zzzzzzzz

 

CLXV
Textos sobre Alquimia
Prova da Água, Prova de Irene e A Enterradora

Os Relacionamentos por si só, já são situações complexas e difíceis o suficiente para enumerarmos tantos mistérios que certamente mesmo se somada todas as existências e vivências, seria impossível decifrá-los todos, e mesmo vivenciá-los.

O Amor é algo que com certeza poucas pessoas conhecem ou sentiram, ainda que muitos clamem o amor em sua poesia, em sua música, em suas ações.
Certamente há muitos tipos de amor, e há relacionamentos que são sustentados por diferentes aspectos do próprio amor, ou mesmo por outros valores superiores ou inferiores.

O Grande responsável pelos fracassos amorosos, pelas tragédias e pelas tristezas nos relacionamentos, é sempre a amarga colheita daquilo que semeamos ao longo das eras.
É realmente impossível falar de relacionamentos, do amor, e da falta dele, sem falarmos do Karma, das ações, e por óbvio, das consequências de nossas ações.

Quem nunca experimentou ou encontrou o verdadeiro Amor, certamente imagina que o que sente é amor, e há também aqueles que pressentem o que seja a natureza do Amor e que realmente reconhecem nunca o encontraram, ainda que estejam em um relacionamento romântico e vivam bem disto.

A Obra como um todo é bem sabemos uma criação, e toda criação fundamenta-se no aspecto sexual. Naquilo que os antigos chamavam de Alquimia.
Claro nesta Alquimia, encontramos a purificação destes elementos, também a extração de certos valores, o que no fundo são os outros dois Fatores de Revolução da Consciência.

Sendo a Iniciação sexual, é claro que a Obra acaba por estar fundamentada nas atividades e nas pausas sexuais. Algo que claro é muito distante daquilo que em geral as pessoas realizam em suas vidas, devido claro ao padrão atual estabelecido e aos conceitos equivocados da sociedade.


Existem três processos muito bem marcados na vida do Iniciado, os quais surgem sempre como um "Triângulo Fatal", que claro tem seu passo muito bem marcado em certas etapas que vive cada Iniciado.
Já dissemos muitas vezes, e se faz necessário repetir, que a Iniciação é algo que vivenciamos ao longo de diversas existências, e por vezes acabamos submetidos a processos que não esperamos, exatamente porque não nos julgamos em tais etapas iniciáticas, o que em alguns casos não é verdade, já que as Iniciações bem sabemos são do Íntimo e este passa pelas mesmas por meio de seu Bodhisatvva (a Alma Humana encarnada).

Temos de entender que tanto a Prova da Água, como a Prova de Irene, são processos que em geral se repetem muitas vezes, e mesmo quando não se tenha corpo físico, podemos estar sendo submetidos, dizem alguns Mestres. Claro que se contabiliza uma Prova da Água, e uma Prova de Irene, ainda que isto se repita em instâncias menores já que é uma perfeição que vai tendo-se ao repetir os mesmos processos com mais consciência (mesmo que estes se apresentem com menor intensidade).

A Prova da Água, é um processo relacionado à Luxúria, ou seja, uma das Cinco provações de Iniciações menores, aonde o indivíduo vê-se apaixonado por outras mulheres que não a sua, ou por alguém que não lhe corresponde, por assim dizer.
Obviamente a solução desta prova é não ceder a estes instintos bestiais que assolam o Iniciado ao longo destes processos.

A Prova de Irene, é um processo um pouco mais complicado, isto porque o homem tem uma vida marital com uma mulher, e se apresenta outra dama, a qual este igualmente sente este mesmo impulso, este mesmo amor que há entre marido e mulher.
Isto claro é o resultado da própria fornicação e do adultério ao longo das existências, que gera esta terrível recorrência aonde estando bem estabelecido um matrimônio, surge um terceiro personagem que sente-se igual valor afetivo, tal como houve em outras épocas.
Assim um relacionamento estabelecido se desfaz para que outro seja criado, e em outra existência estes últimos dois se encontram e logo aquela primeira desprezada surge mais uma vez para unir-se com o par perdido, gerando assim um ciclo de revoluções negativas, também de dores e de crimes contra a natureza.
Este processo se rompe obviamente conforme fazemos o Trabalho Psicológico, conforme nos conformamos com nossas escolhas e aceitamos o Karma ao qual estamos submetidos, já que são relacionamentos sempre difíceis estes Karmicos, mas que são processos que temos de vivenciar, até que esteja paga esta dívida.

A Enterradora, é um processo realmente avançado do caminho, se dá na Alta Iniciação, e somente ocorre depois que o Iniciado pagou seu Karma.
Muitas pessoas naquele processo anterior, na Prova de Irene, trocaram o par, ou mesmo abandonaram um relacionamento defeituoso e acabaram submetidos ao mesmo processo, ainda que com um novo parceiro, isto porque o Karma é o Karma, Divida é Dívida, e isto inevitavelmente é cobrado, indiferente dos Personagens que se acerquem de nossa vida.
A Enterradora é como diz o nome, aquela que "enterra" o Iniciado. É a última taça que há de beber o Cristo antes de ir ao Santo Sepulcro e seguir sua jornada mais além dos trabalhos Alquímicos.
Isto ocorre porque a esposa do Iniciado, devido aos Karmas da Fornicação, passa por processos de esfriamento terríveis ou mesmo da impossibilidade da prática sexual, o que resulta no óbvio estancamento do Iniciado.

Com o tempo, com o sofrimento, e com o Íntimo pagando pelos pecados da Alma (pois este fica estancado em seus processos), surge então este personagem que os Mestres denominam "Enterradora", a qual encontra neste o Amor, e ele nela, assim finalizando estes processos finais da Obra, e certamente quando o Destino é favorável, vivem um pleno Matrimônio Perfeito.
Este último, este processo da Enterradora, claro é uma pequeníssima exceção, nos casos matrimoniais, e certamente um Julgo da Lei Divina, que encerra um ciclo de sofrimento e de estancamento, proporcional ao crime cometido no aspecto sexual pelo iniciado.

Dias atrás postamos um Vídeo aonde era exposta a Peça Turandot, e ali certamente vemos isto, este último caso, este processo final da Obra de um Iniciado, e estes terríveis processos aonde a Lei dá seu Veredito e estes atendem ou arcam com as consequências.


E reforçamos que este último não acontece sem claros sinais da Terra e do Céu, pois é um Advento Sagrado.

01/11/16