zzzzzzzz

 

CLXV
Textos sobre Filosofia
Mudanças Harmônicas

Anteriormente falávamos da Dor, dizíamos como era importante observar a dor como um sinal de que algo estava errado. Muitas pessoas tem a dor como uma inimiga e no fundo estão totalmente equivocados.

Toda dor é um sinal de que algo está errado, indica uma desarmonia.
A Dor é um sinal que algo falta, ou mesmo que algo está demasiado.

Claro que nem sempre é fácil para a pessoa identificar por si só a origem da dor e mesmo resolver esta situação, mas calar a dor, ou mesmo ignorar a dor, certamente tem um preço.
E Não falamos simplesmente das dores físicas, mas mesmo das dores emocionais, psicológicas, conscientivas, afinal todas as regiões tem suas dores.

Não estamos dizendo que não seja possível viver sem dor, ou mesmo ignorá-la, certamente há estágios da integração com a Divindade aonde temos de transcender certas dores, mas temos de ter consciência do que deve ser resolvido, do que deve ser transcendido.


Em todas as seções da vida temos processos aonde mudanças muito drásticas geram dores. Um corpo inapto para uma atividade necessita de um gradual estímulo até que consiga realizar tal atividade plenamente. O Excesso causará dores.

O Corpo físico tem um mínimo de movimento que necessita para ficar saudável, a falta de movimento ocasionará dores, sejam elas por conta dos órgãos enfermando, seja por conta da musculatura definhando.
O Excesso de sono causa dores, a falta de sono causa dores. O Excesso de alimento causa dores, a falta de alimento causa dores. Nem sempre estas dores são do mesmo tipo, da mesma intensidade ou na mesma região, mas como já dissemos, podemos aprender da vida, aonde estamos em desarmonia.

Muitas pessoas vivem uma vida descompassada, sem harmonia, sem limites, justificando que vem a morte e nada levam, que poderiam ser saudáveis e que mesmo assim poderiam ser atropeladas e morrer cedo, logo. Isto tudo claro nada mais é do que uma justificativa negativa, do que um autoengano.

A Vida é uma continuidade de existências, e por mais que este corpo realmente possa cessar suas funções a qualquer momento, em qualquer estágio da existência humana, a verdade é que estas mudanças psicológicas que fazemos, estas perfeições que esculpimos na Alma e que resultam em uma atitude saudável em nossa psicologia, emoções e mesmo no físico será obviamente continuada quando retornarmos ao mundo, ou aonde quer que estejamos.

Afinal é o que nos tornamos, é o que somos, e é o que esculpiremos em uma nova carne, quando venhamos mais uma vez ao mundo. Ou seja, o que não resolvemos agora, o que pioramos agora, somente cravamos em nossa Alma estes problemas para nos prejudicar mais e mais, eternamente, até que nos demos conta e resolvamos tais pendências fatais.

A Questão é, que nada se resolve da noite para o dia, também nada se resolve a força. Tudo tem seu momento, tudo depende de uma certa harmonia para ocorrer. É o que falávamos da dor, se uma pessoa faz uma mudança psicológica e isto lhe causa dores, claro que se algo morre, dói, se algo nasce, dói, mas há dores que são naturais e há dores que são antinaturais. Isto é algo que temos de observar e aprender dentro de nós mesmos.

Se nos exercitamos, digamos fisicamente, o músculo dói porque ele se expande, isto é a informação natural de algo que está acontecendo de maneira harmônica. No entanto há um limite aonde o corpo indica que há algo errado, que houve um excesso, e é outro tipo de dor, assim como há dores que indicam dano, dano severo, dano irreparável e assim por diante.
Então falando da própria questão emocional, psicológica, mesmo física, temos de entender que há uma progressão natural nas mudanças e não é possível fazer tudo ao mesmo tempo. Isto porque temos limites, limites estes que claro naturalmente se expandem, se incrementam, mas ainda assim leva tempo, requer esforço.
Claro que não devemos tomar isto como uma negativa de realização, como uma justificativa para não fazer algo hoje, para dar continuidade as coisas, como certamente o ouvinte, o leitor, pode interpretar.


Se observamos a infância, vemos que é um processo natural aonde a criança se prepara para integrar-se ao mundo, igualmente se observamos o polo contrário, a velhice, vemos que é um processo natural e harmônico de desligamento do mundo.
A Velhice é certamente um processo de de-aprendizado, de desligamento, de alienação do mundo e das coisas. Vemos claramente que todos estes processos ocorrem de certa maneira como uma infância ao inverso, que serve exatamente para que a morte não seja um processo tão difícil para as pessoas, assim como seria o nascimento se tivessem de se adaptar instantaneamente a vida como conhecemos. Mais além da Morte, há Vida, um outro tipo de Vida, que é o que estes processos finais da vida nos preparam.

Claro que a atual humanidade sofre de muitos problemas e doenças que não deveriam. Nossos idosos não são modelos de como deveria ser este processo de desligamento natural.
É Interessante ver nos dias atuais como as pessoas estão apegadas a vida, digo no sentido de quererem viver além de seu tempo, viver não importando como, não importante porque, não importando para que. Vivem por estar vivos, ainda que seja uma vida vazia e sem propósito.

Certamente qualquer pessoa que teme a morte, desconhece completamente o que seja a Morte e mesmo o que seja a Vida. A Morte jamais deve ser algo forçado, mas como dita a harmonia, também jamais deveria ser algo adiado de maneira desproposital.

Há uma harmonia a ser ainda encontrada pela atual humanidade no que diz respeito a vida e a morte, que infelizmente, dificilmente, os que hoje vivem verão ocorrer.


A Humanidade como um todo é enferma, suas psicologias estão cheias de conceitos fantasticamente absurdos, repletos de medos, de ganâncias, e isto tudo influencia diretamente todo estes aspectos da vida, e criam toda esta desarmonia que causa tanta dor a todos.

Nós realmente necessitamos aprender da vida, porque por todo lado, a todo momento, há uma infinita sabedoria nos rodeando e nos ensinando, dentro e fora de nós mesmos. Necessitamos resgatar a Luz dentro de nós mesmos para que esta mesma Luz nos instrua e nos conduza até nossa liberação final.

02/08/2018