CLXV
Textos sobre Metafísica
"Números de Azar"

Hoje voltava de uma caminhada e fazia reflexões sobre as percepções que geram os números para com as pessoas.

A Consciência conforme vai despertando, é capaz de ter em tudo um oráculo, afinal uma núvem no céu, algumas letras que nos chamem atenção, uma cor, uma palavra, uma cena, uma paisagem, tudo é um diálogo com o Criador, se estamos integrados com Ele.
Afinal se o céu nos chama atenção em um momento específico e lá vemos uma forma qualquer, ali veremos muito similarmente ao que é a clarividência, afinal é uma leitura que fazemos das forças sutís que nos rodeiam. Assim que qualquer sinal ao nosso redor, podemos interpretar como algo de bom ou de mau agouro, de acordo com este sentir que nos traga tal objeto ou situação.

O Problema é quando criam-se conceitos fixos acerca de algo, quando se retira a função da consciência em avaliar e observar internamente o que aquilo signifique para conosco.

Falando disto me recordo uma vez há muito tempo atrás que saia da casa de meus pais, após uma visita feita a estes, e sentado, no meio da rua, havia um gato negro de olhos brilhantes, postado exatamente em frente a porta da residência destes. O Gato não se movia, não olhava sequer para o lado, senão que fixamente em frente, de onde me dirigia.
Se o gato estivesse pelo menos na outra calçada, se estivesse fora de uma linha reta, se estivesse disperso (sem este fixo olhar), em fim, qualquer variante do que vi, possivelmente não me faria ter a percepção que tive, já que se alinharam muitas circunstâncias para que aquela cena pudesse acontecer. Então entendi porque algumas pessoas atribuem a um gato preto que cruza o caminho, como um sinal de azar.
Claro que Azar é simplesmente algo desagradável, negativo, que não fomos capazes de prever. Assim como Sorte são situações agradáveis, eventos benéficos que também não tivemos a antecipação de perceber se encaminhado para acontecer.

Assim que, é óbvio que não estamos atribuindo ao Gato Preto o título de portador da "má sorte", senão que por sua elevada percepção interna, é sim, capaz de assinalar diferentes situações as quais nos é importante preparar-nos.
Aos que temem um gato preto, lhes digo que é o inverso, afinal se este poderoso elemental é capaz de nos alertar de algo, e assim podemos voltar nossos dons ao que este esteja querendo indicar e perceber o que se aproxima. Ou se não temos condições de saber, pelo menos sentir e atuar com mais cuidado, já que costumam ser predições de eventos próximos.


Há muitos números que já fizeram penar muitas pessoas, afinal cada número é um Ser vivo, uma força a qual representa algo na criação. Tudo sabemos pode e é representado por números, mesmo as primeiras letras, estas surgiram como representação de potências de forças, e estas nada mais são que números, falando claramente.

Para algumas culturas o número 8, é um sinal negativo, e se entende o porque algumas pessoas tem o 8 por negativo pois representa a justiça (divina), então claro que se as pessoas cometem delitos, tem de temer o que é justo, afinal a justiça busca reparar aquilo que está desequilibrado.
Mas falemos de um número mais conhecido, o 13, este é certamente talvez dentre todos um dos mais tidos como prenúncios de azar. Alguns sábios afirmam que como os 12 representa a perfeição, já que existem doze signos no zodíaco, doze meses tem o ano, doze eram os apóstolos, dentre outras coisas, o 13 é o rompimento com o ciclo, é um fim, um recomeço, que na verdade é o que representa realmente o 13, a Morte, a Imortalidade.
E o 8, se formos observar tem este mesmo aspecto, afinal são sete dias que formam a semana, existem sete logos planetários, e se observarmos tem o mesmo significado que o 13, pois é um incremento do que já é perfeito.

O Treze tem por muitas vezes este presságio de morte, não necessáriamente a morte física, mas o fim de algo, o recomeço, mudanças... e as pessoas não anelam mudanças, elas não querem morrer, deixar de ser o que são, ainda que sejam isto que são apenas superficialmente.

