CLXV
Textos sobre Metafísica
Assinatura Astral dos Logos

Em nosso último diálogo, falamos a respeito dos Dhyani-Bodhisatwas que são a representação e o desdobramento de um Logos.
Os Logos são a própria harmonia da criação em suas diferentes formas, notas e cores.

Estes princípios são uma fração da grande e soberana Divindade, a qual estes Logos vem a ser a representação e a expressão em seus diferentes aspectos.

Para nós o mais importante neste momento é conhecer profundamente os Sete Logos de nosso Sistema Solar, já que são estes Sete Logos que regem nossas vidas e que podem nos auxiliar e influenciar positivamente em cada etapa do caminho que nos propomos trilhar.

Temos sete principais planetas em nosso Sistema Solar, e em sua ordem são estes Lua, Mercúrio, Vênus, Sol, Marte, Júpiter e Saturno.
Em sua ordem, o Logos de cada um destes planetas, é Gabriel, Rafael, Uriel, Michael, Samael, Zachariel e Orifiel.

Cada um destes logos tem sua particularidade, afinal é uma fração de Deus, e cumpre uma função objetiva na criação, dentro do que é o seu domínio.

Gabriel, rege a arte, os líquidos (recordemos que a lua influencia drasticamente as marés e mesmo o fluxo de líquidos nas plantas e em nós). Rege também a maternidade, dentre outros como a Agricultura. A Vida.
Rafael, rege a ciência, os negócios, as notícias (sistemas de informação), etc. A Sabedoria.
Uriel, e por consequência Vênus, relaciona-se com os Matrimônios, assuntos de amor, música, poesia, etc. O Amor.
Michael, relaciona-se com assuntos relativos a Posição Social, Hierarquias, organização, mística. O Esplendor.
Samael, o regente de Marte, está relacionado com questões militares, polícia, liderança e lideres. A Força
Zachariel, rege assuntos mais profundos na parte militar (assuntos de maiores hierarquias, amplitude), também no que é relativo a tribunais, justiça e julgamentos. A Justiça.
Orifiel, por consequência Saturno, por fim, rege o subterrâneo, tudo relativo a terra e o que fique sob ela... cavernas, minas, mortos, plantas (porque para a planta nascer a semente morre, então relaciona-se também com agricultura).

Muitos destes logos tem funções similares, dentro de contextos diferentes... Na Agricultura vemos o trabalho constante tanto da força Lunar como a Saturnina, afinal há um constante ciclo de vida e morte, até que surjam os frutos.
Ainda que também Gabriel reja a arte, vemos que a arte pode manifestar-se de maneira mais específica, entrando no âmbito dos outros logos, como no caso de Uriel com a poesia e artes manuais, ou com Rafael aonde entraria a parte informativa, descritiva. Já o que na manifestação da Lua seria relativo uma história fictícia muitas vezes, um filme, uma novela.

Estes logos são para nós uma constante influência, tão presente quanto nossos amigos e familiares, por isto é importante conhecê-los, compreendê-los e tê-los perto a cada momento do caminho.

Nosso próprio ano individual, que começa no dia de nosso aniversário, é regido por estas diferentes regências destes sete planetas. Se dividimos os 365 dias do ano em 7 (os Sete logos), teremos uma regência de 52 dias para cada logos.
Assim que no dia 01/01 de qualquer ano, teremos pelos próximos 52 dias a regência de Gabriel, assim como se nascemos no 01/08, pelos próximos 52 dias teremos uma regência particular de Gabriel, ainda que a nível geral exista outra regência.
Assim se entende porque próximo ao aniversário, as pessoas costumam ficar apreensivas, negativas, surgem muitas vezes situações difíceis, doenças, problemas etc. Estas duas últimas regências, a de Zachariel e de Orifiel, a regência de Júpiter e de Saturno, costumam ser bastante difíceis, devido as forças com que se relacionam (A Justiça e a Morte).

A Própria idade, referindo-se as diferentes etapas da vida, relaciona-se com a regência dos diferentes logos. Não há como adentrar nisto, mas recomendamos a leitura do Livro Educação Fundamental, do V.M. Samael Aun Weor, para aprofundar-se neste estudo.


Então que se temos uma dificuldade e queremos solucionar isto, se temos algum anelo e precisamos realizar, podemos e devemos apelar a esta fração da Divindade, que são estes Logos, no que seja relativo ao seu campo de trabalho.
Assim que se um casal tem dificuldade de ter filhos, pode trabalhar com Gabriel, pois este em sua síntese é a própria vida. Todo problema de harmonia entre o casal, pode ter ajuda do logos Gabriel (dentre claro outros logos, dependendo do contexto, já que Uriel é o amor).
Se nos falta comprovação em algo, se necessitamos saber, já que o Ser o Saber devem andar equilibrados, podemos trabalhar com o Logos Rafael, dotando-nos de uma inteligência superior e de uma ciência capaz de penetrar nos diferentes reinos da criação.
E assim os demais logos, como explicamos linhas acima, dentro das possibilidades que listamos e muitas outras mais.

Claro que estes logos relacionam-se com muitas forças e elementos muito além do entendimento humano, e do que é possível descrever com nossa linguagem, assim que não fiquemos limitados a esta explicação textual para suplicar ajuda à algum dos logos.

