CLXV
Textos sobre Filosofia
Ápice e Retrocesso Tecnológico

Vivemos atualmente um momento de grande avanço tecnológico, constantes criações e modificações surgem a cada momento e inevitavelmente com estes, surgem novas possibilidades.
A Tecnologia por ela mesma é de certa maneira neutra, tão neutra como é a força sexual, no entanto é uma força de grande potencial e inevitavelmente avança velozmente sempre, seja em uma direção seja em outra.

A Vida é uma força cíclica e inevitavelmente assim como o tempo, é curvo (circular, espiralado), e nos traz sempre a nosso ponto de origem inicial, mais o aprendizado do ciclo.

Nós saímos do seio da natureza, e inevitavelmente ao final do ciclo de nossa era, temos de retornar a natureza mais o aprendizado que tivemos. Não estamos falando de tornar-nos seres pré-históricos ou agirmos como índios, senão que retornar ao seio da Grande Mãe Terra, conscientes daquilo que vivemos e fazendo uso de todo este aprendizado que tivemos longe dela.

A Tecnologia é algo muito interessante, é uma força de grande potencial. Podemos utilizar a tecnologia para ilustrar ensinamentos, para fixar de maneira mais eficiente uma informação, nos comunicarmos a longa distância quando há real necessidade, mas também esta pode ser usada para aprisionar totalmente a consciência de um indivíduo, para dominar massas, etc.
Se observamos a fundo o uso que a humanidade faz no dia a dia da tecnologia, vamos chegar a conclusão que praticamente a totalidade do uso que fazem da Tecnologia é egóico, justificando a afirmação que temos 97% de consciência aprisionada em meio a defeitos, e por consequência praticamente a totalidade de nossas ações são de tipo negativo, egóico.

Vivemos em um momento bastante distinto daquele que se deparou o V.M. Samael e outros Mestres da mesma época, e vemos que o ensinamento sempre precisa ser revisto dentro do momento que estamos vivendo. Afinal as forças que levam ao adormecimento da consciência em uma época são diferentes dos que surgem em outra época.

A Solidão para muitos é algo terrível, um momento a ser evitado. A Sociedade prega que devemos estar a meia noite do natal ceando com nossos familiares, ou durante a reunião de ano novo brindando e comemorando a chegada do novo ano. No entanto para a consciência, para o nosso Real Ser, isto se processa ao contrário, pois neste silêncio, nesta solidão, nesta integração com o Divino em nós, é que realizam-se estes prodígios necessários para que ocorra este real avanço no Real Caminho...


Como falar de solidão, de uma atenção voltada a nós mesmos, em uma época de Facebook, de Skype, de Whatsapp, aonde as pessoas ainda sós, não param por um segundo, de falar, de interagir, de voltar atenção ao externo?
Inevitavelmente as pessoas vivem adormecidas e seguirão inevitavelmente adormecidas, se não aprendem a libertar-se daquilo que as aprisiona, e infelizmente a cultura de uma época, de um povo, pode tornar-se um grande obstáculo, muitas vezes intransponível para a Obra de cada um.

Assim como falávamos desta questão do retorno a natureza, e destes processos cíclicos, vemos que a tecnologia inevitavelmente tende, como tudo na vida, a ser superada, a retornar a um ponto matemático aonde teve origem e recomeçar seu ciclo dentro de um outro nível.

Toda esta questão de transferir tudo ao meio digital, seja a parte financeira, seja a vida social, o trabalho, tudo isto tende a acabar inevitavelmente, já que é um avanço feito de forma equivocada, o que hoje ocorre.
E é equivocado porque vemos as massas se afundarem em sonhos, em um sono cada vez mais profundo. A Falta de consciência, as ações provocadas por desejos, por sonhos, por ilusões, sempre conduzem a um beco sem saída.

Assim como este retorno a natureza, a esta integração com a força primordial da vida, não estamos dizendo que é necessário abandonar o meio digital, senão que aprender a utilizá-lo dentro dos princípios da consciência, dos desígnios que dê o Ser.


Afinal o erro é o uso que fazemos de algo, e não necessariamente o objeto em questão. A Água nos é boa quando esteja em seu estado puro, quando a usamos para matar a sede dos seres que necessitam e tem sede. No entanto a mesma água nos é má quando sai dos leitos dos mares e destrói as casas, quando leva consigo montanhas e vidas. Assim o fogo, nos é bom quando nos serve de iluminação, de fonte de calor, mas nos é negativo quando destrói lares ou consome os bosques.
A Tecnologia é similar, enquanto esteja a serviço da consciência, sirva como um ponto de apoio para a manifestação do Ser, certamente é uma excelente ferramenta, mas no momento que sirva para fortalecer nossos defeitos, que nos cause um entorpecimento da consciência e a perda dos valores morais e distanciamento de nosso Espírito, com certeza torna-se algo abominável e extremamente negativo.

Então que não estamos dizendo que se faça ou não se faça algo, senão que se submeta isto a uma análise, que se leve isto a consciência individual que temos, pois certamente é nosso maior guia. E inevitavelmente sabemos, sabemos quando algo está sendo mal usado, ou bem usado, afinal os resultados são análogos a sua origem.

22/01/15