CLXV
Textos sobre Filosofia
Autoridade é Serviço

17. Enquanto subia para Jerusalém, Jesus tomou consigo os doze discípulos em particular e, durante a caminhada, disse para eles:
18. "Eis que estamos subindo para Jerusalém, e o Filho do Homem vai ser entregue aos chefes dos sacerdotes e aos doutores da Lei. Eles o condenarão à morte,
19. e o entregarão aos pagãos para zombarem dele, flagelá-lo e crucificá-lo. E no terceiro dia ele ressuscitará."
20. A mãe dos filhos de Zebedeu aproximou-se de Jesus com seus filhos, e ajoelhou-se para pedir alguma coisa.
21. Jesus perguntou: "O que você quer?" Ela respondeu: "Promete que meus dois filhos se sentem, um à tua direita e o outro à tua esquerda, no teu Reino."
22. Jesus, então, disse: "Vocês não sabem o que estão pedindo. Por acaso, vocês podem beber o cálice que eu vou beber?" Eles responderam: "Podemos."
23. Então Jesus disse: "Vocês vão beber do meu cálice. Mas não depende de mim conceder o lugar à minha direita ou esquerda. É meu Pai quem dará esses lugares àqueles para os quais ele mesmo preparou."
24. Quando os outros dez discípulos ouviram isso, ficaram com raiva dos dois irmãos.
25. Mas Jesus chamou-os, e disse: "Vocês sabem: os governadores das nações têm poder sobre elas, e os grandes têm autoridade sobre elas.
26. Entre vocês não deverá ser assim: quem de vocês quiser ser grande, deve tornar-se o servidor de vocês;
27. e quem de vocês quiser ser o primeiro, deverá tornar-se servo de vocês.
28. Pois, o Filho do Homem não veio para ser servido. Ele veio para servir, e para dar a sua vida como resgate em favor de muitos."

Bíblia Hebraica - Antigo Testamento, Mateus - 20.

Aqui há muitas coisas interessantes que poderíamos analisar, mas o que queremos expor é a questão final deste texto. Mas recomendamos o estudo total deste texto bíblico.

No mundo, aqueles que governam são os que se põe acima dos demais, são eles que tem poder, mando e autoridade sobre as nações e povos.
No caminho isto se dá ao inverso, os grandes no sentido esotérico, aqueles que determinam os rumos e as direções, são os pequenos, são os que servem.

A Divindade não nasce neste mundo para obter glórias, reconhecimentos ou poderes... A Divindade nasce dentro do homem (O Filho do Homem), por uma necessidade que tem de sacrificar-se, de doar-se, de equiparar seus valores divinos para com a humanidade.

Os Deuses vem de tempos em tempos sob a forma humana (se não é a primeira vez que se levanta este homem), para dividir e compartir o que são, e assim elevar o nível mundial, no sentido esotérico, que esta humanidade se encontra.

Claro que isto não é o trabalho de um, é o trabalho de muitos.

E Certamente antes que esta Divindade que cada pessoa leve dentro, possa equiparar estes valores com os demais, precisa que sua fração humana eleve suas capacidades morais e esotéricas frente a direção dele que é o Ser.

Os Deuses não se fazem servir, eles vem ao mundo para se tornarem serviçais, ainda que tomem posições que pareçam que não são.
Claro que isto é algo interno, duas pessoas poderiam fazer o mesmo e uma está sendo servida e outro está servindo.

Estes dias comentávamos com um irmão a respeito disto. Explicávamos que as vezes permitindo com que alguém nos ajude, estamos sendo serviçais, porque se fazemos conscientemente isto, estamos dando a oportunidade que outro trabalhe.
Conseguem visualizar isto? Muitos grandes Mestres e Reis, já se disfarçaram de mendigos e pediram esmolas... exatamente para que pudessem transferir dharma e outros valores para estas pessoas e que elas pudessem sair da miséria interna que se encontravam.

Há Virtudes que se não sabemos cultivar em nosso caminho, ficaremos certamente perdidos em alguns processos aonde não é mais trafegável o caminho (como indivíduo, como pessoa).

Dizemos isto, porque todo Mestre, ou melhor, todo Iniciado passa por isto em algum momento. Chega um ponto aonde é o limite do que a pessoa humana pode fazer, e a Lei não permite com que siga adiante, porque temos Karmas muito severos e karmas que não podem ser negociados, temos que pagar com dor e com sofrimento.
É Terrível, porque faz sofrer quem não devia sofrer, nosso Ser paga pelos erros de sua Alma Humana e é algo mortal saber disto.

