CLXV
Textos sobre Filosofia
Dosagem

A Vida se baseia no equilíbrio natural dos seus elementos.
Para que uma pessoa exista como vemos, é necessário que uma série de elementos harmonizem-se dentro daquele corpo para que se possa manifestar-se.
Tudo na vida é uma questão de equilíbrios, de dosagem.

Se aplicamos muita força a algo, rompemos, quebramos. Se aplicamos pouca força, não temos o resultado esperado.
Se aplicamos muita Misericórdia, teremos Anarquia, se aplicamos muita Justiça, teremos uma Tirania.


Em tudo há isto do equilíbrio, pois é uma força sustentando a outra.
No parte da Medicina, bem sabemos que o que difere um Remédio de um Veneno é exatamente a quantidade.
Não é atoa que muitas pessoas ao tomarem um excesso de medicamento tiveram graves problemas e até vieram ao óbito. Se uma medicação tomamos pouca quantidade, o contrário do exagero, não teremos também o efeito necessário para a cura.

Os Mestres comentam e ensinam que há de equilibrarmos o Ser e o Saber, isto é, a parte Íntima nossa, e aquilo que somos, que sabemos, que conseguimos expressar disto.
Se nós somos somente Espírito, se não temos o mínimo desenvolvimento humano, teremos um Grande Ser, mas fazendo muitas bobagens no mundo, exatamente pela falta da sabedoria humana, de uma forma adequada para expressar-se. Teremos o Sábio tolo, como diz o Mestre Samael em suas Obras.
Se pelo contrário, temos um bom entendimento das cosias humanas, da língua, da forma como vive e atua a sociedade, e não temos desenvolvido, encarnado o Íntimo, a parte Espiritual, a Consciência, a Alma realmente expressando-se, teremos um Materialista, um Cético, uma pessoa a mais cometendo crimes pelo mundo, porque ignora tudo aquilo que seja mais além dos sentidos humanos.


Nós temos na Obra de aprender a dosar, o que vem de dentro, e o que vem de fora... Porque mesmo na sabedoria Esotérica, há de não só levar em conta o ensinamento externo que recebemos, mas também o interno. Igualmente além do conhecimento interno que recebemos, temos de levar em conta o externo.

É mais ou menos aquilo que é dito da Teoria e da Prática... porque o que é Prático para nós é aquilo que vivemos, aquilo que chegamos por nós mesmos, e a Teoria é tudo o demais, que venha como uma informação.
Isto é algo fundamental para que possamos realmente seguir o caminho espiritual. Porque vemos muitas pessoas presas em normas, em regimentos, em "termos", e inevitavelmente há muito mais o que levar em conta. Igualmente o inverso, há pessoas que atuam totalmente o inverso e certamente equivocam-se a cada instante de suas vidas, por esta falta de equilíbrio.

Dizemos que A Iniciação é a vida, sabiamente vivida... assim que o Caminho e a Vida, no final das contas, para o Iniciado, são uma mesma coisa que devem equilibrar-se. Porque é na Vida, nas nossas ações, nas nossas decisões, que estaremos percorrendo o santo Caminho.

Claro que esta dosagem que nos referimos é algo muito específico, não estamos falando de sermos "mornos", no caminho, ou nas vivências esotéricas, pelo contrário, é saber viver intensamente o caminho, equilibrando as diferentes fascetas que necessitamos vivenciar a cada instante de nossas vidas.

A Própria Obra é um constante sobe e desce esotérico. Um constante Solve et Coagula... porque necessitamos em um momento dissolver, e em outro cristalizar, sejam as virtudes, sejam os corpos internos, etc.
Porque inevitavelmente necessitamos reduzir esta pedra que somos em pó, então selecionar os melhores grãos e então refazer esta pedra, totalmente pura... e a cada novo nível, renovamos esta pureza sob um diferente prisma.

Assim que atravessamos muitos portais, passamos por muitos aplausos e por muitas vaias, mas ao Iniciado o que cabe é seguir seu caminho, indiferente sempre a esta dualidade porque não podemos cair em nenhum destes extremos que é aonde está o delito e a negatividade.
O que há é equilibrar a parte Interna com a parte Física, e cumprir no mundo com os desígnios que tenhamos de nosso Ser, e que cabe a ele realizar por meio da pessoa humana.

19/05/15