zzzzzzzz

 

CLXV
Textos sobre Filosofia
(Arcano X) O Recomeço

Os números em si tem uma sabedoria infinita, um potencial tão vasto e complexo de informações conscientivas que somente com plena integração com nossas capacidades internas e com Deus, podemos extrair um potencial satisfatório desta sabedoria transcendental que são irrefutáveis verdades universais que regem os mistérios da vida e mais além dela como conhecemos.

Deste ponto em diante não trataremos dos Arcanos relacionando-os para com a Iniciação visto que não teria sentido ou serventia explicar tão textualmente a relação dos Arcanos com as Iniciações Maiores ou o que esteja mais além disto, visto que grande parte, a absoluta maioria não terminou de trilhar as etapas mais básicas do caminho (A Senda Probatória), e o que ocorre na Alta Iniciação já não precisa ser explicado pois tem-se a guiatura interna para vivenciar em fatos tais processos.

Assim que trataremos dos Arcanos deste ponto em diante e de seus Axiomas como um conselho, uma sugestão, um diálogo entre o Mistério do Número e o leitor, para que possa buscar compreender e aplicar em sua vida tais mistérios, dentro do processo que lhe corresponda viver.

Tudo na vida tem um principio e tem um fim, e este fim não é exatamente o final, senão que uma ponte para um novo começo. Nada realmente acaba, deixa de existir totalmente, senão que transforma-se em algo diferente e estas transformações ocorrem também no caminho já que a cada processo morre algo e por consequência nasce algo dentro do Iniciado.


"Custoso é o saber que compras com a experiência e mais custoso o que te falta comprar." - Axioma do Arcano X

A vivência é sempre uma experiência transformativa... tudo aquilo que hoje somos, é certamente o resultado das distintas vivências e processos os quais ao longo das existências trilhamos.
A vida é sempre algo cheio de recomeços, de novas etapas e isto é algo muito marcado não só nos processos da vida humana mas também na vida animal, vegetal, mineral e até mesmo na parte espiritual em geral.

A Obra que nos corresponde vivenciar é sempre o resultado de muitos recomeços, recomeços estes que claro não se dão da mesma maneira já que não haveria propósito em submeter o mesmo indivíduo duas vezes a um mesmo processo, senão que claro é uma repetição ascendente em uma forma mais profunda e mais elevada o que ocorre nestas repetições.

Tanto é assim que mesmo uma prova iniciática, ela nunca é aplicada duas vezes da mesma maneira. Se o iniciado falha em uma provação iniciática, a repetição do processo jamais será o mesmo, isto porque não é possível conduzir duas vezes o mesmo indivíduo a um mesmo ponto e o que viveu está encarnado nele de uma maneira que faz parte dele. Assim que o que é esperado em um primeiro momento pode que não seja o mesmo que se espera em uma segunda vivência do mesmo fato.

O Caminho em fatos ele é uma repetição de processos em esferas cada vez mais elevadas e isto são eternos recomeços...
Tudo aquilo que vivemos em uma iniciação qualquer se repete ao longo do conjunto por exemplo das Nove Iniciações de Mistérios Menores, assim cada Iniciação de Mistérios Maiores é um ciclo muito similar e repetitivo do conjunto do que vivemos ao longo do conjunto das Nove das Iniciações de Mistérios Menores.
A Própria Autorrealização é algo que temos de repetir pelo menos três vezes para que possamos ingressar ao Absoluto, e isto tudo nos mostra a constante recorrência em vivenciar os mesmos processos, ainda que em escalas cada vez maiores e superiores.

Nós realmente não temos a mínima ideia da extensão e da dificuldade que seja percorrer todo o caminho, que dirá o que esteja mais além da nossa compreensão do que é o caminho. E a verdade é que somente temos a devida compreensão e o entendimento real destes processos conforme vamos vivendo cada um destes processos e encarnando estas forças que são as capazes de seguir com as demais etapas iniciáticas que nos corresponde viver.


Há muitas coisas que se olhamos mais a frente do que nos corresponde viver, mais além do processo que temos de trilhar neste momento, teremos sofrimentos e dúvidas desnecessárias já que certamente não temos como ter a devida compreensão dos fatos que obviamente estão muito a frente ainda do que nos corresponde viver e por consequência não temos a capacidade conscientiva para compreendê-los.
Cabe a nós sempre fazer o possível que é o relativo ao que temos já encarnado, que deste processo de encarnar frações da Divindade, assim nos capacitamos e fazemos possíveis as coisas impossíveis.

24/11/15