CLXV
Textos sobre Antropologia
A História de Jesus Cristo

Hoje comemoramos o Natal, o Natal é a comemoração do nascimento do Cristo... Para a humanidade é a comemoração do Nascimento de Jesus Cristo, um homem que desempenhou um grande papel para a aliança entre Deus e o Homem, para os Gnósticos o natal é o nascimento do Cristo dentro de Jesus, isto é exatamente o momento que o homem já adulto Jesus recebeu a força Crística.

O Cristo sempre nasce dentro do homem como uma criança, precisa assim como uma criança de todos aqueles processos de aprendizado do mundo e de tempo para se ambientar e claro crescer dentro do homem. Jesus, o Mestre Jesus, que há mais de dois mil anos encarnou o cristo e viveu todos estes processos que hoje comemoramos no natal foi certamente quem viveu o processo mais doloroso e significativo para a Humanidade. No entanto cabe aqui ressaltar que muitos outros foram cristificados em maior ou menor grau e que a Cristificação pode ocorrer de diversas formas e não apenas como viveu Jesus em sua época.

Os Veneráveis Mestres Samael e Lakhsmi igualmente foram Cristificados e viveram estes processos de forma muito intensa e fisicamente, há outros Mestres que receberam sua Cristificação no Astral, outros no Mental e outros no mais alto, no entanto receberam a Cristificação.

Aqui cabe ressaltar que a Cristificação não é apenas uma Iniciação que os Mestres que alcançam a Terceira Iniciação de Mistérios Maiores recebem, senão que é um processo que pode ocorrer em outros momentos e de forma distinta. Os Estudantes mais antigos muitas vezes se vem pegos a moldes muitos formais dos processos Iniciáticos e não conseguem compreender a maleabilidade e a diversidade da forma como ocorrem estes processos. Hoje em dia temos muitos Deuses, Mestres, Anjos, Arcanjos e muitas divinas criaturas encarnadas em um veículo físico na Terra, experimentam de alguma forma a dor do mundo e vivem seus processos de aprendizado e iniciáticos. Há muitos destes seres que acabam por dedicar uma vida inteira a viver apenas uma iniciação ou apenas um único processo que lhes é necessário passar.
O Próprio Mestre Samael e o Mestre Lakhsmi já relataram que há alguns Mestres sim caídos que não querem realizar uma Obra, outros que não lhes cabe realizar no momento porque sua participação não corresponde ao momento atual, senão que cumprem com outras tarefas mas sem Missões específicas senão algumas participações para poderem se preparar para quem sabe algum processo em uma futura Raça. Há Mestres que hoje tem corpo físico que já realizaram suas funções em anteriores raças e que hoje se fazem presentes para aprendizado deste momento que vivemos.

Jesus foi sim um Mestre que viveu e teve corpo físico e que claro passou pela Cristificação, mas Jesus são muitos homens e muitas mulheres que definitivamente viveram este processo em suas vidas, são aqueles que realizaram este mesmo Pacto de salvação com Deus e conseguiram em si gestar o Cristo e que crescendo apesar das dificuldades impostas pelo mundo, viveu e cumpriu com seu papel para com a humanidade, foi crucificado, morreu e renasceu.
O Cristo não morre porque é fraco, ele não morre porque não é capaz de lutar, ele morre exatamente porque é mais forte que tudo e que todos e em sua força e sabedoria, dá seu ensinamento e se retira, para que cada pessoa que entenda sua mensagem possa fazer o mesmo.

Não são todos que buscam a Verdade que acabam por conseguir o nascimento do Cristo em si, claro exige muito esforço, destes que gestam o Cristo, muito poucos conseguem chegar a idade adulta, destes que chegam a idade adulta, raros, muito raros conseguem se Cristificar. Muitos processos iniciáticos se fazem vendados, sem saber o que lhe aguarda, mas a Cristificação é sempre um processo Consciente, a Dor que se vai viver e o drama sempre são conhecidos antecipadamente por aquele que vai vivenciar tal processo.
A Principal dificuldade do Homem em se Cristificar é exatamente que ele sabe o que vai ocorrer e ele sabe o que fazer para evitar, o Cristo em si tem a força e poder para evitar sua cristificação e sua morte, mas por seu compromisso com Deus, pelo seu pacto divino, deve cumprir com a vontade do Pai.

Não podemos pensar na Cristificação como um processo estático e sempre idêntico na vida de cada homem ou mulher, a Cristificação ocorre muitas vezes em silêncio e em meio a multidões que apesar de colaborarem e serem muitas vezes os causadores desta Cristificação, nem sequer se dão conta do ocorrido. Ao meu ver o Natal é uma bela data, mas a Páscoa é exatamente a culminação das festividades Religiosas, pois encerra em si e conclusão deste processo que se iniciou no Natal.