Os LOGOS não são um indivíduo, não são sequer um Íntimo, afinal como já dissemos o próprio Íntimo e Alma Divina de um Logos, nada mais que é do que seu Dhyani-Bodhisatvva, então que são forças realmente divinas e cuja natureza está integrada com a vontade e a harmonia do Deus Universal.

Existem tábuas matemáticas, que estão diretamente relacionadas com cada um destes Logos.
Gostaria de usar as palavras originais do Mestre Samael, no que diz respeito a estes Quadrados Mágicos dos Logos, do livro Manual de Magia Prática:
"Para invocar os deuses, há que conhecer os algarismos matemáticos das estrelas.
Os símbolos são o vestido dos números.
Os números são as entidades vivas dos Mundos Internos.
Os algarismos planetários produzem resultados imediatos terríveis.
"

Assim que, existem Sete principais quadrados mágicos, os quais referem-se aos Sete Logos.
9x9, da Lua;
8x8 de Mercúrio;
7x7 de Vênus;
6x6 do Sol;
5x5 de Marte;
4x4 de Júpiter;
3x3 de Saturno.

Nestes quadrados matemáticos, existe uma sequência de números, sem repetirem-se, os quais estão organizados de maneira que se somamos os dígitos seja na horizontal, seja na vertical, teremos um mesmo resultado, sempre.

Todos nós temos uma afinidade muito especial com algum destes sete em específico, afinal para a Mônada, nosso principio divino, ingressar neste sistema solar, ele precisou fazer isto sob a regência de um destes logos.

Vamos demonstrar o Quadrado Mágico de Júpiter, para citar e exemplificar.
O Logos de Júpiter, Tábua Matemática, uma forma de 4x4, como já dissemos.
Então esta tábua (ou quadrado) tem 16 campos (4x4), e por consequência serão os números ali entre 1 e 16 (1, 2, 3, 4, 5, 6, 7, 8, 9, 10, 11, 12, 13, 14, 15, 16).
Assim que estes números são organizados nesta tábua de maneira a formar uma harmonia entre eles, aonde chegamos a constante, aonde se somamos tanto na horizontal como na vertical, obteremos o resultado de 34. A soma de seu conteúdo, ou seja de 1+2+3+4+5+6+7+8+9+10+11+12+13+14+15+16 é 136, isto é chamado "Total" da Tábua em questão.
Então resumimos que o Quadrado Mágico de Júpiter tem 4x4, CONSTANTE 34, TOTAL 136.

Se organizamos estes dezesseis números buscando esta constante 34 que nos referimos, vamos chegar ao seguinte:

4
14
15
1
9
7
6
12
5
11
10
8
16
2
3
13


Peguemos a primeira linha horizontal para fazer o teste: 4+14+15+1 = 34;
Testemos a última vertical: 1+12+8+13 = 34;
Assim as outras linhas terão o mesmo resultado, a constante 34.

O Problema desta quadratura, é que não tem uma forma assimilável, algo que possamos evocar, nos conectar profundamente, principalmente porque não é algo que possamos imaginar, nos recordar.
Todos já devem ter brincando durante a infância daquele jogo aonde ligamos os pontos, aonde estes são numerados e ligamos o 1 com o 2, o 2 com o 3, o 3 com o 4, etc.
Se nestas Quadraturas fazemos isto, vamos encontrar um desenho, uma forma, uma imagem, um símbolo, o que é chamado Assinatura Astral.
Os sábios das diferentes épocas tiveram formas distintas de ligar estes números, alguns ligaram todos em sua sequência, mas podemos também ligar apenas o número sequencial no que é relativo a uma linha/coluna.
O Que quero dizer é que como o quadrado de Júpiter tem 4x4, podemos ligar quatro números, então interromper a ligação e ligar mais quatro, mais quatro e mais quatro. O Resultado é bastante similar, mas tem diferentes aplicações um caso e outro.
Dentre os sábios, também há os que fazem o looping infinito do símbolo, ligando o último número com o primeiro, fazendo uma linha final, e também existe os que mantém o símbolo sem esta ligação final, além de claro ligar todos os números, sem o intervalo que comentamos.
Explicamos aqui estas variações, para que compreenda e intua quando usar um caso e outro, dentro do contexto que vai utilizar o símbolo.

No Símbolo acima, a esquerda, vemos como foi comentado a ligação de quatro linhas cada vez.
No Símbolo acima, a direita, vemos todos os números ligados sequencialmente, mas sem a linha final que une o primeiro e último número.

Para dar outro exemplo, vejamos a Assinatura Astral do Quadrado Mágico da Lua (9x9, nove linhas por vez, sem elo infinito)

Estes símbolos são literalmente o equivalente a Tábua Matemática dos Logos. Então que podem ser usados tanto como em joias (como amuletos), bem como nos trabalhos de Quadratura.
Em uma emergência podemos nos concentrar na Assinatura Astral destes logos e suplicar-lhes o que necessitamos.
Também na privacidade de nosso Santuário ou de nosso Lar, podemos usar estes símbolos em nossos trabalhos de quadraturas.

06/04/15