CLXV
Textos sobre Filosofia
Desdobramentos da Compreensão

Nos dias atuais vemos a falta que faz a compreensão às pessoas.
Toda disputa, discórdia, desavença, desamor, infelicidade, se dá de fato pela falta de capacidade de compreender uma situação, uma pessoa, ou até a si mesmo.

Passam os anos, passam as eras, e a Humanidade segue carecendo de compreensão verdadeira para suas vidas.
Dentro do homem, cada dom, cada virtude, cada poder, emana desde uma das muitas partes autônomas do Ser.
O Ser, o Íntimo que leva a pessoa nas partes mais superiores e espirituais, é um conjunto destes princípios divinos que o homem deve encarnar e expressar.
Há claro diferentes tipos de percepção, e ferramentas de compreensão espiritual e até física, mas a força que nos referimos da compreensão, é esta que emana desde a Bendita Mãe Divina, Devi Kundalini.
A Compreensão é a virtude que emana desde a Mãe Divina, para que o homem tenha condições de mudar sua própria vida e realizar a Grande Obra.

A Base do caminho iniciático se sustenta sobre a compreensão. Se não compreendemos por exemplo o valor da energia sexual, de nada adianta que nos expliquem, que nos falem, que nos indiquem que o caminho se sustenta sempre sobre a Pedra e que o Sexo é a base da fundação de mundos, de pessoas e até das estrelas do infinito.
Sem compreensão não somos mais do que tolos iludidos com coisas vãs e sem sentido do mundo.

Esta compreensão que emana desde esta parte tão importante do Ser que é a Mãe Divina, é o que nos possibilita compreender a miséria que estamos e permite graças a esta compreensão identificar o que sejam nossas virtudes, o que sejam nossos defeitos e realmente eliminar este Satã que levamos dentro que é o egoísmo.

O Caminho da Grande Obra consiste no Cristocentrísmo e enquanto tivermos dentro de nós o egoísmo, o desejo e as paixões bestiais, sempre seremos inimigos do Cristo.


Esta compreensão que emana desde a Bendita Mãe de Deus, se polariza em duas expressões muito conhecidas que são a Filosofia e a Psicologia. Isto claro em seu nível mais inicial, porque há outras cristalizações.

Porque a compreensão para consigo mesmo, para com suas debilidades gera o principio da Psicologia, exatamente para que uma pessoa aplique sobre si mesma toda esta força necessária para as mudanças já indicadas por esta consciência divinal do Ser.
A Compreensão quando expressa para fora, para com as outras pessoas, expressa-se como Filosofia, como um respeito, uma sabedoria para se transmitir o conhecimento e compartilhar experiências.

Enquanto a Psicologia nos conduz a uma senda de morte (de nossos defeitos, de nossas debilidades), a Filosofia nos conduz a Vida, porque nos aproxima das demais pessoas e por esta necessidade que tem o Ser de doar-se, de compartilhar, de conviver, o faz por meio desta misericórdia.
Sim, poderíamos definir Psicologia como Justiça e Filosofia como Misericórdia, sem dúvida alguma.

Para nós, nos cabe executar com justiça cada debilidade que a compreensão nos assinale, para com os demais nos vale certamente o exercício da Misericórdia e da aceitação de cada um tal qual é.

Não temos como forçar alguém a mudar, pelo menos não mudanças permanentes e que ajudem esta pessoa realmente. Podemos sim dar o exemplo, mudar a nós mesmos, e por este exemplo ajudar os demais em seu progresso.
As palavras sempre podem ser edificantes, se acompanhadas do bom exemplo e isto é a filosofia que nos referimos.


Claro que a Compreensão não se limita a cristalizar-se apenas como Psicologia e Filosofia.
Mas sendo a Compreensão, o conhecimento (Gnosis) algo muito dinâmico e amplo, vemos que há algo mais, certamente há.

Compreensão para com nós mesmos, dá origem a Psicologia (Na verdade é a mesma filosofia mas aplicada para dentro polarizada ao inverso, é uma filosofia interior, pode se dizer);
Compreensão para com os Demais, dá origem a Filosofia;
Compreensão para com a Matéria, dá origem à Ciência;
Compreensão para com a Natureza, dá origem a Arte;
Compreensão para com o Espírito, origina a Religião;

Vemos que a base de todo o conhecimento humano tem origem na força sexual, do impulso sexual é que vem esta compreensão e somente acumulando o fogo sagrado do Terceiro Logos dentro do homem, restauramos estes quatro pilares de nosso templo interior.

A Ciência é a arte de interagir com as coisas materiais, claro que não apenas física como a ciência materialista hoje lida, mas com tudo que seja relativo a estas mecânicas tão naturais do mundo como conhecemos e ainda algo mais que desconhecemos totalmente a grande maioria.

A Arte é certamente uma expressão da Natureza, tudo que é natural inspira a Arte.
A Arte em seu aspecto superior são adaptações, transformações e ligações entre diferentes formas de compreensão.
Qualquer estado anímico percebido pela Psicologia, poderia por meio da arte ser plasmado em um quadro, uma escultura.
Qualquer tratado de Filosofia, qualquer ideal, axioma, poderia também ser retratado pela Arte, expresso de forma simbólica por meio de uma representação natural de questões filosóficas, até religiosas, espirituais.

Quando uma pessoa realmente compreende a Divindade, quando ingressa não apenas no templo mas discorre o véu divino, então surge a Religião.
A Religião é a compreensão da forma de Deus, das diferentes expressões destas partes de Deus e da compreensão do mecanismo que tudo cria e tudo sustenta, em sua parte espiritual.
A Religião vem a ser um guia, uma mescla entre o que seja a Arte, a Filosofia, a Psicologia e a Ciência.

A Parte mais elevada da compreensão é a Religião. Um povo sem religião é um povo amaldiçoado e perdido, infelizmente.
Sempre que vemos as alegorias Religiosas, os símbolos, estamos vendo expressões da arte. As técnicas, os ensinamentos no que diz respeito a purificação, à integração com o espírito, vemos como uma expressão da Psicologia.
Quando nos ensinam sobre convivência, caridade, respeito, estamos vendo no aspecto Religioso a expressão da Filosofia.
Tudo quanto seja prático e seja referente a forma de levar uma vida reta, digna, sã, toca sem dúvida com a parte Científica, também claro estas práticas como são as que nos permitem desenvolver estes dons ocultos, realizar o que para muitos são Milagres, porque desconhecem o Mundo Espiritual, suas causas e seus efeitos.

Arte, Ciência, Religião, Filosofia (e Psicologia como parte interna da filosofia), são desdobramentos diretos da Compreensão que dá a Mãe, como fogo serpentino divino, para todas as Obras que necessita o homem para sua sobrevivência, sustento e superação rumo ao Cristo e ao Pai.

12/11/13