zzzzzzzz

 

CLXV
Textos sobre Antropologia
[CLXV] A Serpente Emplumada

Podemos dizer que bem compreendemos os Mestres quando dizem que muitos dos ensinamentos que nos entregam é o equivalente a jogar margaridas aos porcos.

Mas como também dizem estes mesmos Mestres, não se vê escolha senão entregar alguns destes ensinamentos, porque a humanidade dá muitas vezes claros lampejos de arrependimento e de esforço para integrar-se com o Espírito.
Na verdade a humanidade, como um todo, sabemos está perdida, mas ainda assim, há remédios e remédios, e esperamos que alguns destes ensinamentos sirvam como remédios para alguns destes males que sofre a humanidade.

A Serpente Emplumada é um destes exemplos tão primordiais e únicos da sabedoria gnóstica.
A Serpente emplumada é a junção da Águia e da Serpente, é o resultado de quando o Espírito devora o Homem já revestido de seu corpo interno solarizado por meio do fogo sexual.
Quetzal é o pássaro, Coatl é a serpente. Quetzalcoatl é o Pássaro-Serpente, a Serpente Emplumada.

O Homem deve ser devorado pelo fogo da serpente, logo tragado pela luz da Águia-Espírito, assim é como surge o Pássaro-Serpente.

Se observarmos o Símbolo CLXV, o IAO (180) é a serpente, é a bengala, o cajado, a alavanca a qual sob o apoio sexual podemos mover o mundo.
O “0” é o cóccix, a base; o “1” é o cérebro, o cálice; o "8" são os três condutos por onde a energia ascende.

Quando a energia sexual chega à altura do coração, surgem então as Asas Ígneas do Caduceu de Mercúrio, estes são simbolizados no Símbolo CLXV pelo 69.
O Símbolo CLXV é Quetzalcoatl. A Integração da Luz com o Fogo, do Pássaro Divino, com a Serpente.

Se observamos a figura na qual está representada Quetzalcoatl, veremos em sua mão direita (do ponto de vista de Quetzalcoatl) uma serpente (8) que se projeta desde suas costas, ficando ao centro da imagem; acima dela um objeto rígido de onde emanam três forças, este é o símbolo do Falo (1); na mão esquerda, na parte inferior, vemos um objeto não rígido, que por sua forma nos demonstra ser um símbolo relativo ao canal feminino, o útero os ovários e os rins (já que nos rins ficam marcados a sexualidade do indivíduo quando é casto ou fornicário e tem ligação com o órgão reprodutor).

O 6 e o 9, são representados pela posição dos braços, o direito (do ponto de vista de Quetzalcoatl) apontando para cima e o esquerdo apontando para baixo.


O Estudo das dimensões é algo muito interessante, e sendo o Símbolo CLXV um principio espiritual, um Arquétipo Divino, certamente o encontramos quando estudamos as dimensões.
O Ponto equivale a dimensão zero.
A Altura corresponde a 1ª Dimensão, formando a linha. (1)
A Largura corresponde à 2ª Dimensão, formando o quadrado. (0)
Do magnetismo entre o 1 e o 2, surge o terceiro que é a espessura, o comprimento, a 3ª Dimensão. (8)

Até aí as pessoas compreendem, mas além desta Terceira Dimensão conhecida, existem outras dimensões que em outros tempos já foram conhecidas.
O Sólido da Terceira Dimensão torna-se um Hipersólido para que corresponda a 4ª dimensão.

É como um duplo do físico, tal qual é explicado no que é relativo ao corpo Etérico.
Corresponde ao tempo esta quarta dimensão.
Claramente vemos o 6 e o 9 se formando desta interligação entre a Terceira e a Quarta dimensões.

Assim como a Primeira dimensão é uma transversal do ponto. O Plano é uma transversal da linha, o cubo é uma transversal do plano, e o hipercubo é uma transversal do cubo.

As dimensões são calculadas em linha (1º Plano) potencializado.
A Linha como expressão da primeira dimensão é a base da matemática das dimensões.
"X" elevado a 1º potência corresponde a 1ª Dimensão.
"X" elevado a 2º potência corresponde a 2ª Dimensão.
"X" elevado a 3º potência corresponde a 3ª Dimensão.
"X" elevado a 4º potência corresponde a 4ª Dimensão.

X = Linha.

Porque a linha ao ser multiplicada por ela mesma, torna-se um quadrado.
Porque o quadrado ao ser multiplicado por ele mesmo, ou esta “linha” elevada em uma terceira potência converte-se em um cubo, e assim por diante.


O que acontece é que enquanto a mente estiver imobilizada entre a lógica formal limitaremos o uso das matemáticas ao mundo tridimensional. Precisamos com urgência da Lógica Dialética para considerar a representação das dimensões por potências, como algo lógico. Isto somente é possível dialeticamente com Lógica Dialética.” – O Matrimônio Perfeito, Cap. 31, Samael Aun Weor.

27/10/13