CLXV
Textos sobre Filosofia
A Sensibilização da Alma

Tendo falado dos Mistérios do Cristo e de seu caminho frente a uma Missão Pública e Privada, dividindo seus esforços entre sua Vocação e o Matrimônio...
Tendo advertido que somente por meio da compreensão sincera e verdadeira é possível este avanço no caminho...

Chegamos ao momento de falar do meio de realizar tudo isto, por meio da sensibilização de nossa Alma.
A Morte Psicológica, o Despertar da Consciência, o exercício de nossa Vocação e o Matrimônio Perfeito só são possíveis quando verdadeiramente conquistamos uma Alma sensível aos eventos do mundo.

Nos dias atuais a humanidade se tornou acostumada a violência, ao sofrimento, se acostumou com notícias e visões de morte e de tragédias. Vêem uma vaca e pensam "tantos quilos de carne"; vêem uma planta e logo imaginam um prato de comida.

Esta depreciação da vida, como um todo, é um absoluto empecilho para o Despertar da Consciência e a Grande Obra.


Hoje em dia se andamos pelas ruas de qualquer cidade, vemos dúzias de golpistas, de mendigos profissionais que fazem mais dinheiro extorquindo em estacionamentos públicos que trabalhando honestamente. Sabem disto e se negam a seguir uma profissão por esta ganância e pela facilidade do crime.

O Problema é que há muitas pessoas sinceras, pessoas que realmente fizeram escolhas erradas na vida, pessoas que acabaram sendo levadas a miséria por um Sistema Capitalista, injusto e inumano.
Para a maioria das pessoas, devido ao primeiro gênero, este segundo se converte em algo igual, porque a Alma não é capaz de reconhecer o autêntico sofrimento e a necessidade que passam estas pessoas deste segundo caso.

Não que estes primeiros não sejam vítimas, mas não podemos compactuar com o delito que cometem.

Esta sensibilidade que falamos não é sentimentalismo, porque poderia ocorrer o inverso.. uma pessoa emocional ao ver qualquer pessoa pedindo dinheiro, dá a todos, indiscriminadamente, seja para alimentar um vicio, seja para estimular a vagabundagem de quem podendo, não quer exercer sua vocação, trabalhar, ter um lar.


Esta sensibilidade é algo espontâneo, não estamos aqui dando regras, mas instigando reflexões da Alma de cada um.
Pode que nossa Alma se compadeça de um doente, porque não o ajudamos?

Quantas vezes andamos pelas ruas e algo nos chama atenção, nossa própria consciência indica algo, nossa Alma se comove mas logo vem a mente e justifica.. dá uma antítese ao que foi dito, cria uma nova tese, enfim... não cumpre com os desígnios internos que teve.

Muitos, realmente muitos reclamam de não serem iluminados, de não terem poderes, etc... mas na verdade negam exercer estas capacidades, porque elas estão latentes em todos que desenvolvem esta alma sensível.


A Alma tem condições de discernir aos espíritos e saber das intenções de uma pessoa. Porque não exercemos isto? Porque não temos sensibilidade! Não temos uma Alma sensível.

Não estamos dizendo que por sabermos das intenções negativas, vamos tratar mal a pessoa, mas pelo contrário, podemos elucidar a questão que a aflige ou pelo menos não alimentar esta maldade dentro dela.


Quão simples, tão fácil, é fazer uma boa ação, consciente, espontânea.

Quantas plantas secam e nós temos água em abundância. Tantos animais passam pela rua procurando um pouco de água ou comida.
Quantas plantas igualmente não tem sequer o adubo de suas folhas, já que as pessoas retiram, até os galhos secos que caem.

É Terrível ver o sofrimento e o estado da humanidade, somente com uma Alma sensível seremos capazes de ver esta dor que aflige a todos, e realmente exercer, por uma necessidade consciente, nossa Vocação, nosso Matrimônio (Lar).

19/12/12