zzzzzzzz

 

CLXV
Textos sobre Filosofia
Criação e Manutenção

Todas as pessoas são muito parecidas, talvez pelo menos em sua forma física, sua aparência. Por detrás desta fina camada que vemos, há muitas coisas que não vemos, que não dialogamos a respeito e que por consequência acabam sendo imperceptíveis aos demais.

Temos de entender que o que se processa mais além das aparências é o real determinante da natureza de cada indivíduo e é o que realmente o torna o que é, não aquilo que vemos.


Duas pessoas podem fazer o mesmo, podem fazer inclusive da mesma maneira, no entanto em seu interior serem motivadas por forças completamente distintas e terem processos internos absolutamente diferentes.
A Questão é que o resultado é sempre distinto, dependendo de que forças operaram esta mudança.

A Simples questão é que a uma pessoa poderia corresponder fazer e foi inspirada por algo Divino, e a outra pessoa simplesmente lhe deu vontade fazer (como dizemos popularmente), quis fama, quis fortuna, e o fez da mesma maneira, simplesmente porque teve um desejo, melhor dizendo. Há quem faça algo por ódio, há quem faça algo por amor, e a ação por vezes é idêntica tanto na força como na forma, ainda que geralmente não o seja.

Muitos não entendem como é possível estar consciente nos mundos internos, como realmente viver uma vida consciente, fazer o que corresponde a cada um fazer, estar aonde deve-se estar, ser realmente Feliz, encontrar a verdadeira Paz, e tudo isto é o resultado de uma profunda mudança interna, não é uma mudança de aparência, de forma, uma imitação meramente do que é superficial, do que é visível.

Temos de entender que os Despertos fazem o que todos fazem, mas de uma maneira que ninguém faz. Até porque todos estão inseridos no mundo, apenas que fazem as coisas de maneira distinta, talvez não fisicamente, mas internamente dentro de si mesmos, tudo se processa de forma distinta.

O Despertar da Consciência tem muitos níveis, tem muitos graus. Muitas pessoas acreditam que não estão Despertas mas em verdade estão, em algum nível, sob algum aspecto, algo que claro tem de expandir-se, tem de ampliar-se. Da mesma maneira muitas pessoas acreditam que estão Despertas e é possível que estejam, ainda assim, como já dissemos, Despertas sob algum Aspecto, dentro de certo Nível, o que certamente não é um fim, mas apenas um meio para se chegar a algo ainda maior, mais amplo.


Algumas noites atrás me vi sonhando com uma velha profissão que tive nesta existência, sinto um anelo profundo em ajudar pessoas e é o que me vi fazendo, diversas pessoas me buscavam em meu trabalho e fornecia o que elas necessitavam, ajuda com questões que não eram espirituais, o que é bom salientar, coisas humanas. No entanto como de costume estava me observando, e tudo apesar de fluir muito rápido neste sonho, internamente me perguntava acerca daquela situação, algo que faz parte já de minha psicologia natural.
Olhava aquelas pessoas e via um certo vazio, me recordava que já não tinha mais aquele estabelecimento, que já não tinha aqueles equipamentos que eu ali via, e interessante que não foi a primeira vez que tive este sonho similar, assim que muito rapidamente, cheguei a conclusão que aquilo não era possível de estar ocorrendo e me senti bastante frustrado não apenas por sonhar, mas por sonhar com algo tão sem sentido, algo já resolvido em minha vida. Despertei em mim mesmo daquele sonho inútil e um a um acusei aquelas formas que me rodeavam, que no fundo eram apenas projeções mentais criadas por mim mesmo, em meu universo interior. Estava eu sonhando dentro de mim mesmo, não no Astral externo.
Fiquei tão profundamente frustrado em sonhar, em estar naquela situação que travei completamente. As formas mentais todas me olhavam com olhar hipnótico esperando algo certamente fantástico, e apenas disse que voltaria ao físico, que não iria a lugar algum, pois não estava no estado de espírito adequado para isto, pela frustração de ter sonhado e ter me visto adormecido como estava.

Os sonhos eles são o resultado daquilo que nos fascina, daquilo que nos envolve, daquilo que nos agrada, também daquilo que não nos agrada, daquilo que queremos, também daquilo que não queremos. O Sonho é o resultado daquilo que levamos dentro e nos serve sempre de reflexão sobre o que nos falta ainda trabalhar, seja o bom, seja o mau, já que há coisas boas que levamos dentro mas que no fundo são apenas outro tipo de maldade, outro tipo de equívoco.

Muitas, muitas vezes fazer o bem é errado, porque causa uma consequência equivocada, causa um problema maior do que o que originalmente resolvemos ou mesmo porque ocorre para com a pessoa errada, na hora errada e mesmo não era a nós que correspondia realizar tal ação.


A Vida no fundo é algo muito simples, o problema é que não estamos integrados com ela de maneira a poder realmente compreender o fluxo e refluxo de sua natureza, seja o que é cotidiano, seja o que é transcendental, ou mesmo abismal.


