CLXV
Textos sobre Metafísica
A Profecia do Exílio

É muito interessante como nossa Divindade interior tem o dom de nos surpreender com informações precisas em momentos oportunos.
Realmente não consigo sentir outra coisa senão este assombro e respeito por estas informações que sempre nos chegam em momentos tão oportunos e de maneiras tão inusitadas.


Há uma prática que é entregue no livro "Tratado de Medicina Oculta e Magia Prática" do V.M. Samael Aun Weor, que sempre utilizei para dialogar com meu Ser, com os Mestres, quando queria fazer alguma consulta mais literal, já que a linguagem usada para nos responder através da meditação ou do desdobramento interno é distinto.

A Prática é exatamente a seguinte:
"Os que não sabem sair em corpo astral podem consultar os Senhores da Lei abrindo a Bíblia. Antes de abri-la, roga-se aos Leões da Lei e pede- se permissão para executar o trabalho mágico. Depois, abre-se o livro com os olhos fechados e, ao acaso, pedindo aos Senhores da Lei que guiem sua mão, pousa-se o dedo índice sobre qualquer versículo. Abre- se os olhos para ler o trecho. A Bíblia é altamente simbólica. Interpreta-se esse simbolismo com base na lei das analogias. Com um pouco de
bom senso, pode-se interpretar o versículo sobre o qual havíamos posto a mão. No entanto, esta advertência serve apenas para os trabalhos executados sobre a vontade de nossos semelhantes."

Neste caso o Mestre Samael indica que podemos usar isto para dialogar com os Mestres do Karma, mas se formos observar é uma consulta como o que fazemos ao Tarot, ou a qualquer oráculo similar, já que pedimos aos Mestres ou ao Ser, que guiem nossos sentidos, para que possamos obter "o sinal" de resposta ao que ansiamos compreender.


Fazia já bastante tempo que não realizava esta prática, ontem tive este anseio profundo de compreender melhor algumas coisas e fiz três consultas distintas. Uma claro relativo ao Ser, uma relativa ao trabalho interno, e a última em relação a Obra que corresponde a pessoa humana realizar no mundo.

Muito interessante foi a resposta a terceira pergunta, já que foi muito clara e objetiva em relação a processos que já ocorreram e hoje ainda se finalizam, tal como foi escrito neste trecho bíblico.

Parte do trecho assinalado como resposta foi o seguinte:
"1 Veio a mim a palavra do Senhor, dizendo:

2 Filho do homem, tu habitas no meio da casa rebelde, que tem olhos para ver e não vê, tem ouvidos para ouvir, e não ouve; porque é casa rebelde.

3 Tu, pois, ó filho do homem, prepara a bagagem de exílio, e de dia sai, à vista deles, para o exílio; e do lugar aonde estás parte para outro lugar à vista deles. Bem pode ser que o entendam, ainda que eles são casa rebelde.

4 À vista deles, pois traze para a rua, de dia a tua bagagem de exílio; depois, à tarde sairás, à vista deles, como quem vai para o exílio.

5 Abre um buraco na parede, à vista deles, e sai por ali.

6 À vista deles aos ombros a levarás, às escuras as transportarás; cobre o teu rosto para que não vejas a terra; porque por sinal te pus à casa de Israel.

7 Como se me ordenou assim eu fiz: de dia, levei para fora minha bagagem de exílio; então à tarde com as mãos abri para mim um buraco na parede; às escuras eu saí, e aos ombros transportei a bagagem à vista deles.

8 Pela manhã veio a mim a palavra do Senhor, dizendo:


9 Filho do homem, não te perguntou a casa de Israel, aquela casa rebelde: Que fazes tu?

10 Dize-lhes: Assim diz o Senhor Deus: Esta sentença refere-se ao Príncipe de Jerusalém e a toda a casa de Israel, que está no meio dela.

11 Dize: Eu sou o vosso sinal. Como eu fiz, assim se lhes fará a eles; irão para o exílio, para o cativeiro.

12 O príncipe que está no meio deles levará aos ombros a bagagem, e às escuras sairá; abrirá um buraco na parede para sair por ele; cobrirá o rosto para que seus olhos não vejam a terra.

13 Também estenderei a minha rede sobre ele, e será apanhado nas minhas malhas; levá-lo-ei a Babilônia, à terra dos caldeus, mas não a verá, ainda que venha a morrer ali.

14 A todos os ventos espalharei todos os que para o ajudarem estão ao redor dele, e todas as suas tropas; desembainharei a espada após eles.

15 Saberão que eu sou o Senhor, quando eu os dispersar entre as nações e os espalhar pelas terras.

16 Deles deixarei ficar alguns poucos, escapos da espada, da fome, e da peste, para que publiquem todas suas cousas abomináveis entre as nações para onde forem; e saberão que eu sou o senhor.
" - Ezequiel 12:1-16

18/06/14