Nestes processos aonde parece realmente haver mais trevas que luz, estes Mestres nos demonstraram que atravessaram estas espessas trevas, sabendo lutar pelos demais.
O Mestre Lakhsmi comentava em uma convivência, que ele sempre pensava que deveria aprender para poder ensinar, mas que só pode realmente aprender, quando ensinou.

Porque é isto que a Divindade faz por meio da pessoa, ela se manifesta em benefício dos demais, isto é a Consciência atuando por meio da pessoa.
Alguém que não tenha amor pelo seu semelhante, por seu irmão que vai neste caminho ou quem sabe vai em outra direção equivocada, como poderia levar Deus dentro de si?

Isto não é uma pose artificial que deva ser imitada, é uma semente de consciência que precisa ser cultivada.
Se hoje temos alguma luz, temos que recordar que assim como existe o Dia, existe a noite. Que se hoje temos saúde, que sempre existe sua contra-parte, para nos recordar de toda uma humanidade doente.
Uma humanidade que sofre, não só de padecimentos em seu corpo, mas o mais grave e o mais fatal, em sua Alma.

O Ponto que queremos chegar é que muitas vezes vemos irmãos que almejam exatamente isto, sentar-se a Direita de seu Pai, ter capacidades, poderes, consciência... e se vemos os motivos, se observamos ou se questionamos o porque disto... infelizmente constatamos que o desejam por um egoísmo.

A Alma Humana não recebe estas coisas por um desejo, senão por estar capacitada pelo desenvolvimento que tem, e por um merecimento que obtém frente ao trabalho que faz para com a Humanidade.

Os Grandes e maiores Mestres que tivemos, foram os que mais serviram, os que mais sofreram.
Não estamos dizendo que um tenha que se equiparar a eles, senão que permitam com que esta consciência que estão desenvolvendo guie e se manifeste na vida de cada um.

Peço sinceramente que me perdoem por as vezes falar em um tom pessoal e humano, digo no sentido de expor o que esta pessoa humana passou, mas não tivemos um guru físico e não temos orientações expressas neste sentido, então que expomos da melhor forma que nos é possível, sem claro violar o que nos é orientado internamente.

Nesta existência fizemos muitas coisas que não sabíamos o resultado, digo ações físicas drásticas ao ponto de não ter uma mínima noção intelectual ou conscientiva de aonde aquilo ia nos levar. No entanto se formos observar, vemos que o resultado daqueles impulsos era um sentir e uma guiatura que tínhamos de nossa consciência e de nosso Ser, nos impulsionando para fazer o que era necessário, até aquele ponto aonde nos é permitido ver esta Luz que é a verdade.. ainda que hajam muitos níveis além a se perfeccionar, pois a consciência é infinita em seu potencial.

A Questão é que institucionalmente nunca dissemos não a nada que nos ofereceram como trabalho. Sempre aceitamos com bom grado toda oportunidade que nos deram de ajudar e de fazer algum bem que nos era permitido.
Mas sempre tínhamos este sentir de que não estávamos sendo usados por uma instituição, senão que fazíamos aquilo por nossa própria vontade e impulso interno, por meio e graças a ela (a instituição). Fazíamos uso daquilo, dos cargos, das oportunidades para fazer o que fosse possível para ajudar aos demais em sua Obra.
Por isto que não nos sentimos traídos ou defraudados quando nos tiraram esta oportunidade, porque temos a certeza que aproveitamos cada momento, da melhor forma, e em benefício de muitos e não apenas desta pessoa humana.

Por isto que as vezes quando algum irmão nos busca, recomendamos o trabalho institucional, porque são ferramentas para a consciência que está nascendo poder se manifestar.
O Despertar da Consciência é o próprio Sacrifício pela Humanidade, isto já dissemos claramente em outra oportunidade. Porque é quando a consciência vê a necessidade de atuar.

