CLXV
Textos sobre Metafísica
Jóias Sagradas Entregues nos Mundos Internos

Há tantas coisas escritas nos livros dos Mestres, tantos detalhes que nos deixaram, que as pessoas em sua maioria lê intelectualmente e isto nunca passa de uma informação jogada em um canto da mente sob a posse de algum Eu Psicológico.

O Adepto, ou pelo menos um aspirante ao Adeptado deve fazer o caminho inverso, ele vive a prática (uma vez que já tem o conhecimento intelectual) e se tem dúvidas que não consegue solucionar pela meditação e os meios possíveis recorre aos Livros para a apreciação.

Vemos que algumas pessoas apesar de não ter o conhecimento fazem mesmo sem querer aquilo que o Mestre ensina, mesmo sem ter lido ou recebido tal orientação.

Há mais de seis anos atrás tive uma experiência nos mundos internos aonde me foi entregue um Anel, este anel tinha o Símbolo de um Oito sem a parte superior, não exatamente o símbolo de Touro mas muito similar, após receber o anel me foi dito que servia para controlar o Fogo e logo me vi em meio a um incêndio e claro fiz uso do anel para extinguir a chama.

Foi uma experiência intensa e nunca me esqueci daquele anel, passou algum tempo um irmão me mostrara que havia feito um anel, tal qual eu havia visto no Astral, exatamente um anel do tipo Chevalier com o tal Signo sobre ele.

Aquele irmão certamente havia vivido tal idêntico processo mas mesmo quem sabe sem recordar teve o ímpeto de cristalizar tal anel.

No Capítulo 67 do Livro Mistérios Maiores, escrito pelo V.M. Samael Aun Weor lemos o seguinte: "No astral recebemos jóias sagradas que devemos fazer e consagrar para as usar."

Em síntese estas jóias que recebemos no Astral, dentro do possível e de sua finalidade o Iniciado deve quando for conveniente criar uma réplica física de tal jóia para que sirva de canalizador das forças internas que representa.

Digo isto porque desde o inicio do trabalho, muitas pessoas já tem vislumbres de certas coisas internas e muitas vezes não tem o entendimento de como proceder quanto a certas coisas.

Claro que se a pessoa sonha e se não é uma experiência consciente, deve sempre submeter a análise deste sonho e posteriormente a meditação. Nisto não há falhas, quem tenha posse de sua consciência e seja capaz de sentir e se conectar ao Ser sempre encontra respostas mesmo que posteriormente a mente não aceite ou conteste.

Estas jóias comumente o iniciado recebe conforme atinge alguns graus normais da iniciação ou outras vezes é referente a Graus Secretos que podem ou não serem conquistados.

Há alguns graus que são referentes a entendimentos e compreensões que a pessoa seja capaz de chegar, outros são referentes a ações físicas ou internas que o iniciado venha a participar. Igualmente em certa altura se recebe um Anel que simboliza o Raio a qual pertence.
Os Iniciados que retomam o caminho e já realizaram a Obra igualmente revivem algumas experiências com certos símbolos e Jóias Astrais, Mentais, etc..

Nos limitamos a não relatar quando se recebe ou quais formas tem algumas destas jóias, exatamente porque desta forma se continua velado o Mistério de cada iniciado e se pode usar sem ferir os princípios da Obra.

Há que se realmente submeter sempre a uma análise consciente por meio da meditação a todo símbolo que se perceba ou encontre em jóias nos mundos internos, exatamente porque alguns deles podem corresponder a épocas de "capa caída" como diz o Mestre, e isto muito certamente não nos convém cristalizar.

Os Distintivos que se recebe no Astral podem ser feitos como um pingente dentro do possível, já que como Distintivo seria algo Absurdo na atualidade de alguém aqui no físico utilizar. Isto não significa que se vá fazer jóias e pingentes de tudo que vamos recebendo, mas normalmente o Ser não deixa transparecer tudo então que em meio a esta obscuridade ele deixa algo significativo chegar até a memória e claro dá a pessoa um sentir de que é especial, é este que se deve fazer.

O Mestre igualmente recomenda que os iniciados façam anéis e pingentes de símbolos como o Selo de Salomão ou um Pentagrama Esotérico e se possível que contenham os sete metais, isto exatamente porque são símbolos que naturalmente vamos receber e se já temos, cumprem seu papel ao seu momento.

Se a pessoa vai sem saber aonde pisa, sem recordações por algum motivo, pode fazer algum destes que o Mestre indica, são grandes acumuladores de energia e sempre servem como um estímulo. Para sua consagração além das Atividades específicas de Segunda Câmara, podem consultar o livro que já citei sobre outro procedimento (Mistérios Maiores).

26/11/11