CLXV
Textos sobre Filosofia
Domínio e Liberdade

Temos o impulso de querer impor-nos sobre os demais. Não compreendemos que o estado transitório que nos encontramos hoje outros já passaram e outros passarão a seu tempo. Temos de respeitar a natureza e o momento que cada um vive pois cada um tem o livre arbítrio e o direito de ir e vir, fazer o que queira e claro naturalmente arcar com as consequências de suas ações.

É muito comum ver isto de uma pessoa querer dominar outra, impor sua vontade sobre o que seja a vontade dos demais, um equívoco grave e perigoso, por certo.
Raro é aquele que queira dominar a si mesmo, imitar ao reflexo, a imagem no espelho que é uma exata expressão do que é a pessoa. Em outras palavras, ser uma expressão exata de nosso Ser, da parte real e espiritual de cada um de nós.

O Domínio sobre nós mesmos é certamente prudente e necessário pois temos de selecionar nossos impulsos e entusiasmos e realizar apenas aquilo que de verdade nos convém e nos corresponde. Esta alteração de nossa natureza para corresponder perfeitamente ao que somos nas partes mais sublimes do Ser e da Consciência depende de uma constante reflexão, um constante estado reflexivo frente a todos os eventos tanto externos que ocorrem no mundo, como internos que surgem em nossos pensamentos, sentimentos, ações, etc...


Muitos ao lerem os textos e livros deixados pelos Veneráveis Mestres, acreditarão que estes querem que este leitor se converta em um idólatra destes primeiros, ou quem sabe em um devotado serviçal ou adorador destes, mas a verdade é que tudo que é transmitido, se formos ver na prática, é exatamente para que a pessoa torne-se devota de si mesma, do que tem de mais sublime dentro de si. O Conhecimento, a sabedoria que é entregue, é exatamente para que esta pessoa possa libertar-se deste domínio maligno que cai sobre ela, não apenas internamente mas externamente e que possa dominar a si mesma, ser verdadeiramente livre, no sentido real desta palavra.

Nos antigos tempos dizia-se que o candidato à iniciação devia ser "livre", e esta palavra é bastante exigente se vamos buscar a fundo todas as prisões que estamos metidos tanto psicologicamente, emocionalmente e até socialmente. Ser livre, estar livre, é algo que se faz necessário, e esta liberdade também indica que não exercemos domínio sobre ninguém, pois desta forma estaríamos presos a este sobre o qual exercemos tal nefasto dom.

Não estamos falando de desordem nem de caos ao nos por contra o domínio dos demais. O Que acontece disto de mandar e obedecer é outra questão que também merece certa atenção e estudo mas é diferente de "domínio". Domínio é uma coação, é um mando cego, obrigatório, indiscriminado, inconsciente.


Nisto de mandar e obedecer, vemos que hierarquicamente tanto no mundo, como até mesmo nas regiões celestes há forças maiores que outras e aonde a maior manda e a menor obedece para que haja uma organização e a execução de planos.
Mandar é algo difícil, obedecer é fácil pois a pessoa se entrega cegamente e joga seu destino na mão de outrem.

Quem manda tem sobre si o peso não apenas de seu destino mas do destino de todos àqueles que lhe obedecem. E quem não aprendeu a obedecer não tem condições de mandar, de ordenar coisa alguma, certamente será destes que dominam os demais pela força, gerando karmas terríveis sobre si mesmo, e crimes ao proferir suas ordens.


Mas o ponto importante disto tudo é saber dominar a nós mesmos. Nada é impossível àquele que aprendeu a dominar a sua própria natureza, que transcendeu suas falhas e por este motivo está livre de influências que possam desvirtuar suas ações, seus pensamentos, seus sentimentos. Esta pureza, e esta naturalidade permite com que este expresse seu Espírito e isto é o motivo pelo qual nos fizemos humanos, esta reintegração desta parte humana com seu Ser, sua Consciência, em outras palavras, nossa fração Espiritual.


Errar é humano e é necessário para um aprendizado inicial daquilo que seria muito pior conhecer depois. Se os grandes Mestres não tivessem tido a sabedoria do pecado, de ter errado, equivocado-se e arrependido-se, certamente posteriormente seriam enganados e cairiam no erro...
É se perdendo que muitos se encontram, e temos de respeitar o que vive cada pessoa, sem exercer uma coação, um domínio para impeli-la a algo, pois naturalmente terá o que necessita se sabemos respeitar o livre arbítrio que tem este Seres o impulso que dá a sua fração humana.

Se um homem ruma ou está no Abismo é porque sua Divindade assim permitiu, a verdade é que o Deus individual de cada pessoa é um Ser terrivelmente divino, e se quisesse que esta Alma trabalhasse e realiza-se algo, certamente teria condições de fazer. Não quer dizer que não possamos estimular, orientar, guiar, mas sempre dentro do respeito e da ordem.


Esses espiritualistas que me atacam são mortos vivos, habitantes das velhas tumbas de minhas recordações, eles resmungam os fatos do meu passado, mas aumentando os defeitos que essa velha personalidade teve que eu mesmo destruí para formar a atual e escrito a obra solene que acaba de conhecer”. “Se Luz Bel tivesse conhecido a sapiência do pecado jamais teria caído”. “As donzelas podem cair, mas as Maria Magdalena jamais caem porque tem uma sapiência do pecado e a vertigem do Absoluto. Vivekananda antes de despertar foi mulherengo e vagabundo, Gandhi o Libertador da Índia, antes de despertar foi mulherengo e bêbado, de maneira que se não tivéssemos nos perdido, estaríamos perdidos. A Obra o é todo” - Samael Aun Weor.

Encontramos muitas pessoas no caminho que divulgam o ensinamento e o fazem de muito boa vontade, mas se formos ver na prática a vida destas pessoas, vemos que nada fazem de real no caminho. Não tem avanços e talvez nem compreendam como realizá-lo, ainda assim reconhecem o caminho e estimulam a outros para que encontrem e trilhem tal caminho.
Isto acontece porque a mônada, o Ser de seu Ser, sua primeira emanação do Absoluto (Deus imanifestado), não lhe dá impulso para que realize em si mesmo o que entende que todos deveriam realizar. Estes casos temos de respeitar igualmente e deixar que a seu tempo, a seu momento sua mônada lhe dê o anelo e a vontade de realmente trilhar o caminho e realizar tudo que lhe cabe...


20/01/14