CLXV
Textos sobre Filosofia
A Destruição de Tudo

A Vida a nível de uma existência vemos é algo muito curto...
Levamos tanto tempo para aprender qual é o sentido da vida, que quando buscamos cumprir com estas realizações, muito comumente não temos o devido tempo para realizá-las tal qual deveríamos.
Há muitas questões que se temos a devida compreensão, a devida vivência nestes assuntos, o caminho espiritual torna-se muito óbvio e muito fecundo de realizações.
A Grande premissa da vida, é que tudo se encaminha para a morte, inevitavelmente. Tudo o que conhecemos e o que desconhecemos teve um princípio e terá um fim, isto é uma verdade imutável. Tudo que um dia existe, tem de deixar de existir, e naturalmente os universos, os mundos, os planetas, os países, as famílias, as pessoas, as células, moléculas, tudo tem uma vida e existe por um tempo limitado.

O Problema é que existem leis que regem esta vida, e estas leis permanecem ativas e, em novas manifestações desta vida, voltam a agir sobre estes princípios manifestando-se sob novas formas. Então que fica claro que por mais que tudo aquilo que construamos ao longo de uma vida, no sentido material, não carreguemos conosco, inevitavelmente o resultado de nossas ações, o resultado de nossas criações, sim, carregamos.

Então que sob esta ótica desta verdade perene que sempre nos rege, temos de entender o que realmente tem propósito criar, o que realmente tem propósito para nós realizar, ao longo de uma existência. Porque tudo se desfaz, nada é eterno. Mas os valores espirituais que geramos ou que gastamos ao longo de uma existência, é algo concreto que levamos conosco mais além de uma existência.


A vida provê naturalmente, situações muito interessantes e úteis, dentro deste parâmetro divino das realizações, basta que saibamos aproveitar.
O Problema maior não costuma ser o que temos, mas como usamos... Afinal a posse de algo de nada nos serve, dentro do parâmetro divino, o que importa é como utilizamos isto. Desafortunadamente isto é algo que não nos cabe crer ou duvidar, temos de nos fatos perceber esta verdade atuando e fazer-nos conscientes acerca desta verdade que nos cerca e atua sobre nós, diariamente.

Existem muitas pessoas que lutam por diferentes "bandeiras", sejam elas de tipo político, religioso, social, profissional, familiar... Isto é algo muito perigoso quando não atuamos realmente por consciência, por uma determinação deste principio que é o que realmente somos, o Ser.
Aí entra isto que estamos comentando... as diferentes situações políticas que existem tem um principio e tem um fim, assim como os diferentes partidos... a religião também existe como forma, para atuar dentro de um período de tempo, para certas culturas, para aquele momento que vive uma humanidade. Assim os demais âmbitos aonde pode haver parcialização com algo. Porque hoje nascemos em um país, em uma família, amanhã retornamos ao mundo com outra pátria, com outros pais, com outros irmãos...

Se percebemos que hoje estamos de um lado, e que amanhã podemos estar do outro, só nos resta trabalhar por aquilo que é realmente real, por aquilo que nos fará hoje e amanhã sermos íntegros, sermos verdadeiros, sermos fiéis aos desígnios que nos dê nosso Ser, que nos impulsione nossa Consciência.
Isto não quer dizer deixar de cumprir com nossas funções naturais como filhos, como cidadãos, senão que cumpramos com isto de maneira consciente, de maneira a levar em conta que ainda acima disto há outras forças as quais não podemos ignorar.

19/03/15