Vocês sinceramente acreditam que os Mestres saberiam (a nível humano) o que sabem a respeito da Obra, se não fosse exatamente para poder guiar e ajudar a humanidade?
Porque se uma pessoa se põe a lutar por si mesma, ela claro tem o apoio do Ser e da Loja Branca, mas no momento que ela sinceramente... por favor irmãos, "sinceramente, desinteressadamente" luta não só por si, mas por todos... vocês podem vislumbrar a mudança que ocorre?
Digo, imaginem que existem muitos canos que levam a água de uma cidade a outra, mas estão sujos, a água chega suja, em pouca quantidade.
Então se constrói um duto bem hermeticamente fechado, aonde há largura para grandes volumes de água, bem cuidado, etc...

Por onde irão levar esta água? Pois vão por toda a água neste duto, lógico.

Isto faz a Loja Branca; porque no momento que uma pessoa esteja disposta a fazer alguma Missão, algum trabalho. Eles pois investem nesta pessoa, instruindo, guiando, protegendo, porque se beneficiam muitos... e é o menor, ou não é?
Digo, ele serve a todos, ele serve, e serve.. ele serve a Loja Branca, serve a humanidade, é um serviçal esta pessoa humana.

O seu próprio trabalho, ele não faz porque: "Bem é que quero ser um Deus, é que quero voltar ao Pai e sair deste mundo desordenado e caótico"... conseguem entender isto?

Digo, o próprio trabalho, em alguns momentos se dá exatamente por este amor, por esta necessidade de liberar uma humanidade das garras tenebrosas que as tem envolvido.

É Isto que forja um Mestre, é este amor e este desinteresse que tenha pela humanidade e é uma lástima que não se assimile isto.

Há muitas, muitas coisas que não se falam, ou que não se ensinam, para que a pessoa tenha o mérito da descoberta, que tenha o mérito de que chegue aos mistérios por ela mesma.
As vezes os irmãos se apegam a que um Mestre não falou tal coisa, que não ensinou outra coisa... e não entendem que isto é uma seqüência que se vai dando, é uma continuidade infinita na guiatura e na instrução que se dá a um povo.

Não existiria como o Mestre Samael falar de algo que não se deu uma base, então como Avatara ele fez isto, deu a base, e deixou todo o esboço (físico, porque internamente segue o trabalho e posteriormente fisicamente de novo).. TODO, TODO o esboço de tudo que é a Obra, da primeira até a terceira montanha, tudo ele deixou.

No entanto há detalhes, momentos e informações que outros virão e já vieram para explicar melhor, detalhar melhor.. as vezes claro como uma Missão que dá a Loja Branca, outras como este sentir que se tem do próprio Ser da necessidade de expor algo em benefício dos demais.

Porque é o trabalho que cada um tem que fazer. A Iniciação, os graus, os dons, tudo é pago com a moeda do sacrifício...
O Problema é que a pessoa tem que ganhar o mérito de ser ouvido, e nisto consiste suas provações.
Não pensem que não há algo destinado a cada um, cada um destes que está ai hoje ainda com um Intimo guiando a pessoa.
O Problema é que se estes canos não são limpos, se não permitem com que chegue este conhecimento que caberia a ele levar, esta água pura e divina que vem para matar a sede de muitos... outros terão que fazer este trabalho.

Hoje em dia há Mestres com corpo físico que vem só para tapar estes furos do que deve ser entregue... um não se levanta a tempo, não fala fisicamente o que deveria falar, ele vai lá e tapa o furo... isto temos visto e temos acompanhado.
E Sinceramente é triste, é muito, muito triste que uma pessoa humana se cale frente ao Ser.

Buscam ao Cristo, mas quando ele nasce dentro da pessoa, o matam, o calam, é terrível ver este drama vivido de forma tão macabra e tenebrosa.
Quantos irmãos temos visto que sufocam aos Apóstolos dentro de si, outros idolatram a um ou outro apóstolo, e por consequência não permitem a vivência e a expressão daquela outra fração do Ser que precisa estar presente no drama crístico.
Nas próprias instituições, quem vence esta luta interna, ainda tem que lutar para que possa dizer estas verdades e cumprir com estas missões.

Não podemos defender as instituições como forma, ou dizer que sempre teremos que estar nelas, porque realmente tudo que inicia tem um fim e cada um deve desenvolver a consciência e esta guiatura interna quiçás não só do Ser mas da própria Loja Branca para saber que rumos tomar e que missões desempenhar.

Mas percebam que aqui, viemos para servir, todos recebemos este chamado e bem aventurados os que escutem e sigam.

Os Últimos, serão os primeiros.

Paz Inverencial!

18/09/12