zzzzzzzz

 

CLXV
Textos sobre Metafísica
O Resgate das Almas

A Alma como bem sabemos, é o princípio intermediário entre o Íntimo e os demais veículos inferiores, dentro eles os "Corpos de Pecado" e a própria Personalidade humana.
Nós não somos apenas aquilo que vemos, além de nosso Corpo Físico existem outros veículos tais quais podemos listar a própria Personalidade que são estes caracteres de interação humana como são os hábitos, os costumes, as manias, e demais aspectos seculares os quais nos inserem dentro de uma sociedade e permitem a adaptação e a integração com as demais criaturas viventes e o momento que vive uma humanidade. Cada existência cria sua própria personalidade de maneira a nos permitir ter uma expressão adequada ao momento que nos corresponde encarnar-nos.
A Personalidade ela por si só é um veículo de manifestação temporal, que é criado ao longo da vida, principalmente nos primeiros sete anos de existência, também com a morte, separa-se dos demais veículos internos e perece com o tempo e com o esquecimento.
Nós não somos a Personalidade, esta nossa forma de falar, de atuar, de interagir com as pessoas, grande parte disto, são características que aprendemos ao observar as demais pessoas já inseridas no mundo que vivemos. A Própria linguagem que falamos, o nome que temos, os interesses alimentares básicos e as vestimentas... tudo isto a princípio são apenas características da Personalidade, ainda que claro um pouco disto que somos é manifesto por conta da própria Alma e muito do que incorpora-se como Personalidade pode integrar-se com a Alma, por geral negativamente, como agregados psíquicos, defeitos psicológicos.

Todo trabalho começa pela personalidade, final há muitos hábitos, muitos costumes, muitas manias, as quais são incompatíveis e completamente inadequadas para aqueles que buscam a autorrealização, a realização da Grande Obra, a Cristificação e mesmo o que esteja além disto. Isto do trabalho sobre a personalidade, requer principalmente vontade, observação, também auto-observação, afinal os vícios que estejam ligados não apenas a Personalidade, precisamos encontrar seu par em nossa Psique e então ou separar um do outro, ou Eliminar o Eu que alimenta este hábito da Personalidade. Em geral as pessoas no começo da Obra não tem a capacidade ou o entendimento de como eliminar um Eu e por consequência precisam atuar de maneira a desvencilhar o Eu em questão da Personalidade e então moldar a personalidade de acordo com a Consciência e o que entenda ser o justo.
A Obra não se fundamenta em um código ou em uma norma, claro há orientações, há especificações que certamente nos servem de auxílio e de sábia orientação de como proceder e em que colocarmos nossa atenção e nossos esforços, até que sejamos capazes por nós mesmos de assumir as rédeas deste Magistral trabalho que nos compete realizar.
Mas as modificações que temos de realizar, seja na personalidade, sejam nos demais níveis internos, são naturalmente autorreveladas, como uma percepção clara do que é o Justo, do que é o necessário, como um impulso da própria Consciência e uma guiatura do próprio Ser. E é isto que precisa ser claro e manifesto em nossa Obra, exatamente para que seja fecunda e tenhamos os resultados adequados. Assim que se não reconhecemos algo como um defeito, ou não temos o impulso de eliminá-lo, corremos o risco de apenas transformar algo negativo em outra coisa negativa, a qual teremos de reaprender e re-observar toda sua manifestação e sua estrutura pois tornou-se algo novo. Então cuidemos as mudanças inúteis, isto tem tomado muito tempo de muitos Iniciados, os fazendo apenas revolverem-se nas trevas em vem de ascenderem à Luz.

Nós temos além do Corpo Físico, um Corpo Vital, também um veículo de manifestação Astral, Mental. Estes chamamos quatro corpos de pecado, porque foram gerados de maneira Lunar, na verdade não são Corpos Solares, não foram gerados pela Luz e para manifestação na Luz, e isto requer que os recriemos, por nós mesmos e de maneira consciente, sob a estrita guiatura de nosso Real Ser, nossa Divindade Individual.
Não podemos pensar em Cristificação, sem antes criar em nossa estrutura a capacidade de tornar manifesta a força que nós chamamos de Cristo mas que já teve muitos nomes ao longo das eras e das humanidades que aqui ou em outros planetas já existiram. É óbvio que de acordo com a Cultura, de acordo com a Época, de acordo com o estágio que vive a humanidade, estes ensinamentos são dados de distintas maneiras, sob diversos nomes e diversas formas, mas o Princípio é imutável, e esta força que a cada um cabe encarnar, tornar-se um com ela, precisa de uma estrutura, de um recipiente devidamente preparado e isto é parte de nosso trabalho realizar.
Pelo sexo fomos criados, e usando esta mesma energia nos recriamos. A Grande diferença é que nosso corpo físico foi criado por apenas um espermatozoide e um óvulo e para a Solarização dos Corpos, necessitamos transformar dentro de nós mesmos a totalidade da matéria sexual em energia transcendental a qual é a base para a criação destes veículos que por fim passam por este processo que chamamos de Cristificação.
Infelizmente não nos basta apenas por meio da Alquimia Sexual, criar estes corpos, precisamos remover de cada um deles suas impurezas, afinal não queremos criar uma proteção ao mal que existe dentro de nós, senão que queremos criar um recipiente para esta força superior que queremos encarnar.

