CLXV
Textos sobre Filosofia
O Sabor do Trabalho Espiritual

Todos nós somos movidos por estímulos, somos máquinas e de acordo com os alimentos que recebemos, as impressões e retornos de nossas ações, agiremos de tal ou qual forma.
A Questão é que para o trabalho espiritual isto já não funciona assim... Ninguém nos dá um tapinha nas costas e nos felicita por um bom trabalho, até porque ninguém sabe verdadeiramente o que o outro está vivendo, já que são em grande parte processos internos que uma pequena parte são eventos vistos fisicamente.

E é natural, muito normal que aqueles que nos aplaudem em um momento, logo nos vaiam. Os que nos afirmam, logo negam, não podemos esperar que seja diferente, porque isto é assim para todos, e o iniciado deve seguir seu caminho, indiferente aos elogios ou as críticas.


Nosso trabalho espiritual é alimentado pelo resultado de nossas ações, questão que nem sempre percebemos fisicamente, algumas vezes apenas vemos a parte interna.
Claro que a felicidade no trabalho, pelo próprio trabalho que estamos realizando, é o recomendado, mas poucos são capazes de sentirem-se plenos apenas por realizar o que lhes impulsiona o Espírito.


O Povo Gnóstico, ou como se chamem, deveria ser o Povo mais feliz na face da terra, mais pleno, mais realizado, e muitas vezes vemos pessoas sofridas, desanimadas, cansadas, e é uma lástima que não sintam-se realizados por conhecer a verdade e por estar a serviço da Loja Branca e do Demiurgo Criador.


Há sempre momentos difíceis no caminho, isto é para todos. Há sim dores e sofrimentos, porque precisamos conhecer e experimentar a maldade dos homens na carne, se é que queremos realmente termos consciência e um estado psicológico adequado para encarnar ao Cristo, que há de redimir esta pessoa e servir de exemplo aos demais.

Mas é algo realmente muito grandioso poder pouco a pouco se integrar com nossa parte espiritual e saber que tudo aquilo que passamos, valeu a pena.


Nestes dias não publicamos textos, porque principalmente estudávamos temas que vemos que não faria sentido publicar aqui, porque não nos entenderiam.

Duas noites seguidas abrimos a bíblia hebraica aleatoriamente e caímos as duas vezes em uma mesma citação de um mesmo evento, ainda que de diferentes evangelhos.
Isto é interessante porque nos demonstra a importância de algumas coisas no momento que vivemos.


Temos que ser pacientes e perseverantes no caminho, porque assim como não há sempre luz, também não será para sempre trevas e é natural que vez ou outra apareça a luz ou que predomine a escuridão, no caminho.
Há poderes, há dons, que levam anos, para não dizer diversas existências para que cheguemos a perfeição delas.
Todos querem resultados rápidos, principalmente porque vêem a vida como uma só existência e não como um conjunto de muitos retornos (ou reencarnações em alguns casos).


Posso afirmar sem qualquer temor, que já nascemos com a habilidade de nos locomover conscientemente pelo plano Astral, desde a infância já nos era possível explorações e estudos das regiões superiores da natureza... e isto são questões que já havíamos trabalhado muito em outras existências.
E Lhes digo que cada passo que damos em busca de um destes dons ou poderes, se necessita dar cem, talvez mil passos em direção da santidade, e da pureza física, psíquica e espiritual...


Temos sempre falado com franqueza, e hoje não poderia deixar de ser diferente.
Algumas vezes os irmãos nos questionam algumas coisas do ensinamento, e o que não sabemos ou o que queremos confirmar, diversas vezes buscamos estas vivências nos mundos internos.
Ontem dividimos o sono em 3 partes, dormimos duas horas, depois quatro horas, depois mais duas horas. Normalmente temos dormido sete horas, exatamente para que por não dormir demais, não tenhamos a consciência adormecida nos mundos internos... mas ontem fizemos 8 em horários cortados, alternando estudos e meditações entre os Desdobramentos.

Não sei que horas eram quando terminamos as duas primeiras horas de sono mas resolvemos despertar totalmente no físico (remover o sono para o buscar novamente), e fomos ler os e-mails e havia um questionamento sobre o Êxodo, questão que estamos desatualizados já que as informações que tivemos nos mundos internos eram bastante antigas.

Nos pareceu um bom motivo para invocar aos Mestres responsáveis pelo resgate e a transição dentre este processo final da raça e o êxodo.
Estas são invocações delicadas, porque já tivemos experiências negativas ao invocar os Mestres do Espaço, aonde uma entidade tentava se fazer passar por um Mestre, algo nada agradável.

