zzzzzzzz

 

CLXV
Textos sobre Filosofia
Governo, Justiça e Educação

Sempre que observamos aquele símbolo Gnóstico que é aquele Templo aonde há três degraus representados pelos fatores de revolução da Consciência, também encontramos quatro pilares os quais são o sustentáculo do Templo que é a a Arte, a Ciência, a Filosofia e a Religião.
Comumente isto é o que falamos quando referimo-nos a esta figura, mas acima destes pilares, e o que realmente é sustentado por estes pilares, são três vértices ou três estruturas que juntas formam o Teto e por consequência a proteção e a finalização do Templo.

Nós sempre dizemos e certamente não podemos nos cansar de dizer, que aquele que queira mudar o mundo, deve realizar antes de mais nada uma mudança em si mesmo. O Conjunto é a soma das unidades e se queremos mudar o conjunto, o aglomerado, precisamos realizar mudanças na unidade pois mudando a unidade transformamos o coletivo.
Obviamente nos referimos destas mudanças profundas e concretas que realizamos nós em nós mesmos, cujo resultado molda o ambiente circundante e certamente o coletivo por magnetismo e por um exemplo, por uma guiatura. Isto claro vemos que está relacionado com estes três degraus, que são os Três Fatores de Revolução da Consciência.
Conforme trabalhamos na Revolução de nossa Consciência, avançamos nestes degraus que são as bases e o fundamento de nosso trabalho individual e que resguardam em si mesmos todos os processos de nossa Autorrealização. Este é o dever do homem para consigo mesmo.

Os Quatro Pilares do Conhecimento, que como já dissemos, é a Arte, a Ciência a Filosofia e a Religião, é em geral a forma na qual expressaremos a sabedoria que em nós mesmos encarnamos ao longo do processo de integração e de revalorização do Ser, das Virtudes, da manifestação da Consciência. Nós todos temos dons os quais em geral nos atraem mais a uma área que a outra e certamente expressaremos nossos atributos divinos em um destes pilares mais em especial, ainda que em todos devamos ter nossa devida integração para a sustentação de nosso Templo Interior. Este é o dever do homem para com seus irmãos, expressar sua sabedoria íntima de maneira a auxiliar os demais em seu progresso íntimo, compartilhando a sabedoria dos Deuses, na forma a qual cabe a cada um.

Mas há um último dever, e uma última manifestação, um último passo para transformar o todo, e é exatamente a Tríade Superior deste Simbólico Templo, aonde em seu centro encontramos a palavra Gnosis.
A Própria Divindade tem seu sistema próprio de Governo, de Justiça e de Educação... tanto que sabemos que todo o criado é governado por este Principio Criador o qual tem um sistema muito claro de recompensas também de remédios (karmas). Para que este Governo espiritual seja capaz de reger, ele precisa que hajam forças que façam estes cálculos entre o que é feito de correto ou de incorreto do ponto de vista das Leis divinas, e não apenas eduque antes do delito, mas depois para corrigir estas falhas. Se não fôssemos educados antes da cobrança por nossos erros, seria algo injusto, também se não tivéssemos o impulso para corrigir-nos, seria absurdo.

Na humanidade, estas três forças são também o ápice dos Povos, afinal quando o Povo vai mal, quando manifesta em cada um destes indivíduos que conformam um povo, o egoísmo, o crime, a violência, o ódio, etc., inevitavelmente o que encontraremos na Arte, na Ciência, na Filosofia e na Religião, não serão coisas muito diferentes.
Encontraremos certamente uma Arte voltada ao mal, e uma Ciência corrompida e divorciada das realidades espirituais, uma Filosofia utópica ou mesmo maquiavélica e uma Religião materialista ou mesmo divorciada da realidade.
Assim por último encontraremos estes mesmos delitos, estes mesmos crimes, no Governo, na Justiça e na Educação, o que cria um ciclo extremamente perverso e negativo que faz com que a humanidade decaia cada vez mais, exatamente porque cria-se um ciclo de perversidade e de compactuação com o delito.

Quando o indivíduo muda, quando este faz uma mudança sincera e profunda e reavalia o que é certo e o que não é, e não apenas no quesito humano mas Divino, então sim as coisas todas mudam de figura, e estes pilares da sabedoria voltam a manifestar-se plenamente e com imensa sabedoria. Por consequência o Governo com todos os seus sistemas políticos mudam, e também a Justiça e a Educação.

É claro que isto que nos referimos como Governo ou Política, e mesmo a Justiça e a Educação, são questões muito distantes do que hoje temos em qualquer país que possamos observar. Afinal por muitas vezes os Governantes foram verdadeiros representantes da Divindade, e a Justiça humana alinhava-se plenamente ao preceito Divino, bem como a Educação era a base para todas as realizações tanto humanas como divinas.
A Política, a Justiça e a Educação, se formos observar é a garantia da manutenção e do pleno funcionamento dos Pilares do Conhecimento e mesmo dos Fatores de Revolução da Consciência.
Pois uma Política corrompida criará um caos econômico e social, fazendo com que as pessoas não tenham as conduções morais e mesmo financeiras para terem o mais básico para conseguirem ter o mínimo potencial para um trabalho interior.
Vejam que se a Justiça é corrompida, mesmo os direitos básicos podem ser perdidos, ou mesmo o crime pode tornar-se o mocinho por uma inversão de papéis como comumente vemos ocorrer ao longo das eras. Assim torna-se por diversas vezes um crime expressar a autêntica religião, ou mesmo desenvolver plenamente a ciência cativada pelo espírito.
Vemos que por diversas vezes a Justiça humana cria normas as quais são verdadeiros crimes, e um atentado contra a moral, contra a vida do próprio indivíduo, não apenas fisicamente mas espiritualmente.

A Educação quando mal canalizada torna-se um sistema de manipulação e de padronização das massas, isto tanto no sentido humano da vida, como nas diversas áreas do saber, como é o caso da própria Ciência, da Filosofia, da Arte ou da Religião.


É muito difícil para nós hoje imaginar uma transformação concreta e sincera do que é necessário mudar, no que diz respeito a esta Tríade a qual estamos hoje dialogando, mas o essencial para isto funcionar plenamente, é dar a quem é de direito os respectivos lugares, como já dialogamos em passadas oportunidades.
Enquanto haja um pretenso interesse, uma falsa moral impulsionando estes personagens a estes cargos, sempre haverá crime e sempre haverá problemas os quais ciclicamente conduzem toda a humanidade a um ciclo vicioso e negativo.

 

20/04/16