CLXV
Textos sobre Metafísica
As Bençãos do Céu e do Abismo

"Pelo Deus de teu pai, o qual te ajudará, e pelo Todo-Poderoso, o qual te abençoará com bênçãos dos altos céus, com bênçãos do abismo que está embaixo, com bênçãos dos seios e da madre." - Gênesis 49:25

Toda a humanidade tem um entendimento bastante contrário a realidade, sobre muitos pontos que dizem respeito as realidades internas, as diferentes dimensões e as diferentes regiões existentes nestas distintas dimensões.
Também nós que buscamos seguir o caminho interno, espiritual, no que se refere a Autorrealização Íntima do Ser, acabamos criando conceitos falsos sobre muitos temas metafísicos, já que muitas vezes temos apenas uma informação intelectual a qual mal interpretamos, visto que não tivemos vivências e experiência concreta, real, nestes temas.

Quando pedimos à Deus, ao nosso Pai, que nos leve aos Céus, este sempre nos conduz ao Abismo, as regiões inferiores da natureza.
Não, isto não é um equívoco, mas é porque o Abismo é a porta de entrada das regiões celestes, visto que se não nos purificamos, se não vencemos os processos desta contraparte celeste, não temos o direito de ingressar nestas regiões e por isto tal fato.

Os Deuses, em seu processo de conquista dos diferentes paraísos planetários, lhes compete descender ao Tártaro, a morada infernal, de cada uma destas regiões e assim ascender ao seu respectivo céu, conquistando o próximo nível nesta revolução em seu aspecto mais superior.

Para formar-se um Anjo, necessita o sábio Mestre, já em processos de Segunda Montanha, descender ao abismo lunar e cumprindo com a primeira façanha de Hércules, logo ascender ao céu lunar e nascer como Anjo.
Para formar-se como Arcanjo, necessita o Anjo, descender ao inferno mercuriano, vivenciar os processos de liberação desta região e assim ascender ao céu de Mercúrio como um Arcanjo, e assim por diante.

Assim que necessitamos receber as bênçãos infernais e também as bênçãos celestes, para que possamos concluir cada uma destas etapas.
Isto visualizamos como um Santo Oito (8), aonde o Ser, estando no ponto central, logo descende pelo círculo infernal (0), e logo passando novamente pelo ponto central faz o percurso celeste (1). Este constante descer para subir, é muito significativo.

Este descer, não é um processo negativo, reforçamos que não é uma queda ou um abandono da Obra, um retrocesso, como muitas pessoas equivocadamente supõe e deixam-se levar em suas vidas.


Na verdade, mesmo nas Iniciações Maiores, cada canhão, cada vértebra a ser conquistada, é antes que o fogo e a luz inunde estas diferentes câmaras, ou cômodos internos, um verdadeiro abismo aonde somos provados e se purificados, conquistamos este salão transformando-o em algo divino.


No Abismo entramos de duas maneiras, conscientemente para vencer o mal, redimir-nos. Ou inconscientemente para pagar por nossos delitos os quais não nos redimimos, não logramos vencer.

"As bênçãos de teu pai excederão as bênçãos de meus pais, até à extremidade dos outeiros eternos; elas estarão sobre a cabeça de José, e sobre o alto da cabeça do que foi separado de seus irmãos." - Gênesis 49:26

 

24/04/15