zzzzzzzz

 

Fórum
Diálogos, Perguntas e Respostas
O Caminho da Iniciação

Olá, Gostaria de perguntar uma coisa. Não sei se são perguntas relevantes, porem elas não me abandonam, e como não estou conseguindo dar jeito vou perguntar a vocês, pois gosto do site e acredito que vocês poderão me clarear as idéias. Gostaria de encontrar uma didática para o despertar da consciência. Acredito que a didática deste caminho se encontre no livro "as três montanhas". No entanto, é um livro de difícil compreensão, pois Samael relata o que lhe ocorreu nos mundos internos, e quanto ao mundo exterior? Qual foi o trabalho exato que ele realizou para desencadear a iniciação interna?Um exemplo do que estou falando: O PRIMEIRO GUARDIÃO, sei que é uma experiência astral do iniciado, no entanto, ele acompanha certo trabalho realizado, é exatamente esse trabalho que me interessa saber. Ao meditar sobre o significado dessa experiência relatada pelo mestre, pode-se concluir que ele esta se referindo a OBTER A CAPACIDADE DE AUTO-OBSERVAR ATIVAMENTE O CENTRO EMOCIONAL, é quando nos damos conta da intima profundidade do eu, e nos deparamos com Judas, alem do desdobramento astral seguido do confronto com o guardião. O SEGUNDO GUARDIÃO, relacionado ao aspecto mental, indicando a prática e obtenção da capacidade de auto-observar ativamente os pensamento, e quando nos deparamos com Pilatos, a má mente...etc... Caso exista essa correspondência de práticas com as iniciações, acredito que isso seja muito importante, e por isso lhes escrevo. A certo tempo estou estancado no meu trabalho, pois tão logo inicio uma didática de trabalho, surge outra didática na minha frente, e acabo sem saber o que fazer, as vezes retrocedo, as vezes não. No entanto, sinto que preciso encontrar uma didática que esteja de acordo com as iniciações internas. Nas três montanhas, contando são 33 iniciações, contando com os mistérios menores, assim sendo, se existir práticas correspondentes a cada iniciação, isso seria uma didática onde se poderia ver o caminho do inicio ao fim, sem cometer erros de iniciar práticas no momento errado, ou trabalhar de forma equivocada. Existe isso? existe esta correspondência de práticas com as iniciações? Nunca ouvi o mestre falar sobre isso, ele sempre fala de um modo geral sobre os 3 fatores. Vocês já pensaram nisso?


O Despertar da consciência tem muitos níveis e cada processo, cada etapa é diferente do outro.
A Consciência que temos é limitada por estes processos iniciáticos que ele realmente relata no "As Três Montanhas"... ainda diz em algum de seus livros: "A Consciência de um Anjo nunca será como a de um Arcanjo ou Trono, etc.."
Então mesmo nos graus menores este Despertar realmente está relacionado a Iniciação mas isto nos referimos ao limite.
Existe um LIMITE no despertar em cada processo, mas na maioria das vezes as pessoas passam os processos sem de longe chegar perto a este limite que poderiam exercer suas consciências.

Então são duas coisas distintas que estamos falando.

A Parte física ele não relata, na maioria das vezes, porque são questões particulares e distintas para cada pessoa. Cada um tem seus Karmas e seus dramas a serem vividos e de acordo com características desde o Signo, até o ano que nasceu, a cultura, as existências que teve, o drama se dá de formas tão distintas e tão dinâmicas que não haveria como se relatar algo para cada um destes casos.

O Que desencadeia o processo da Iniciação, é exatamente a luta contra o elemento. Quando lutamos contra nossos vícios físicos, nossos hábitos negativos, damos inicio ao processo do Primeiro Guardião que ocorre no Astral.
Depois disto cada elemento vai nos provar, conforme vamos desenvolvendo o entendimento e o acionando ativamente por nossas ações.
Se buscamos a castidade e a habilidade de nos adaptar as circunstâncias da vida, vem a água e nos prova nisto, nossa adaptabilidade.
Se buscamos o entendimento sobre o que é justo termos, nem mais nem menos que necessitamos, vem a terra e nos prova em nossa segurança e firmeza, principalmente por questões financeiras e familiares.
Assim ocorre o mesmo com o fogo e o ar, isto o Mestre Samael relata em outros livros.
Então ainda há uma série de provas até o processo dos outros guardiões.

Existe até mesmo uma Prova de Jó (Oitava Iniciação de Mistérios Menores), aonde vivemos o sofrimento e as amarguras tal qual descritas neste livro...