É de estranhar a vida que levam as pessoas, porque buscam tudo aquilo que inevitavelmente perdem ao final da vida e por isto temem tanto a morte. Juntam dinheiro, títulos, honras... prazes, em fim, tudo aquilo que não as acompanha mais além desta jornada que é uma existência. Nem mesmo terão a memória das tantas coisas que fizeram, porque a memória que levam é algo muito distinto daquilo que temos gravado enquanto vivos e de nada nos servirá ao longo das outras existências.
Esta memória que temos das ações da vida, vemos está muito ligada a personalidade, a existência como fração da vida, mas nos é inútil e até um obstáculo para processos mais além disto.
Nós levamos da vida aquilo que somos, carregamos o resultado positivo ou negativo, de cada ação que realizamos. O Aprendizado que levamos, a "memória" que carregamos é aquilo que verdadeiramente encarnamos como Consciência destes eventos que passamos na vida.

As pessoas sonham com uma vida boa, no sentido de serem felizes, de serem saudáveis, de terem condições de viver bem... e na verdade suas ações egoístas sempre ao fim lhes levam ao caminho totalmente oposto daquilo que ansiavam.

Assim que se entende a revolta para com o 13 que tem algumas pessoas, afinal é "a morte" de algo e as pessoas querem viver, querem viver... ainda que isto custe sua Alma, ainda que isto custe desvincular-se de sua parte Espiritual. Buscam uma vida que na verdade é a pior morte que pode passar um indivíduo.
Recordemos da Santa Ceia, aonde Jesus (o 13º) celebrou a santa ceia com seus doze apóstolos e logo viveu o drama do calvário. Ele aceitou a morte porque viu nela a vida, a verdadeira vida.

No Tarot de Kier, que é o que normalmente consultam e estudam os Gnósticos, há outro número bastante interessante que é o número Quinze. Ali neste tarot temos sob o nome de "A Paixão", mas em outras versões do Tarot encontramos como "O Diabo".
Bem, o Fiabo em seu aspecto inferior é o principio que em nós origina cada pensamento, sentimento ou ação negativa. Também claro são os demônios que conhecemos tão bem ao longo da história. Dentro de nós são nossos defeitos psicológicos este Diabo em forma negativa, fora são também a corrupção deste principio divino.
O Quinze, assim como é o 8, o 13... é este rompimento esta elevação de algo que fomos, em benefício de algo que temos de vir a ser. E o Quinze não é diferente, porque em seu aspecto superior o 15 representa a Lúcifer, que é a potência criadora, o Luzeiro da Manhã.
Isto do Diabo ser negativo, é porque ele realmente é, mas dentro de nós, também dentro destas Almas que divorciaram-se de seu Íntimo. No entanto o próprio Arcanjo é a fusão do Cristo com este Lúcifer individual.

Não podemos pensar que o Lúcifer planetário é um Diabo como pintam os dogmáticos, ou que o Lúcifer do Sistema Solar seja assim, ou mesmo o da Galáxia. Mas ainda assim, aos que não compreendem estes mistérios, o 15 representa temor, já que vêem o que levam dentro.


Claro que todos os números tem sua dualidade, todos os números podem nos indicar um bom ou mau presságio, tudo depende acima de tudo de nossa conciência para discernir quando surgem para representar uma ou outra situação.

Mas voltando ao caso do 13, há regiões do planeta aonde não se constrói o 13 andar, exatamente pelo receio da presença desta força. Também porque em muitos lugares não há quem deseje morar neste andar, afinal é "o que rege" ali.

Certamente para quem siga o caminho, não é inconveniente ajustar suas contas para com a Justiça (8), nem mesmo seria um problema passar por transformações ou mesmo a morte (13). De forma alguma temeria o 15, já que é a raiz de nossa Obra, no 15 está a transformação da podridão no mais elevado que conhecemos.
Assim que o que muitas vezes são presságios de mal agouro para a humanidade, para o iniciado são apenas indicativos de importantes circunstâncias as quais temos de aproveitar sabiamente para nosso avanço interior.

21/02/15