Eis a história de Jesus:

José é o homem, Jesus é o Homem quando o Cristo está nele. O Cristo nasceu em José e passou a ser Jesus, ele era uma criança porque como Jesus José precisou esquecer seus velhos costumes e nascer de novo para que o Cristo crescesse dentro dele e por fim que existisse apenas o Cristo.
O Cristo cresce em Jesus e conforme cresce vive uma vida praticamente normal, até porque há sempre a profecia de que o salvador retornaria e sempre retorna e as autoridades com medo de perderem seu poder o matariam enquanto estava se desenvolvendo, ainda quando criança. É triste compreender isto mas aqueles que buscam o Cristo que o seguem que o aguardam são os mesmos que quando este retorna o matam e o crucificam.

O Cristo sempre é tentado pelo opositor da Divindade que claro faz seu serviço de tentar o Cristo segundo as orientações do próprio Deus vivo. Entendam que Satanás ou o nome que possam dar a ele, cumpre com a tarefa de testar o nível de Cristificação de Jesus para que ele realmente possa cumprir com esta Missão que lhe foi encomendada por Deus. Satanás não é mais que um servo e com toda certeza é bem recompensado por seu trabalho.
As principais provações ao Cristo se iniciam quando seu Pai remove sua proteção e este se lança a vida pública e a sua Missão.
Jesus divulga sua mensagem que na verdade é a palavra de seu Pai, claro que isto chama atenção das autoridades de sua época que sempre tem seus moldes e temem perder seu poder. Alguns temem perder seu Reinado, outros seu poder sobre o Povo, alguns temem a Cézar e claro é a mensagem e os prodígios de Jesus que desencadeiam estas dores nestes senhores.

Jesus conseguiu muitas pessoas que acreditavam verdadeiramente em sua mensagem e que compreendiam que ele era alguém especial, o Cristo não precisa fazer grandes prodígios para comprovar quem é, senão que com sua sinceridade e simplicidade é capaz de tocar fundo o coração dos demais Homens de boa fé.
É interessante que Jesus acreditava que sua palavra era apenas para parte do povo e não para toda a humanidade, durante determinado processo ele acaba por entender que sua mensagem é algo que influenciará não apenas a casa de Israel mas o mundo como um todo.
Dentre os prodígios de Jesus, ele foi capaz de fazer andar coxos, curar possessos e muitos outros ferimentos no corpo e na Alma. Sua preocupação nunca foi alimentar o corpo mas a Alma daquelas pessoas, principalmente porque o corpo sempre terá seu fim, mas a Alma tem que seguir seu caminho.

Jesus teve seus preferidos e claro deu a eles certos conhecimentos e atributos como os que tinha para que pudessem espalhar a mensagem e realizar os mesmos prodígios.


O que se sucede de mais importante na história do Cristo se dá exatamente no final da sua história terrena, quando durante um ritual diz a seu Judas: "O que tiver que fazer, faça logo", Judas com um sorriso no rosto e já em pé foi e fez o que tinha que fazer.
Jesus ora a seu Pai e pede que se for possivel, que se houver outra forma de cumprir com o que lhe é pedido, que se dê de outra forma, mas claro que não se faça a vontade dele, Jesus, senão de seu Pai.
Claro que Jesus compreende o pedido de seu Pai e entende que a Cristificação é o caminho a seguir, e faz como seu Pai pede.
O Cristo Jesus então é preso (não pode mais se dirigir ao povo nem entregar sua mensagem), ele é preso exatamente por acreditarem que ele se auto-proclamou Rei, que está incitando uma rebelião contra os Sacerdotes e que seus supostos seguidores poderiam se rebelar e seguir Jesus em uma revolta que causaria imenso dano a Roma e a Igreja.
A Posição de Igreja é clara frente a Jesus: "É melhor que só um homem morra pelo bem do povo", triste é que são os próprios religiosos que ensinam ou tentam ensinar o caminho do Cristo que querem matar o Cristo.

Muitos mesmo dentro da Igreja foram a favor de Jesus, até porque porque muitos foram testemunhas de seu prodígio e pelo menos um estava lá quando Jesus trouxe Lazaro de volta a vida. Viram que Jesus era realmente especial, para não dizer o Filho de Deus.
Mas como Jesus ameaçava com sua palavra, com a palavra de seu Pai, ele traz um certo incomodo que acaba sendo interpretado como uma ameaça a Paz daquela estagnação institucional da época.

O Diabo tem sua palavra final com Jesus dizendo que seu trabalho será em vão e que Israel e o mundo continuarão o mesmo e com o tempo piorarão e haverão guerras inclusive em seu nome e em nome de sua mensagem. Satanás afirma que se Jesus orar a seu Pai e pedir para não passar por aquilo, Deus não o faria passar por tudo aquilo. Mas Jesus cumpriu com os designeos de seu Pai.

