CLXV

CLXV
Textos sobre Filosofia
Forças de Transição

Ainda falando sobre Potencial e Estado, temos de assegurar que nem sempre as coisas são como se imagina. Muitas pessoas imaginam que se algo vai em direção da luz, deve brilhar mais e mais, e mais... e no fundo não é o que observamos, não é como ocorre.

Entre dois Estados, apesar de um tipo de Potencial específico, há oscilações e há caminhos que se segue que por vezes são incompreensíveis aos indivíduos.
Muitas vezes as coisas pioram antes de melhorar, e por muitas vezes as coisas sem controle beiram o desequilíbrio, antes de serem por fim consertadas perfeitamente.

Estes são sempre assuntos de difícil diálogo porque tem-se muitos conceitos em nossas mentes, e muitas predisposições a interpretações equivocadas, negativas.


Há muitos casos aonde indivíduos ao buscar encarar uma situação, resolver algo em sua vida, curar alguma doença, fazer alguma mudança concreta, acaba passando por processos extremamente difíceis e por vezes não compreende o porque ao buscar a cura, adoece, ao buscar controle, perde ainda mais o controle, e assim por diante.

Nós já dizíamos anteriormente ao nos referirmos ao Estado das Coisas, que há Potências que por vezes se integram.
Com isto queremos dizer que muitas vezes o que sustenta certas situações são outras forças e quando uma Potência tenta assumir o controle, resolver tal situação, mudar realmente e concretamente seu Estado, acaba tendo de fazer este processo por si mesmo e encarar profundamente aquilo que é de seu anelo.

Não significa que tais Potências não ajudam, mas que entregam a esta Segunda a condição para que transcenda sua natureza Potencial e certamente de Estado.


Sabem quando uma pessoa quer chegar a certo lugar mas logo se depara com algo intransponível como um profundo abismo e tem de contornar por outra direção para chegar até seu destino? Pois é isto que também queremos tratar hoje, ao falar das Forças de Transição.

Por vezes um caminho não é o ideal, mas é o necessário para se chegar até algum destino. Vejam que muitas coisas terríveis que passam as pessoas, jamais seriam atribuídas a Divindade, ainda assim se ocorrem, é certamente porque a Divindade permite, é porque a Criação comporta tal circunstância.

É Certo que há o que é possível e há o que não é possível, se algo é possível e não morremos no processo, é porque está dentro do âmbito da criação com algum propósito.


Ainda assim, dentro do âmbito do que é possível, nem tudo nos convém, pois muitas coisas tem um preço demasiado alto a serem pagos por suas ocorrências.

Como dizíamos, por mais conceitos que tenhamos sobre a Existência e mesmo a Espiritualidade, no fundo temos de assumir nossa ignorância frente a ambas e tudo mais quanto existe, porque mesmo os mais sábios já se demonstraram errados e equivocados sobre infinitos aspectos do existente.
Ainda assim, o que é e o que vale em determinado momento, não apenas no conceito humano, mas no processo momentâneo de um planeta, de uma humanidade, em outro momento não vale, e assim não podemos ficar escravos de conceitos, senão que sempre alertas para a atual realidade, principalmente espiritual, das coisas.

Tudo inevitavelmente muda, pois é como a Vida progride, todas as coisas se sucedem em benefício de propiciar mudanças.


Se olharmos o mundo hoje como é, e se observarmos as opções que hoje temos como caminhos possíveis, vemos que por vezes tais caminhos que surgem não são aqueles que nos correspondem, tal como aquilo que falávamos de um profundo abismo a frente, e seu necessário desvio. Assim que há "Estados", que por vezes são necessários, ainda que não façam parte do percurso ideal, por assim dizer.

A Humanidade sempre tende aos extremos, e como tudo na vida é gradual, é natural que por vezes se puxe a direita ou a esquerda, para cima ou para baixo, para deter algo que se encaminha para uma extremidade, ou para algum destino de maneira fora do natural, seja muito rápido, seja com muita força.

Por vezes não há saída senão observar estes detalhes de aonde o Potencial nos encaminha como Estado, e passar pelos Estados possíveis, já que os ideais nem sempre são viáveis, por diferentes motivos.


Nós todos, seja como indivíduos, seja como povo, temos diversas limitações as quais senão intransponíveis, são de difícil solução, Isto faz por vezes com que ocorra isto que anteriormente relatamos, de certas adaptações para contrabalançar forças e evitar um dano irremediável.


Muitas pessoas queixam-se de seus problemas, de suas limitações, de suas dificuldades, mas há que se averiguar bem o Estado e principalmente o Potencial envolvido. Isto porque por vezes o Estado que se encontra é exatamente o esgotamento Potencial, e a natural destruição de algo que perdeu-se em seus esforços.
Também por vezes, ao observar o Estado e o Potencial, vemos que são Situações ou Forças de Transição que por mais negativas que pareçam, são o caminho necessário para se transcender totalmente Estados e mesmo Potenciais.

Imaginem por um momento o que é a integração de uma Força Divina com uma Força Humana, que choques, que terremotos terríveis não ocorrem no corpo, na vitalidade, no sentimento, no pensamento, na Alma, na Consciência de um Indivíduo.
Além do que, é mais que natural que quanto maior seja a Luz, maior sejam as Trevas que a limitam. O Sustentáculo e o limitador das Trevas é a Luz, e o sustentáculo e o limitador da Luz, são as Trevas.

Por fim, o que queremos com isto afirmar é que quando as coisas parecem estar mais perdidas, é sempre quando surge sempre a maior das esperanças. Se nos cabe passar pela Mais Terrível e Pior das Provas, é certo que nos será dado o Maior e Melhor dos Ensinamentos...

04/10/2018