CLXV
Textos sobre Filosofia
A Humildade e o Ser

"Alá é Alá e Maomé é seu profeta".

Dignificar a pessoa humana é realmente um equívoco. Deus é o Íntimo, o Real Ser de cada um de nós. A Pessoa humana nada mais é do que um porta voz, um representante terreno desta divindade.

Os Bodhisatwas (Alma Humana de um Mestre, no plural) que caem no equívoco de se julgarem Deus, cometem o mais absurdo dos equívocos, porque invertem os valores reais da natureza humana e Divina.
Ser Humilde é ter a compreensão da realidade do que realmente somos; nada mais do que compreender e aceitar a verdade.

Até mesmo os poderes, os dons, as iniciações, tudo isto carrega o Ser em sua totalidade, ainda que se expressem e reflitam na parte humana, jamais poderiam ser dados a pessoa, senão que ao Ser.

Nós, os Iniciados da Loja Branca, quando precisamos ver, conhecer ou saber algo, pedimos permissão ao Ser para que nos conceda a graça de poder ver o que ele vê e saber o que ele sabe... assim se é justo, recebemos o necessário para realizar sua Obra, em um determinado momento do caminho.

Aquele que faz sua própria vontade e esquece-se de seu Real Ser, se torna um Mago Negro, porque quer para si o que não lhe pertence. O Caminho do Mago Branco tem por ponto de apoio a Consciência e o Ser. O Mago Negro toma por apoio e por trono a vontade, a Alma Humana... que acaba convertida em Negra e divorciada do Íntimo.

A Humanidade como um todo é totalmente lunar, são regidos pela Lua, assim como as marés. São impulsionadas, guiadas e direcionadas mecanicamente e autonomamente como marionetes deste Satélite Terrestre.
A Individualidade é algo sagrado, o homem é a semente de um universo em expansão. Para nos libertarmos desta força lunar externa e mecânica, necessitamos criar uma Lua Psicológica dentro de nós.
Com esta criação passamos a ter individualidade e com isto podemos ser regidos por forças internas em vez de forças externas. Posteriormente criamos os planetas, o Sol, as Galáxias, assim deve ser dentro do Homem, tal qual fora.

A Maioria das pessoas age por uma imitação, age por um impulso magnético mecânico dado por elementos externos ao homem. Pela falta de rotação dos Chackras e pela falta de movimentação do fogo sagrado dentro dele mesmo, pela ausência de tal Lua interior, não gera-se gravidade, tal como o que ocorre na terra ou em qualquer planeta ou sistema que tem sua gravidade própria.

O Homem não tem gravidade para com suas partes internas, atua de forma a depender do magnetismo alheio. O Interesse pelo esoterismo, diz o V.M. Samael em uma de suas conferências de Terceira Câmara, se dá pelo o que ele chama "Centro Magnético"...
Realmente isto nada mais é do que uma certa individualidade e uma capacidade de buscar a verdade livre dos conceitos alheios.
Uma pessoa que desenvolva tal capacidade, certamente vida após vida sempre retornará ao caminho, porque tem esta fome vital pela verdade, pelo caminho interno.

O Que diferencia uma pessoa de outra é sua Consciência, sua integração com a Divindade Interior. Dizemos em Gnosticismo Nível de Ser.
De acordo com o Nível de Ser que tenhamos, será o quanto poderemos compreender e aprender de algo que nos ensinem ou que possamos perceber na natureza, seja física ou internamente.
Duas pessoas podem receber um mesmo ensinamento e uma ter uma compreensão e outra ter algo completamente diferente, no sentido de profundidade.

Alteramos tais níveis relacionados a expressão do Ser, conforme eliminamos nossos defeitos e trabalhamos com a prática sexual sem o orgasmo, sem o derramamento seminal.
Com a Alquimia Sexual, formamos internamente os corpos, formamos dita Lua Psicológica, a energia sexual que carregamos é a mesma que se criam os Mundos e as Galáxias.
Com a morte psicológica, com a eliminação de cada defeito, permitimos a expressão e a manifestação de diferentes partes de nosso Ser, antes aprisionadas em meio a estes delitos.

O Trabalho esotérico é algo que fazemos em qualquer lugar; não existe desculpa ou motivos para não auto-observar-se. Auto-observar-se de momento a momento, conhecer nossa realidade interna é pois ter uma gravidade permanente em nosso interior.
Observar sem identificar-se tanto com os eventos internos e externos, é o que necessitamos para este aprendizado e para esta mudança radical que necessitamos realizar.

Pode ser que estejamos no Trabalho, em Casa, na Rua, todos lugar tem uma repercussão dentro de nós e nos agita em diferentes áreas psicológicas as quais temos que estudar, compreender e purificar.
O Eu sempre justificará sua existência, enquanto lhe dermos atenção. Todos os elementos afins à aquele agregado, o defenderão. O Mundo exterior igualmente justifica a existência e a manutenção de nossos defeitos interiores.

Necessitamos saber nos guiar por nossa Estrela Interior, nossa Consciência, nosso Real Ser são o Sol que necessitamos para iluminar e guiar nosso caminho até a liberação final.
É Por eles, e graças a eles, que fazemos este trabalho.

A Falta de reconhecimento do que somos perante ao que é nosso Pai (Real Ser), é um entrave para o caminho iniciático. Sem humildade, ficamos travados frente as possibilidades de integração com ELE.

Realmente como pessoas humanas somos provados, passamos as provas e as iniciações, mas os títulos recebe o Íntimo, por ter sido capaz de guiar seus veículos inferiores frente a todas estas adversidades.
Nosso prêmio frente a cada um destes processos é poder estar mais perto do Pai, isto é o que conta para a pessoa humana, esta integração que tenha com seu Ser, isto é o que vale.

05/11/12