zzzzzzzz

 

Fórum
Diálogos, Perguntas e Respostas
Reprimir ou Analisar um defeito

Observei mesmo que certos elementos tentam "tomar a dianteira" em ocasiões especificas, mas que recuam diante do estado de presença. Apenas observá-los já faz com que aquilo não atue e não nos prenda em mais amarras. Entretanto, observo elementos que nunca expressei nessa existência, querendo atuar, e é uma sensação bizarra, porque é aí que é possível SENTIR de verdade, que não somos o Ego... que há mesmo essa energia viva nos aprisionando e pensando (e falando também) dentro de nos. Nesse caso, como se trata de algo que nunca me veio nessa vida, fico mesmo em duvida se eu apenas de jogar Luz e estar presente é o suficiente, entende? Alguns aspectos são fortes, e essa fase que o planeta passa, esse Kali Yuga ferve muitas coisas, e como você disse o fogo não é inesgotável. Alias, até sinto que fases de depuração (aquelas nas quais vem uma coisa atrás da outra) me deixam exausta, que morrer cansa de uma maneira energética, mesmo... Enfim... É o que você disse mesmo, se é algo recém criado ou um defeito que já existe ha algum tempo... Ahhhhhh, me diga uma coisa, que é algo que surgiu numa conversa com amigas... Como saber a sutil diferença entre reprimir um defeito e analisá-lo? Pode parecer uma pergunta boba, mas só hoje vejo que fazemos isso porque não sabemos lidar com algumas coisas, que naturalmente sabemos serem nocivas, e muitas vezes, são elementos fortes...


Há muitos defeitos que temos em partes realmente subconscientes e que dizem os Mestres as vezes atuam uma única vez na existência, por isto temos de estar muito "alertas" para estes impulsos que possam surgir. Não é porque não manifestamos algo que não temos. Há muitos defeitos que temos polarizados ao inverso, não cometemos o delito mas julgamos quem comete e é um passo neste caso para que cometamos pois o agregado se alimenta desta oposição e logo passa a afirmar.

Também dizem os Mestres que há forças que muitas vezes entram nas pessoas, que lhe impulsionam a atos negativos, isto hoje são influências tanto de outras pessoas, da sociedade, até emanações do abismo que hoje tomam conta de nossa atmosfera. Se esta força é algo que temos compreensão, temos que exercer a vontade para que não se manifeste, isto não é negar o que deseja a entidade (o ego), mas retirar o que é o impulso natural e o que seja a bestialidade que ele propõe. Claro que quase sempre estas aparições exigem uma compreensão extra, pois cada atuação, cada impulso vem de maneira diferente e sob um aspecto diferente. Um mesmo ego poderia nos enganar e se manifestar de diferentes maneiras, por isto temos que estar sempre reflexivos e observando o nosso interior.

Nossa vida é limitada e a energia que temos é limitada tanto que quando acabe a energia dos centros, termina a existência. E esta exaustão que você sente ao buscar realizar a Obra (seja matando o ego, sacrificando-se, nascendo) é o que permite com que se conquiste esta Vida Eterna que ainda que não seja uma permanente presença biológica é uma existência perene por meio da Alma integrada com o Íntimo.
Então é uma escolha do que fazemos com nossa energia, se vivemos em egoísmo ou pelos demais, se vivemos pela luz ou pelas trevas.

A Compreensão do defeito se dá por meio da consciência, a repressão é simplesmente um antagonismo uma oposição, uma luta.
Não me parece boba a pergunta mas profunda porque demonstra que percebe que as vezes acreditamos compreender mas não compreendemos realmente.
Enquanto a compreensão traz paz, tranquilidade, sabedoria, amor, pois nos colocamos em harmonia, a repressão gera angústia, gera conflitos, dúvidas e aumenta o ego pois pela repressão ele se fortalece.
Pode notar que quando uma pessoa conhece a Gnosis ela normalmente costuma ser uma pessoa "normal", mas ao tomar conhecimento destes mistérios, ao entender o funcionalismo do Ego ou ela torna-se um Anjo ou um Demônio, exatamente porque ou ela compreende e com isto elimina aquilo que não corresponde ou faz uma oposição ao mal e desta oposição ele cresce e se fortalece.
É como no caso sexual de quem quer ser casto, como não há a compreensão no começo e sim esta repressão, acaba que a pessoa tem poluções noturnas e até mais dificuldade do que quando não conhecia o caminho.
Aí vemos quem tem ou não tem a dita compreensão...

E não basta só ter compreensão, mas saber manter um mesmo estado de consciência, manter-se naquele estado que dizem os Mestres de "alerta e vigilante" pois se deixamos esta compreensão se retirar por algum momento, pode que aquele enfraquecido elemento retorne a vida e cresça até mais que antes.

11/12/13