CLXV
Textos sobre Filosofia
Fanatismo

É Verdade que nos falta muita reflexão no que diz respeito a muitas verdades existentes e isto faz com que o indivíduo tome caminhos errados, devido a percepções erradas que tenha.

O Problema não é errarmos, como já sabemos tão bem, e tanto nos é dito, o problema é seguirmos persistindo no erro.
Temos certamente, pelo menos um mínimo de consciência, e sabemos quando estamos causando mal a outros, ou quando as escolhas que fizemos tomam proporções negativas. Assim que é possível corrigir o rumo que algo esteja tomando, se somos realmente sinceros e verdadeiros em nossas ações.

Temos de ser originais, isto é uma grande verdade, seguir moldes, seguir padrões, é certamente algo negativo pois não requer consciência e inclusive costuma ser contrário a mesma. O Problema é que tanto nisto de seguir padrões, o que sob muitos aspectos é necessário, e nisto de seguir os impulso da consciência, temos que constantemente reavaliar nossas ações e verificar os resultados das mesmas.

Aprendizado, compreensão dos resultados e percepção interna, certamente são etapas necessárias para constantemente revisar nossas ações.

O Fanatismo vemos é esta não constatação da consequência de nossas ações, é quando fazemos algo cegamente, sem análise, sem levar em conta percepções internas, apenas fazemos, e fazemos sem levar em conta as consequências, o resultados daquelas ações.

É por isto que dizemos que errar é algo compreensível, mas a permanência no erro, costuma ser resultado de tal ou qual fanatismo.

Podemos fazer parte de um grupo, podemos fazer parte de uma empresa. Se esta empresa vai mal, no sentido de que causa danos a natureza, que prejudica vidas humanas seja moralmente, seja intelectualmente, seja fisicamente, é óbvio que não há sentido em continuarmos contribuindo para algo que é uma raiz do mal no mundo, um problema que vai crescendo e causando cada vez mais mal.

Assim podemos ter fanatismos políticos, religiosos, esportivos, tudo que foge da percepção da consciência naturalmente pode transformar-se em uma ação inconsequente.

O Fanatismo é sempre "estreito", e os fanáticos são sempre intolerantes e inconsequentes. Isto nos recorda os antolhos que se põe nos animais para que olhem apenas para frente, sem poder ver o o que se passa em suas laterais.

Muitas pessoas são totalmente avessas a religião ou mesmo a política, por conta do Fanatismo. Ao depararem-se com personagens incapazes de perceber o mal que causam com suas ações nefastas e inconsequentes, claro se ressentem e entendem que o mal está na Religião ou na Política.

É óbvio que estamos falando aqui na autêntica Religião, da autêntica Política, não no que muitas vezes vemos e que fazem com que as pessoas simplesmente se decepcionem com estas bases que formam a sociedade.

Estamos falando de Religião, de Política, mas poderíamos falar o mesmo da Arte, tão corrompida e mal utilizada, ou mesmo da Filosofia, da própria Ciência que nos dias atuais traz tanta miséria a raça humana.

Em todos os seguimentos da vida, há pessoas que inevitavelmente agem sem levar em conta suas ações e sem reavaliar a cada passo o resultado das mesmas. Traçam um plano e o cumprem, indiferente ao mal que possam estar causando, ou dano que possam estar cometendo.

E isto não dizemos para combater o fanatismo exterior, senão que para que o indivíduo, cada um de nós, cuide-se para não cair no erro de realizar ações sem a devida percepção de se o que está fazendo realmente é correto ou não, ou condiz com aquilo que lhe cabe fazer.

15/12/14