Tudo que criamos na vida, seja físico, seja espiritual, requer manutenção. Nada sobrevive sem o devido cuidado, sem a devida atenção, sem o devido alimento.
Nós nascemos, e certamente como pessoas morreríamos se não tivéssemos constantes estímulos seja de interação com o meio, seja de alimentos que deem a devida sustentação ao corpo.
Todas as coisas que pretendemos criar, todas as coisas que criamos, sejam elas materiais ou imateriais, requerem conservação para seguir existindo, manutenção.
De absolutamente nada adiantaria criar, se não damos manutenção, sustentação ao que é erguido, criado.

Se criamos uma casa, se construímos algo, sabemos que o tempo, o desuso, mesmo o uso, causam avarias, causam problemas que constantemente tem de ser avaliados, tem de ser resolvidos. Vejam como a vegetação adentra em casas abandonadas, e o vento, a chuva, os insetos vão pouco a pouco transformando uma casa abandonada em ruínas.
Mesmo muitas casas aonde vivem pessoas, vemos que sem a devida manutenção ela vai se deteriorando, muito rapidamente...

Não temos como realizar avanços, seguir construindo se não damos sustentação a aquilo que já temos.
Sempre que Espiritualmente desenvolvemos algo, temos de saber sustentar isto, realmente fazer seguir existindo e ainda assim nos adiantar em outras áreas.
Isto para muitos acaba sendo um problema, a pessoa avança em um ponto, logo o abandona. Desenvolve um Poder, adquire um Dom, encarna uma Virtude, logo a esquece, logo deixa de exercê-la, ou mesmo corrompe sua natureza e por fim segue em outro rumo, e abandona o que já teve.

Muitos entendem o que é gerar, as pessoas tem uma grande capacidade e um grande potencial para criar, sua dificuldade é dar a devida sustentação, seguir criando mais além do choque inicial da criação. Porque assim como falávamos do Despertar, que tem muitas áreas, tem muitos níveis, a Criação é similar, há diferentes etapas em uma mesma criação, que vai desde o átomo até as estrelas. Que vai desde o mais profundo Abismo, até o mais elevado Céu.

Reforçamos que algo básico para termos em nossa vida é estabilidade, todo aquele que saiba mover-se nas bases da estabilidade, consegue criar, e sustentar sua criação. Todo movimento brusco é antinatural, também como já dissemos não temos como avaliar o que é brusco e o que não é, observando apenas a aparência.

Temos de entender que quando olhamos a outra pessoa, e vemos fazer tantas coisas que as pessoas costumam fazer, geralmente não sabem as pessoas o que move o próximo realmente, que natureza lhe impulsiona a fazer o que faz, nem sabe o que se processa em seu interior naqueles momentos.
A Questão é que temos de parar de olhar os demais, como andam, como fazem as coisas, pois é irrelevante, e encontrar nosso real lugar no espaço-tempo, e mesmo mais além dele.
Porque é aonde falha a humanidade, em encontrar-se internamente, em criar o que corresponde a cada um criar, em sustentar o que corresponde a cada um sustentar.


Falávamos anteriormente em outra oportunidade sobre as Doenças, sobre a Morte, e dizíamos que isto fazia parte da Criação, fazia parte da sustentação da Vida, como um plano Divino.
E é difícil para muitos entenderem e aceitarem isto, tanto que nós fugimos constantemente das consequências de nossas ações sem jamais revisar o porque de cada coisa, e mudar em sua origem, alterar profundamente o que causou o problema.
Todos aprenderam a fugir dos problemas, a não olhar para eles, a não resolvê-los, e isto vai se tornando cada vez mais algo impossível de ser resolvido, algo impossível de ser solucionado pelo próprio indivíduo, tem de a natureza de forçar e forçar cada vez mais, até que não há retorno.

Todas as grandes Pestes, as grandes Doenças que atingiram a humanidade tiveram sua causa em algum grave delito popular, e buscar erradicar a doença sem erradicar a causa que gerou a doença, é simplesmente adiar o inevitável e preparar terreno para algo ainda mais terrível.

Nós devemos aprender com tudo, devemos aprender realmente de todos. Há sabedoria na vida, há sabedoria na morte, há sabedoria em todas as partes, temos apenas de mudar a forma como interagimos com as coisas, temos de alterar a forma como processamos dentro de nós mesmos a vida, para então realmente processar-se em nossa vida esta profunda e verdadeira mudança que tanto anseiam as pessoas e não entendem como realizar.

Quem vê o Raio cortando o céu, quem vê a Tempestade que surge praticamente do nada e devasta uma região, não entende que isto não veio do nada, que houve uma preparação, que houve uma natural ação para isto ocorrer. Assim em nós, precisamos realizar concretas ações para que este terrível Raio Divino possa iluminar nosso mundo interior e esta Terrível Tempestade Divina possa inundar-nos com sua sabedoria, com sua renovadora vida.

A Verdade é que ninguém nunca está devidamente preparado para estes eventos, é como a morte, por mais que alguém prepare-se, é um rompimento com algo velho, é uma ligação com algo novo, sempre tem seu ar de tristeza, sempre tem seu ar de alegria, ainda que algumas pessoas só consigam ver uma coisa ou outra.

15/07/2018