CLXV
Textos sobre Metafísica
O Despertar da Consciência e o Bodhisatwa

Muito falamos em nossos estudos sobre a Consciência, sobre este processo do Despertar da Consciência, de como realizar isto, as consequências de realizar este trabalho e também das consequências de não realizá-lo.
Hoje queremos nos adentrar um pouco mais nestes assuntos, analisar mais profundamente alguns conceitos e explicar mais claramente algumas questões sobre a Consciência e o seu Despertar.

Conforme realizamos estes trabalhos de morte de nossos defeitos, vamos liberando e despertando nossa consciência, isto é claro o resultado de trabalhos conscientes e padecimentos voluntários como nos afirmam os Mestres.

Nosso Material Psíquico, nossa Essência, nossa Consciência, nossa Alma, está aprisionada dentro destes diferentes defeitos que carregamos, conforme eliminamos um a um estes elementos que aprisionam nossa consciência, nossa Psique, nossa Alma, é claro isto gera um poder único dentro da pessoa. Com este material que vamos resgatando dentro de cada um destes defeitos, vamos posteriormente formando o dito Embrião Áureo, que é o que permite grandes avanços em nosso caminho.

Reencarne é possível para quem possua este Embrião Áureo, já que este indivíduo já tem consciência desperta. Claro que o reencarne não é possível a todos, as pessoas retornam, inconscientemente, sem escolha, porque não tem consciência para realizar estas escolhas, não estão despertas. Quem forme este embrião áureo, quem desperte a consciência, tem por direito a oportunidade de escolher dentro de seu Karma, a família, a nacionalidade, a época, que queira reencarnar-se. Claro que o melhor é sempre deixar estas escolhas ao Pai que está em segredo, afinal é ele esta estrela que sempre nos sorri e nos guia e que nunca erra em suas decisões. Os Bodhisatwas caem, erram, quando não fazem a vontade do Pai que está em segredo e não seguem a sua Bendita Mãe Kundalini.

Na verdade antes que surja o Embrião Áureo, chegamos primeiro a dita Pérola Seminal, que ao ser desenvolvida, então sim converte-se no Embrião Áureo.

O Que nos confere este embrião Áureo, é exatamente o equilíbrio entre o físico e o interno, entre o espiritual e o material, enlaçando assim perfeitamente estes dois mundos, equilibrando-os em benefício de nossa Obra.

Que fique claro que os que possuem o Embrião Áureo, claro tem Consciência Desperta, ainda que logicamente o Despertar da Consciência tenha muitos níveis e graus.


O Embrião Áureo é imperecível, imortal e eterno, diz o Venerável Mestre Samael, nem mesmo com a queda da Alma Humana este perece. Então fica muito claro, que todo esforço que façamos pelo despertar da consciência não é em vão, afinal o Embrião Áureo é eterno.

Poderia um Bodhisatwa cair na degeneração animal, poderia mesmo passar pela segunda morte infernal, após involuir nas entranhas da terra, mas o Embrião Áureo continuaria ativo e se manifestaria plenamente quando este chegasse mais uma vez ao Reino Humano.

Mesmo com a incidência do Bodhisatwa nos erros comuns e correntes da humanidade, mesmo com o ressurgimento do ego dentro do mesmo, sua consciência ainda que enfrascada em meio aos defeitos, permaneceria latentemente desperta, não adormeceria completamente, ainda que perdesse porcentagens de sua lucidez.

30/06/14