O Trabalho para desencadear os processos é a luta pela compreensão e a eliminação deste domínio que tem estes elementos sobre nós. Ao tentarmos nos liberar do guardião do umbral, por exemplo, se desencadeia o processo.
Ao eliminar o vício negativo que temos em estar toda hora vivendo fora do momento, dando atenção e livre pensamento a estes eus que fornicam em nossa mente, iniciamos a prova do Ar.
Claro que há uma ordem e vamos internamente sendo impulsionados a resolver tal ou qual situação da vida.

Exato, se vencemos o primeiro guardião, nos separamos dele, e de seu domínio, por consequência já adquirimos a capacidade de nos auto-observarmos. A Verdadeira capacidade de auto-observação, ainda depende da purificação por meio dos elementos, então é algo que vai acontecer depois da quinta iniciação de mistérios menores, que é quando encarnamos a porcentagem de consciência que temos livre, o Budhata (como é chamado).
Mas não é apenas a auto-observação emocional, mas também mental, instintiva, sexual, motora... As provas destes guardiões são uma liberação maior, imagine que são paredes que derrubamos em cada uma destas regiões e que nos permitem realmente em vez de escravos, sermos amos e senhores de nós mesmos nestas distintas regiões interiores.

Porque para inicio de conversa, seria impossível eliminar qualquer defeito, se não o estudamos, se não o observamos em nossos pensamentos, sentimentos e obra. Então vemos que de certa maneira isto já ocorre antes mesmo até da prova do guardião do umbral.

Infelizmente no físico não podemos muitas vezes dar uma orientação objetiva e concreta neste sentido, primeiro porque já é difícil reconhecer o nosso próprio caminho, que dirá ditar o caminho dos demais.
Além disto o único que pode nos salvar e nos guiar é nosso Real Ser, então é principalmente por isto que não falamos mais claro e mais objetivamente muitas vezes.

Se te descrevesse o que é o processo físico de uma oitava iniciação de mistérios menores, por exemplo, você poderia imitar meramente o fato físico e contudo não ter vivido o processo, porque foi algo sem alma, sem guiatura interna, sem ter feito pelos motivos e no momento do espírito.

Então entendo sua confusão e até este sentir de estancamento. Mas precisamos realmente meditar, orar e buscar este sentir que vem de nossa Consciência e de nosso Ser, exatamente para saber o que fazer a cada momento do caminho.
No físico existem Instituições Gnósticas que auxiliam na questão de prover meios de gerar estes processos iniciáticos. Inclusive, apesar de não falarmos sobre isto, fica o fato de que é quase observável no trabalho institucional destas pessoas, a vivência destes processos iniciáticos.
http://www.clxv.org/links.htm

Existe sim uma correspondência de práticas com as iniciações, principalmente e acima de tudo nas iniciações maiores aonde cada vértebra exige uma virtude e uma sabedoria a ser encarnada.
Mas mesmo no inicio do trabalho, cada parte autônoma deve ser resgatada e reintegrada como uma unidade dentro de nós.

Este trabalho que fazemos de iniciação, de reintegração com o Ser, é o mesmo que ocorre no drama que o Cristo viveu fisicamente.
Necessitamos por exemplo encontrar e desenvolver os Apóstolos dentro de nós mesmos, então quando isto tiver ocorrido e o Cristo já seja adulto dentro de nós, podemos viver o drama físico e real do que são as Iniciações Maiores.
www.clxv.org/textos/clxv/texto.religiao.06.htm

Quanto ao Despertar da Consciência, é algo distinto ao processo iniciático. Uma pessoa pode estar trilhando a iniciação, e pode não estar morrendo em seus defeitos e nem despertando consciência.
A Iniciação precisa ser executada juntamente com o trabalho de eliminação dos defeitos e de reintegração e vitalização de cada uma destas essências, como consciência.

A Consciência se expressa como ações e impulsos espirituais que nos levam a fazer ações em nome do Espírito.
É como você sentir a vontade de sair de casa com uma garrafa de água e indo em seu caminho encontrar quem tem sede.
A Consciência é uma força e um poder que transcende as percepções de nossos sentidos físicos e por isto pode nos guiar a feitos e a ações em prol deste trabalho por nós mesmos e pelos demais, que necessitam.

Os Três Fatores de Revolução da Consciência são a base do trabalho. Quem compreenda e execute eles perfeitamente, estará inevitavelmente trilhando a Iniciação, morrendo e sacrificando-se pela humanidade. Porque são três níveis de um mesmo Despertar da Consciência.

Porque retiramos a essência de nossos defeitos com a morte, a dotamos de energia com a transmutação e a damos livre expressão por meio do sacrifício pela humanidade.


05/02/13