CLXV
Textos sobre Filosofia
O Eterno Momento

Dentre os muitos aprendizados que temos que ter neste caminho de nosso trabalho Espiritual, existe uma questão realmente muito importante, que é a questão do momento, o eterno momento.

Se formos observar o tempo, do ponto de vista da consciência, do ponto de vista do Ser, ele não existe como uma linha horizontal aonde em um ponto está o presente, de um lado o passado e do outro o futuro.
Para o Ser, para a Consciência, existe apenas este eterno momento, agora, aqui, isto que estamos vivendo é o único que existe.

Pois o passado já foi um destes momentos aonde estivemos lá, vivendo, passando por alguma vivência, e da consequência de tudo que vivemos, tudo que fizemos, somos o que somos. Mas todo este passado está reunido aqui, em nós mesmos, agora. O Passado está aqui e agora conosco.

Aonde está cada um de nós quando crianças? Pois aqui e agora como adultos, ou o que seja. Prova de que o passado não existe em lugar algum senão neste eterno momento.

Se observamos o futuro, ele em verdade não existe, não pode haver nada mais além deste ponto que é o momento que estamos vivendo.
Podemos fazer projeções, podemos imaginar situações, até mesmo profetizar o futuro, mas em fatos são eventos que talvez nem venham a acontecer, porque não ocorreu e tudo pode sempre ser modificado, conforme leis inferiores e superiores da natureza.


Assim é como vêmos o tempo, do ponto de vista da virtude.

Percebam que se atuamos, de momento a momento, vivendo levando em conta o presente, a circunstância atual que estamos vivendo, a consciência sempre estará presente e atuante.
Nossos defeitos justificam sua existência pelo passado, projetam e planejam suas atuações no futuro.

Quando reduzimos o tempo ao eterno momento, a esta vivência contínua que temos a cada momento, Despertamos a Consciência para o real.

Porque o Ego justifica que se agora meditamos, depois descansamos. Se damos o alimento para um pobre, merecemos uma boa refeição.
Percebam que para cada manifestação, mesmo de uma virtude, o eu justifica sua existência dentro de uma continuidade de tempo.

Agora me auto-observo, então depois descanso. Percebem isto?

Pois a única forma, a única maneira de uma pessoa tornar-se séria no caminho, é ignorar a forma como o ego manipula o tempo, e passar a ver o tempo do ponto de vista da consciência, vivendo este eterno momento.

A Consciência, ela passa a atuar constantemente, indefinidamente, pois só existe este momento. Só temos este momento para fazer o justo, apenas agora podemos exercer a Obra, agora... agora...

Assim a cada momento, a cada um destes instantes, cada parte autônoma do Ser, exercerá suas funções, dará a solução para cada enigma da vida, e a vida como vida já não será mais, será o constante ofício deste Sacerdote sem altar. Pois seu altar será a própria vida.

Se agora estamos aqui escrevendo estas palavras, pois estamos aproveitando para ver o que se manifesta em nosso interior, assim também deve o leitor observar não apenas as palavras aqui ditas, mas o que se manifesta dentro de si mesmo, aonde lhe fere, aonde lhe impulsiona, realmente aproveitar cada momento.

Assim não faltará esforço por parte da consciência, a qual indefinidamente, momento após momento, exercerá de espada na mão, todas as suas capacidades e todos os seus atributos.


Entendam que não estamos falando de não fazer previsões, ou não levar em consideração a experiência que tenhamos. Aqui nesta vida não estamos fazendo o papel de tornar-nos elementais da natureza novamente, claro que não.

Quem sai de casa, se pretende retornar, tem que levar sua chave; se está frio deve vestir-se adequadamente. Isto é algo óbvio, algo lógico.
O Problema é que as pessoas viciaram-se em uma comodidade mental que é o que o ego utiliza para sustentar sua mecanicidade.

O Defeito justifica sua existência, e insere estas programações dentro do espaço-tempo. Se atuamos livre destas programações, dando a justa interpretação, a justa ação para cada momento, cada evento, pois como poderia o ego atuar? Ele claro ainda assim atua, tenta atuar, mas sem uma programação, sem uma premeditação, sem experiência, e disto é facilmente localizado, facilmente eliminado.

Necessitamos passar pelo Despertar da Consciência, mas antes disto temos que resgatar esta consciência para que seja desperta. E Para resgatar efetivamente a consciência, temos que nos centrar neste eterno e infinito momento.

08/05/13