zzzzzzzz

 

CLXV
Textos sobre Metafísica
Vivos que estão mortos e suas influências

Nós todos os dias estamos rodeados das mais distintas influências. Sejam elas logóicas como é o caso dos Astros Celestes e seus alinhamentos, seus posicionamentos no céu, a polaridade que neles esteja manifesta em relação ao nosso planeta; sejam influências atômicas, orgânicas, espirituais, regências, etc...

Em fim, todos os dias sofremos constantemente centenas de milhares de influências, algumas para a luz, outras para as trevas, umas que nos levam a evoluir, outras que nos arrastam à involução. E não é porque uma força, um elemento, esteja involuindo ou evoluindo que não hajam sub frações de sua natureza contrária atuando nos pormenores de sua manifestação.

Assim há mesmo ambientes cuja natureza nos impulsiona para algo bom, para algo mal, ou mesmo para algo revolucionário, mais além das dualidades.
É muito comum uma pessoa entrar em um ambiente aonde pratica-se algum delito, e sentir-se impulsionada a cometer o mesmo delito que ali são cometidos. Isto claro porque levamos em nosso interior o mesmo elemento, uma fração disto que neste local atua e como fisicamente nos colocamos neste lugar, internamente este elemento vê-se atraído a manifestação.
Claro que isto ocorre também com eventos, e o próprio interior, aquilo que temos dentro, é o determinante para as ocorrências externas.
Vemos como as pessoas costumam incidir ao longo de suas vidas no mesmo erro, constantemente, exatamente porque sua natureza interior a atrai para eventos e para circunstâncias no relativo ao que "é" esta pessoa internamente.

Claro que nem tudo é negatividade, muitas vezes belas oportunidades e maravilhosas circunstâncias dentro do ponto de vista divino se manifestam exatamente por conta destas frações de consciência que já temos livre e encarnada. Claro que muito disto já é o resultado de trabalhos feitos em outras épocas, ao longo de outras existências, e quem sabe algo mais que tenha a pessoa conseguido lograr ao longo da atual. Mas é comum também vermos como surgem oportunidades de fazer o bem, o justo e o certo, quando se faz ativo em nosso interior esta fração que temos disto que é o Ser, que é a Consciência. Também claro como surgem situações para provar-nos em nossa vontade, em nossa consciência e em nossa obediência, respeito e acato ao Ser.

Mas como dizíamos, temos muitas influências, sejam elas divinas como são as bênçãos que recebemos da Divindade, seja pela luz que emana de nossa Consciência ou mesmo de nosso Íntimo, destas ajudas que nos dão os Mestres e guias, dentre outros similares; sejam também elas diabólicas, seja dentro de nós, destas debilidades que internamente carregamos, sejam influências externas, vindas e emanadas do próprio abismo, ou mesmo das pessoas que em sua negatividade proliferam o mal no mundo por sua atmosfera egoísta e negativa.

Há pessoas cuja proximidade nos ativa a mais profunda manifestação da Consciência e daquilo que carregamos do Ser... mas também há pessoas cuja proximidade nos causa efeitos extremamente indesejados como se nos tornássemos menos inteligentes, menos conscientes, menos capazes.
Sentimos isto, e sentimos com muita razão, esta emanação de algumas pessoas, porque como dizem alguns sábios, há mortos que estão vivos e há vivos que estão mortos.
É indispensável entender que há pessoas aonde o único que exalam é o mal, é o delito, o crime, o vício, etc. E a proximidade com estas pessoas, realmente torna-se algo tão nocivo quanto a proximidade com qualquer substância nuclear ou mesmo venenosa a nosso organismo.
Claro que quando a pessoa estabelece em seu interior um centro de gravidade superior a atração e a manifestação negativa destas pessoas, é possível pela convivência reduzir ou mesmo eliminar a manifestação deste mal, quando esta pessoa ainda tenha em seu interior um vínculo com sua Alma.

Há muitos choques, há muitos traumas, que fazem com que a Alma desligue-se totalmente de um veículo material. Que é o que em geral causa em um organismo humano esta influência tão negativa e perceptível aos demais. É claro que algo ainda "vive", mas ainda assim, torna-se um quaternário, uma forma divorciada da parte espiritual, totalmente.

Quando a Alma vê-se incapacitada diante de uma situação cometida pelo veículo humano, e percebe como impossível continuar unido, discordando totalmente com a manifestação humana, ocorre este desmembramento da Alma e do Ser, do restante (quatro corpos inferiores e frações de Alma demasiado presos no ego).
Claro que muito disto que nos referimos são casos extremos, e coisas as vezes para a sociedade nem tão extremas mas completamente incompatíveis com certas diretrizes divinas, por assim dizer.
Muitos atos de crueldade são a origem deste desligamento da Alma (e do Ser)... também esta crueldade é por vezes e comumente o resultado deste desligamento, já que sem nenhuma fração de consciência, a pessoa, o restante humano que segue vivendo, não tem mais o impulso divino, a guiatura, a luz do espírito e neste caso não possui mais o julgamento do que é certo ou errado aos olhos de Deus, senão talvez por um conceito.

Há diversos tipos de quaternários, até porque há Almas em diferentes processos de Despertar e muitas vezes o que resta no organismo que vemos no mundo tridimensional é uma fração não tão negativa do mal, mas já sem uma Alma presente, também sem sua pior fração a qual já pode ter sido conduzida diretamente ao Abismo para a involução (destruição).
A Alma é muito similar ao mercúrio, ela une-se como tal, e pode ser dividida em menores frações e separada. Assim que a Alma é o conjunto de distintas frações de essência ou de Consciência, que podem ou não estar aprisionadas. Estas frações aprisionadas nos recordam muito o que ocorre quando separamos uma fração de mercúrio e transformamos em amálgama pela adição de prata. Pois esta Amálgama devido a estas "impurezas" por assim dizer, por haver se fusionado com algo que não é de sua natureza, não une-se ao restante do mercúrio que está livre e em sua forma original.
Vemos que o Mercúrio deste caso pode ser retirado e podemos deixar apenas distintas frações de Amálgama em um recipiente, simbolizando exatamente o Quaternário animado por uma fração de Alma, inconsciente, adormecida e aprisionada em algum defeito.
Como o restante Divino, Desperto, Consciente vê-se incompatível com esta manifestação negativa em específico, retira-se para logo reincorporar-se em outro organismo ou mesmo para suas merecidas "férias" celestes.


A Questão é que temos de ficar muito reflexivos a todo momento, principalmente dentro do que seja estes anseios mais extremos e estes limites que tem a fração Consciente de nós mesmos, para que não ocorra esta ruptura que aqui relatamos. Também claro temos de nos cuidar de influências negativas, as quais podem por vibração, nos conduzir a estados negativos suficientemente fortes para causar este trauma que gera o Quaternário.
Há muitos ambientes, que por sua negatividade e pela negatividade das pessoas ali presentes, que são causa suficiente para a Alma retirar-se completamente de um organismo vivo. Claro que isto dentro de um contexto muito específico, afinal há seres Divinos que atuam no Abismo conscientemente e cumprem com funções específicas, mas não estamos falando destes casos e sim de pessoas comum e correntes que muitas vezes fazem escolhas negativas e ações negativas principalmente por influências externas que não foram capazes de dominar ou mesmo de filtrar.

10/03/16