunicável

O Filho de suas Obras


   Antigos textos Ritualísticos Sagrados dizem que a Verdade não pode ser transmitida em um discurso, que cada um deve criá-la, evocá-la, tornando-se assim Filho de suas Obras, um Adepto. Desta forma, fazemos hoje este chamado à Luz, para que cada um, por si mesmo atravesse este umbral do Mistério e torne-se digno de penetrar na morada dos Mistérios e, assim, tornar-se Filho, não apenas do Altíssimo, mas de seus próprios feitos, sua Obra.

Zeus

O Reencarne dos Mistérios

A Semente Universal da Vida


   Hoje tens em suas mãos a Chave Universal Divina, a preciosa dádiva do Altíssimo capaz de criar e de transformar qualquer coisa existente. Hoje tens o poder de penetrar no céu mais elevado e tomar para si o maior Tesouro, fazendo-se Rei, não apenas deste mundo, mas de todas as realidades conhecidas e desconhecidas. Aqui tens a última Verdade, que é a primeira Verdade de toda a criação.

O Livro

    "E vi na destra do que estava assentado sobre o trono um livro escrito por dentro e por fora, selado com sete selos.
    E vi um anjo forte, bradando com grande voz: Quem é digno de abrir o livro e de desatar os seus selos?
    E ninguém no céu, nem na terra, nem debaixo da terra, podia abrir o livro, nem olhar para ele.
    E eu chorava muito, porque ninguém fora achado digno de abrir o livro, nem de o ler, nem de olhar para ele.
    E disse-me um dos anciãos: Não chores; eis aqui o Leão da tribo de Judá, a raiz de Davi, que venceu, para abrir o livro e desatar os seus sete selos.
    E olhei, e eis que estava no meio do trono e dos quatro animais viventes e entre os anciãos um Cordeiro, como havendo sido morto, e tinha sete pontas e sete olhos, que são os sete espíritos de Deus enviados a toda a terra.
    E veio, e tomou o livro da destra do que estava assentado no trono.
    E, havendo tomado o livro, os quatro animais e os vinte e quatro anciãos prostraram-se diante do Cordeiro, tendo todos eles harpas e salvas de ouro cheias de incenso, que são as orações dos santos.
    E cantavam um novo cântico, dizendo: Digno és de tomar o livro, e de abrir os seus selos; porque foste morto, e com o teu sangue nos compraste para Deus de toda a tribo, e língua, e povo, e nação;"

    - Apocalipse 5


MDCLXV