CLXV
Textos sobre Metafísica
Sementes Podres

Muitos termos que são utilizados como xingamento popularmente, não carregam por eles mesmos, um tom de desprezo, senão que uma informação relativo a natureza que queremos expressar.

Muitas vezes vemos os Mestres utilizar o termo "ignorante", e se chamamos pela rua alguém de ignorante, se afirmamos que esta pessoa ignora algo, certamente sentiria-se muito ofendida, como se estivéssemos tentando lhe ofender, já que estas palavras cotidianamente são utilizadas como ofensa.


Assim que sempre é difícil falar de alguns temas, já que as pessoas sentem-se ofendidas, ainda que nossa intenção seja apenas transmitir uma informação, uma vivência, uma conclusão prática daquilo que pudemos comprovar.


Hoje temos de falar sobre o homossexualismo, o impulso que algumas pessoas tem de realizarem o ato sexual com o mesmo gênero sexual.
Toda a degeneração sexual, termina culminando no homossexualismo. A Perda constante de energia seminal, o coito constante buscando o prazer, ainda que feito com um parceiro do sexo oposto, em algum momento, no decorrer desta degeneração, termina em homossexualismo.

Nós todos ao chegarmos ao reino humano, quando nossa Alma nasce como "pessoa", como o "animal intelectual" que chamamos homem, temos 108 existências, estas 108 existências tem por objetivo nos permitir transcendermos a natureza humana e chegarmos a uma etapa superior ao Homem, tornar-nos Anjos.

A Divindade, o Cristo Sol, cria a humanidade, a vida como conhecemos, os mundos, com o objetivo de que esta humanidade transcenda sua natureza e se eleve ao estado de Super-Homem, no entanto sabemos que poucas sementes, poucos indivíduos, transcendem sua natureza.

A Vida é dual e tudo que não anda em uma direção anda em outra. Tudo aquilo que não está evoluindo, está involuindo. Assim que o homem se não está melhorando, se não está avançando, está regredindo.

O Sexo é a base daquilo que somos, na semente humana se encontra tudo aquilo que somos, é o resumo de tudo aquilo que temos encarnado. Assim que as árvores tem em sua semente a base daquilo que são, assim como os animais...

Dizem os Mestres e assim vemos na prática, que naturalmente conforme a pessoa perde o sentido da percepção do sentido da função sexual, ela vai degenerando até chegar ao homossexualismo. Também nos dizem os Mestres que quando a pessoa torna-se em fato homossexual, indica que a Alma já não voltará a tomar corpo físico, visto que para o experimento Solar, não tem condição de progredir.
E isto é muito interessante e nos traz muitas reflexões, visto que é a própria energia a que nos dá o impulso sexual, e se nos dá o "impulso errado", indica que está em decadente processo degenerativo.

Afinal para que haja a vida, é necessário homem e mulher, as duas polaridades, em conexão falo e útero, já que outras modalidades sexuais não são reprodutivas, então também não servem para a criação espiritual.

O Símbolo CLXV, como já dissemos em outras oportunidades é isto, o Homem e a Mulher (1 e 0), o Falo e o Útero (6 e 9), unidos (8)..

Há muitas coisas interessantes nisto da homossexualidade, digo no estudo deste processo degenerativo da força sexual, visto que normalmente retornamos ao mundo físico em nossa própria familia, e como o homossexualismo não gera rebentos, termina ai esta linhagem. Alguns dirão de meios artificiais de reprodução, mas nestes casos nascem apenas quaternários, ali encontram-se quatro corpos integrados se manifestando, mas não uma Alma encarnada.

Há um caso de uma pessoa que não queria mais tomar corpo físico e uma das provas para não retornar ao mundo (antes de sua hora), era passar por um local aonde haviam muitas mulheres insinuando-se sexualmente, e se a pessoa se deitasse com alguma delas, ingressaria a seu ventre, estaria ligado a ela pelo laço materno.
Interessante que vemos como há uma desconexão destes processos que trazem a vida, mesmo biológica, quando da degeneração dos princípios sexuais.


Por isto que o Mestre Samael em certo momento utiliza o termo "sementes podres", ao referir-se as pessoas que perderam o impulso sexual para com o sexo oposto e passaram a ter o impulso para pessoas do mesmo sexo. Pois a semente já não tem o impulso "de vida", nem no sentido físico, nem no sentido espiritual.

E São karmas muito difíceis que tem de sofrer estas pessoas, pois como vemos tão abundantemente nos dias atuais, muitas pessoas nascem por karma, com um corpo vital de natureza contrária ao seu gênero físico, o que gera distúrbios psíquicos e físicos que fazem com que vivam com muita dificuldade, sem que elas mesmas tenham um sexo definido, já que olham-se e veem um gênero, mas observam-se internamente e sentem-se de outro.


Nós nascemos pelo sexo, e certamente transcendemos a natureza física pelo sexo. O Cérbero da antiga mitologia é o próprio impulso sexual, esta força que gera a semente madura, nos guiando ao sábio manejo da mesma, nos liberando dos infernos atômicos aos quais estamos aprisionados.
Assim que, quem não tenha este impulso, como poderá guiar-se?


Sentir prazer, ter deleite no ato sexual não é errado, o problema é a fornicação. E a fornicação não é outra coisa senão o desgaste desnecessário da energia. No caso da prática homossexual, todo o contato sexual é fornicação, pois nada se cria da conexão sexual de polos iguais, senão claro forças negativas, como larvas de toda espécie, corrupções, fecundações negativas da energia sexual.
Mesmo na prática homem-mulher, falo-útero, há esta questão de manter a castidade, que é o contato sexual sem o orgasmo. Isto é certamente a base para o avanço espiritual e a integração com esta natureza do espírito e uma revalorização e transcendência da natureza material.
Afinal para a procriação somente é utilizado um espermatozoide e um óvulo, todo aquele excedente de espermatozoide é desperdício, e isto enfraquece aquele que libera esta energia, já que é uma energia que poderia e que deveria ser usada para reforçar sua moral, seu espírito e mesmo seu corpo.

19/01/15