Mas enfim, já havíamos tido sucesso de conversar com estes Mestres no passado, e nos pareceu um questionamento válido para uma invocação.
Nos desdobramos e logo sem muita demora invocamos a dois dos três importantes Mestres responsáveis por estes trabalhos de transição.


Foi a primeira vez que em vez deles virem até nós, fomos levados até eles... sensação nada agradável para o Corpo Astral, pela primeira vez me senti tonto nos mundos internos, desorientado pelo transporte... já havíamos conhecido e visitado naves extraterrestres nos mundos internos, mas nada como o que ocorreu esta noite.
Chegamos em uma sala oval, branca, e nos vimos sentados em uma poltrona negra (haviam outras poltronas iguais), mas estávamos com muitas dores e com um mal estar muito grande. A Visão (astral) parecia afetada e mesmo tentando retornar ao físico, não foi possível. Pudemos ter algumas visões muito interessantes, que não cabe aqui relatar e acabamos que tivemos medo de prosseguir esta busca, e pela região das dores, não vimos outro remédio do que invocar a ajuda do V.M. Samael para que nos tirasse dali.

Acabei que me senti preso, porque não me permitiam retornar ao físico, e fiquei realmente com medo, pelas dores e pela visão totalmente turva, coisa que nunca tínhamos experimentado nos mundos internos.
Mas isto explica do porque algumas pessoas que tem experiências internas com Extraterrestres, sentem-se abduzidas (raptadas).


Os Mestres da Loja Branca, estes Veneráveis Mestres, estão sempre dispostos a ajudar, as vezes não podem pelo processo que está vivendo a pessoa, ou porque a pessoa não faz a sua parte.

Entendam que é muito difícil guiar a Alma Humana neste processo, porque nós precisamos constantemente mergulhar em nosso Abismo interior e resgatar mais consciência, mais luz... e se nos deixam "iluminados" pela luz que já conseguimos obter, a pessoa sente-se grande, e fica tal qual uma mariposa que se debate na luz até a morte, e se recusa a ir a outro canto fazer qualquer coisa.

Por isto que falta iluminação a muitas pessoas, porque não aprenderam que cada subida é precedida por uma baixada e que para cada exaltação necessitamos viver certa humilhação.
Quando aprendermos a mesmo resgatando esta luz, continuemos buscando em nosso Abismo mais e mais frações desprendidas e aprisionadas, da Grande Luz, não ficaremos mais em escuridão.

Agora enquanto a pessoa fique fascinada e aprisionada em tal ou qual paraíso tentador, pois lhe porão sempre no mesmo deserto, até que aprenda que destes oásis, só se deve permanecer tempo suficiente para recuperar suas forças e abastecer-se para continuar a jornada, ou para iluminar o caminho dos demais.


"Princípio do Evangelho de Jesus Cristo, Filho de Deus;
Como está escrito nos profetas: Eis que eu envio o meu anjo ante a tua face, o qual preparará o teu caminho diante de ti.
Voz do que clama no deserto: Preparai o caminho do Senhor, Endireitai as suas veredas.
Apareceu João batizando no deserto, e pregando o batismo de arrependimento, para remissão dos pecados.
E toda a província da Judéia e os de Jerusalém iam ter com ele; e todos eram batizados por ele no rio Jordão, confessando os seus pecados.
E João andava vestido de pêlos de camelo, e com um cinto de couro em redor de seus lombos, e comia gafanhotos e mel silvestre.
E pregava, dizendo: Após mim vem aquele que é mais forte do que eu, do qual não sou digno de, abaixando-me, desatar a correia das suas alparcas.
Eu, em verdade, tenho-vos batizado com água; ele, porém, vos batizará com o Espírito Santo.
E aconteceu naqueles dias que Jesus, tendo ido de Nazaré da Galiléia, foi batizado por João, no Jordão.
E, logo que saiu da água, viu os céus abertos, e o Espírito, que como pomba descia sobre ele.
E ouviu-se uma voz dos céus, que dizia: Tu és o meu Filho amado em quem me comprazo.
E logo o Espírito o impeliu para o deserto.
E ali esteve no deserto quarenta dias, tentado por Satanás. E vivia entre as feras, e os anjos o serviam.
E, depois que João foi entregue à prisão, veio Jesus para a Galiléia, pregando o evangelho do reino de Deus,
E dizendo: O tempo está cumprido, e o reino de Deus está próximo. Arrependei-vos, e crede no evangelho.
"
Marcos 1:1-15


Paz Inverencial!

13/03/13