zzzzzzzz

 

CLXV
Textos sobre Antropologia
A Ordem Secreta

Houveram no decorrer da humanidade uma série de ordens, grupos, cuja existência era velada aos olhos comuns, exatamente pela distinção que tinham seus membros e pela falta de condições da humanidade de muitas épocas em aceitar a existência destes grupos, bem como por não poderem em sua absoluta maioria compreender e participar de suas atividades.

Tais atividades veladas, ocorriam pelo motivo principal de que não tínhamos como transmitir um mistério a outrem sem que estivesse devidamente preparado para entendê-lo, e tudo que entregávamos a um despreparado, tornava-se uma profanação daquele mistério.

Assim por este motivo muitos mistérios esconderam-se cada vez mais ao fundo dos Templos de Mistérios e se afastaram dos olhares profanos e profanadores.

Dita ordem, ou ditas ordens, já que em sua forma já teve muitos nomes, mas que é uma só em seu principio espiritual imutável, sempre buscou na humanidade pessoas cuja atração pelo espírito era inegável, e cuja virtude parecia desfazer os laços que os prendiam o mundo, em profundo sono.

Ahh!, o “Terror do Umbral”, quão poucas pessoas experimentaram atravessar o portal que conduz aos Mistérios, e vencer à aquele cujo domínio recai sobre o mundo inteiro.

Cerimônias a parte, as exigências desta ordem era algo que hoje já não é cumprido pelas sombras destas augustas Lojas de Mistério, cujas palavras nos dias atuais tornaram-se apenas palavras ditas ao vento.

As promessas de dita ordem sobrepujavam a morte e permitiam com que seus adeptos verdadeiramente impulsionassem o mundo aos ideais mais sublimes do espírito.
Hoje em dia raramente encontramos no mundo, algum homem ou mulher que seja capaz de cumprir com seus requisitos mais básicos.

Também de algumas expressões desta augusta instituição na terra, não achamos talvez mais que algumas anotações, poucos textos e fatos que ficaram encravados na história.

Palavras difíceis de compreender dizia o Iniciador, pois aquele candidato necessitava ter um coração tranqüilo e livre de todo apego e toda preocupação, este necessitava morrer e nascer novamente, propondo-se a uma vida nova.

Afinal os homens vivem no mundo e pelo mundo, e dita ordem vive acima de tudo no espírito, para o espírito, ainda que esteja entre os homens para prestar-lhes ajuda.

Renúncias difíceis para não dizer impossíveis tinha de fazer o candidato, não era raro aquele que se perdia no caminho, realmente se de mil dos que eram iniciados um “se salvava”, me parece um bom número a recordar.
Muitos afundavam na incompreensão, na loucura de não conseguir-se adaptar-se a esta nova realidade que se abrira e o mundo espiritual... mas é uma transição difícil, quão poucos sequer conseguiram vencer o Guardião do Umbral.

Escravos, tornaram-se escravos daquele que queriam escravizar, lamentável realidade.

A Iniciação é uma faca de dois gumes, ela dá poder e sabedoria ao puro e virtuoso, mas destrói e cega ao malvado, literalmente o arroja no abismo.


Quão poucos foram os que tiveram direito a solicitar o cálice da imortalidade, e quão poucos viveram pela eternidade realmente. Isto porque ainda os que chegaram a tal estágio, alguns dissolveram sua preciosa pedra na água e retornaram ao mundo dos homens, voltaram a impiedosa roda dos nascimentos e mortes.

A Sabedoria do caminho, a sabedoria iniciática conduz o sábio ante duas realidades totalmente opostas.
A Primeira é uma vida de isolamento, de indiferença para com o genro humano, já que cada vida pode ser comparada a um grão de areia, dentro de algo tão infinito como podemos ver é o espaço estrelado. Estes normalmente nada pedem, mas também nada agregam ou ajudam.
A Segunda é uma vida de serviço, a compreensão e a visão da possibilidade humana, o grão que pode tornar-se praia, até um planeta, um sol, é o que vê o sábio dentro daquele pequeno grão de possibilidades, quando atraído ao espírito.
Este serviço que fazem esta classe de Mestres, de Adeptos, é a que tanto ouvimos histórias pelo mundo, e é a que faz avançar o homem em direção a Deus.

Santos Deuses, restabelecei o que foi rompido, reerguei o que foi destruído, já é hora, chegou o tempo.


19/12/13