zzzzzzzz

 

CLXV
Textos sobre Filosofia
Signos da Luz

A Matéria nada mais é que a cristalização do Espírito, algo muito similar ao que ocorre com a Água em suas transformações aonde se encontra distante e de maneira sutil, mas também próxima e de maneira palpável, observável.

Há muita matéria que não vemos, que não sentimos com os sentidos ordinários ainda assim é matéria, obviamente em um estado mais sutil que esta matéria física que usualmente percebemos e interagimos neste mundo tridimensional.

Existem questões que nos fazem compreender um pouco disto que nas linhas anteriores falamos, já que nossos sentimentos, nossos pensamentos, sabemos existem, o próprio calor, a eletricidade, e tantas coisas similares são reais, no entanto não são perceptíveis fisicamente, senão quando já cristalizadas na própria matéria, e alterando as formas e fatos físicos.

Tudo que vemos, direta ou indiretamente é o resultado de algo que não vemos. Absolutamente nada brota diretamente no mundo tridimensional, sem antes ter tido sua origem em alguma região interior da natureza.


Citamos por exemplo o caso da interferência da Lua nos processos de gravitação terrestre, deste magnetismo que exerce sobre as águas, algo claramente visível como consequência, mas não como influência, já que não vemos em fatos a lua exercendo isto, senão pela consequência que gera.


Muito há de oculto em nossa realidade, pois que se tudo é o resultado de algo interno, certamente a alteração de qualquer natureza depende de uma intervenção interna, de uma alteração de influências ocultas, para que o visível torne-se o que tem de se tornar, para que aconteça o que precisa acontecer.
Já bem deve saber o leitor, que aquilo que chama-se Magia, no fundo é uma Ciência Oculta, aonde em vez de modificar algo físico, altera-se algo interno, e tem por resultado algo físico.

É verdade que tudo é resultado de algo interno, mas em geral nossas intervenções físicas, são o resultado de algo que se processa internamente em nós mesmos, e então de maneira física tentamos realizar o que é necessário. O Mago, já realiza estas intervenções diretamente na natureza interna, gerando estes resultados físicos que alguns chamam de Milagres, e que no fundo são o resultado desta Ciência Oculta em andamento, daquilo que muitos chamamos de Magia.

Quando falamos dos Signos por exemplo, e da influência que tem sobre a natureza física e por consequência interna, antes de tudo, das pessoas, estamos falando de Regências, de Signos que se ligam e que influenciam algum ser ou conjunto de seres, de alguma maneira.
Temos influências por todos os lados, de cima e de baixo, de dentro e de fora, observar e compreender isto, é a forma que temos de alterar nossa própria natureza, conscientemente reorganizando estas influências que recebemos, de maneira a aproveitar as boas, e bloqueando as más.

Há muito que nos serve, e muito que no fundo é inútil ou mesmo causa profundos danos a nossa realidade, nossa vivência e mesmo nossa estrutura física e interna.

Tanto a Luz como as Trevas tem muita influência sobre toda a humanidade, é claro que de acordo com nossa natureza interior, acabamos mais influenciados por um ou por outro, e conscientemente podemos claro alterar como interagimos com estas influências.

Signos, Símbolos, são cristalizações de forças espirituais, algo muito similar ao que é uma foto de alguém.
Quando olhamos uma foto, quiçás de um ente querido, certamente evocamos naqueles momentos sua presença, sua história, sua Alma e seu Espírito, evocamos todos os sentimentos que temos acerca disto, e tantas coisas mais, que apesar de não estar ali aquela pessoa, trazemos de alguma maneira esta para perto, e fazemos uso deste artifício para reforçar um elo, um vínculo.

Mesmo quando observamos uma foto de alguém que não conhecemos, ocorre algum tipo de contato, de vínculo, que no fundo permite alguma interação interna, por vezes espiritual, pois são como evocações estes símbolos (formas) que representam uma pessoa qualquer.

No caso dos Signos, destes símbolos de representações internas, espirituais, estes nos ligam a estes princípios dos quais estes símbolos são desdobrados, e nos põe em contato com estas correntes universais, sejam de Luz, sejam de Trevas, de acordo com a natureza de cada um destes símbolos.

Há Símbolos, que representam os Planetas e suas influências, mas há também símbolos que são uma representação do Cristo, do Espírito Santo, de regiões divinas, e mesmo de Tesouros da própria Luz Imanifestada.
Podemos dizer que estes símbolos são por vezes chaves, de portas que não teríamos acesso de outra maneira, senão por esta magia que realizamos por meio de seus símbolos, de suas representações.

Recordemos Constantino I, e seu famoso "In Hoc Signo Vinces!" (Sob este signo, vencereis), aonde viu este o símbolo do X e do P, sobrepostos, de maneira a representar o Cristo, em seu místico instante de elevada espiritualidade.

Os Símbolos são não apenas, como neste caso, a cristalização de algo interno, daquilo que alguém representa, mas também um escudo daquilo que almejamos nos integrar, daquilo que nossa natureza tem afinidade e buscamos.


Sempre foi recomendação dos Sábios Guias da Humanidade, a integração com certos símbolos universais, não apenas pela reflexão que eles geram, mas como uma chave para atrairmos certas bênçãos e certas forças indispensáveis para nossa Obra, para nosso Caminho Espiritual.

"Agora, estes são os Nomes que Eu darei desde o Porvir sem limites. Escrevei-os como um símbolo e que daqui em diante sejam revelados aos Filhos de Deus."
O Segundo Espaço que está «dentro» não possui soluções, nem apologias, nem sinais, nem chaves, nem selos. Somente possui símbolos e formas.
- Pistis Sophia

12/06/17