Com a prisão de Jesus seus discípulos acabam ficando abalados e Pedro chegou a negar o Cristo por três vezes em uma única noite.
Em Julgamento Jesus é acusado de dizer ser o Filho de Deus, os sacerdotes se preocupam porque diziam ser o dever deles proteger o templo dos falsos profetas. Os Sacerdotes temem Jesus porque suas palavras são verdade e o povo o ouve.
Jesus não culpa o povo, seus discípulos ou os Apóstolos por não irem em sua defesa, até porque ele tinha que passar por tudo isto. Tanto Judas como Pedro precisavam fazer o que tinham feito para que o drama acontecesse.
o Sumo Sacerdote Caifás leva Jesus para que o Governador Pilatos o julgue sob a acusação de blasfêmia que seria punível com a morte e por supostamente se proclamar Rei. Pilatos diz para Caifás o julgar de acordo com sua lei mas como a sentença de morte só poderia ser autorizada pelo Governador, Caifás pedia a sentença. Jesus ao ser questionado por Caifás se ele auto proclamava Rei ele respondeu que seu reino não era deste mundo, senão seus discípulos estariam lutando.
Pilatos não pode tomar sua decisão e ao tentar devolver a responsabilidade a Caifás, ouve não compreendem o porque de não dar a sentença se Jesus está corrompendo o povo com os ensinamentos que ele diz serem de seu Pai. Como ele era da Galiléia, Pilatos o manda para que Herodes dê a sentença.

O Rei Herodes se vê maravilhado pela presença de Jesus, inclusive o compara com Batista e diz que Jesus foi superior até mesmo a João Batista por seus poderes, conhecimento e prodígios. Herodes o questiona sobre a suposta rebelião contra Roma e sua suposta auto-coroação como Rei dos Judeus. Herodes não compreende como Jesus aquele homem comum poderia ser o Rei dos Judeus, este pobre rapaz vindo de Nazaré.
O Rei Herodes não viu culpa e o considerou louco, assim como um falso profeta, não era uma ameaça ao Rei por isto foi mais uma vez levado a Pilatos.
Jesus recebeu inúmeras acusações frente a Pilatos, e por supostamente estar desvirtuando o povo Pilatos expõe as acusações ao Cristo e por ser Páscoa Pilatos diz libertará um dos Prisioneiros. Ao povo coube escolher entre Jesus e Barrabás, como Barrabás apesar de ladrão foi diferente de Jesus alguém que lutou pelo sistema não pela verdade, o povo optou por Barrabás por estarem instigados por Caifás.
Jesus foi açoitado e Barrabás Libertado. Jesus recebeu sua coroa de espinhos enquanto Pilatos lava suas mãos e dá a ordem para que Crucifiquem o Cristo Jesus. Jesus dolorosamente segue para o Gólgota com sua cruz sobre o Ombro, cai mas é ajudado a levantar seguindo seu Destino.
Um dos motivos de Judas entregar Jesus às autoridades foi para instigar o povo contra os Sacerdotes e para que Jesus liberasse uma revolução, mas claro isto não era o que o Pai esperava de Jesus.

Jesus é Crucificado e claro perdoa todas aquelas pessoas envolvidas, pois o fazem pela inconsciência e claro pelo drama Crístico. Realmente a vivência da Crucifixão e a dor pelo qual o Cristo passa é indescritivel, o ao emitir as sagradas palavras de sentido esotérico sente uma dor indizível. "Pai, porque me abandonastes"...
Ao lado de Jesus foram crucificados junto a ele dois Ladrões assim como era Barrabás. Dimas e Gestas eram seus nomes; Gestas o mau ladrão causou a morte de muitos, os matava com a Espada ou os deixava nus, sempre foi muito cruel.
Crucificados, o mau ladrão diz a Jesus: "Se és o messias, salva a ti e a nós". Gestas intervem e diz a Dimas: "A Nós se fez justiça pois pagamos pelos nossos pecados, mas veja este que sofre sem ter culpa". Gestas ainda diz a Jesus: "Quando estiveres em teu reino, lembra de mim" e Jesus responde a Gestas: "Te asseguro que ainda hoje estarás comigo no paraíso".

O Cristo morre, é sepultado, renasce e retorna a casa de seu Pai, aonde estava antes de tudo ter começado. "O Cristo brilha por um instante e logo desaparece em meio a multidão".

Até aqui fica o relato de uma visão da história de Jesus, a ordem de muitos detalhes nem sempre ocorre na forma que temos relatado, muitas outras coisas importantes aconteceram mas fica o testemunho da história, sem maiores complicações.

Não desejo que o Cristo nasça no coração de todos os homens, mas anelo profundamente que naqueles que o Cristo nasça, que possam levar até o fim o compromisso com seu Deus. Feliz Natal e principalmente uma Feliz Páscoa!

25/12/10