A Alma está muito além da Personalidade, do Corpo Físico, deste Veículo Vital o qual é o assento da própria vida biológica que conhecemos, a contraparte do Corpo Físico. Também está além de nossas Emoções, nossos sentimentos. A Alma está além da Mente e dos pensamentos... a Alma é a própria Vontade, a qual pode estar integrada com a Alma Divina como manifestação da Consciência e por consequência do próprio Ser, do Íntimo, ou corrompida por desejos egoístas e materiais, identificada com as dimensões inferiores e abismais.

A Alma ela não é como o Corpo Físico, algo interligado e único, ela se assemelha muito a um líquido metálico, em sua manifestação, visto que se divide, se polariza, pode tomar distintas formas e expressar-se em distintas regiões.
A Alma é o Terceiro Poder, e é o principio mais inferior da Tríade Inferior, afinal Depois do Pai, do Filho e do Espírito Santo, encontramos o Íntimo a Consciência e a Vontade (A Alma Humana).
Nós em geral podemos denominar-nos como esta Alma Humana, somos a Alma, e nos manifestamos por meio dos Corpos Inferiores e da própria Personalidade. Claro que muitas pessoas identificam-se com seu corpo físico, ou mesmo com sua personalidade, mas naturalmente no caminho comprovamos o que realmente somos e entendemos que estes são apenas veículos de manifestação os quais servem a um propósito e logo são descartados dando lugar a novos veículos. Não é muito diferente a manifestação da Alma no corpo como uma pessoa que entra e sai de um Carro, coisa que ocorre todos os dias, cada vez que repousamos em nosso leito, e fazemos uso do Corpo Astral (ou de Desejos), aonde ocorrem estas manifestações noturnas que chamamos de sonhos.

Muitas coisas ocorrem a todo momento, e não são perceptíveis porque não temos em geral uma Visão ou uma Percepção, já que existem outros sentidos internos, do que esteja ocorrendo no aspecto interno da natureza, no entanto os efeitos disto são perceptíveis em nossa vida, e mesmo em nosso interior, nossos pensamentos, sentimentos, instintos, vontades.

Cada mudança concreta na Alma, provoca uma série de transformações em todas as regiões, visto que os pensamentos são resultados de um pensador, e que os sentimentos igualmente tem uma origem e isto constantemente vemos está atrelado a nossa Alma. Assim que nossa boca fala do que o coração está cheio, como dizem alguns sábios. Por este motivo, qualquer modificação, seja positiva ou negativa, da própria Alma, tem um efeito diretamente relacionado as ocorrências em nossa vida, já que ao liberar-nos de um defeito, uma virtude manifesta cria ondulações específicas tanto nas regiões da vontade, do pensamento, do sentimento, mesmo cristalizações no corpo vital ou físico e tudo isto modifica as circunstâncias ao nosso redor e as ocorrências em nossa vida.


Igualmente há ocorrências negativas, nefastas, as quais podem causar muitos danos a uma Alma e por consequência a vida de um ou de mais indivíduos como um todo. Há forças que são capazes de aderir a estes corpos internos, ou mesmo capturar frações da própria Alma com fins nefastos. É óbvio que a pessoa por si mesma é de certa maneira culpada por isto, já que é exatamente por esta "afinidade com o mal" que torna-se vítima destes ataques, algo que pode obviamente ser transcendido seja por si mesma, seja pela ajuda de outros Seres.

No passado já pude observar nos mundos internos, o caso de Algumas Almas que sofreram ataques de Magia Negra e foram aprisionados internamente. Algo que obviamente não relaciona-se com a condução da Alma ao Abismo, mas a captura de uma fração de Alma e uma por assim dizer, "Maldição" que recai sobre a mesma.

Alguns dias atrás me deparei com mais um caso destes, nos mundos internos, aonde uma Alma havia sido raptada por forças negativas e usada como sacrifício na conjuração de um "Mal Maior". E isto tem um impacto muito grande na vida da pessoa, visto que por conta de estados negativos as quais se encontre, acaba sendo conduzida e utilizada para evocar forças ainda mais maléficas que ela própria.
Obviamente esta Alma foi devidamente resgatada, mas são casos que poderiam não ocorrer, caso a própria pessoa fosse capaz de auto-observar-se, e mesmo realizasse um mínimo de asseio psicológico/emocional. A Maioria dos estados negativos os quais as pessoas deixam manifestarem-se por meio delas, não são simplesmente o resultado da manifestação do mal, mas a evocação de algo alheio a pessoa, o qual pode este sim, complicar muito mais do que a pessoa é capaz de suportar, sua própria vida.


A Alma como já dissemos não é uma unidade, uma pessoa pode estar viva, atuante e tendo uma Alma, e ter partes de si mesma, frações desta Alma, seja involuído, seja atuando em regiões superiores, integrado com o Ser.
A Alma como um todo não é jogada ao Abismo, até porque há frações as quais não tem culpa e são isentas de delito e são sempre assimiladas pelo próprio Ser antes dos processos Abismais, quando do fim da existência.


Sempre que ocorram situações adversas, ou mesmo percepções negativas, devemos nos voltar com mais atenção principalmente a esta fração interior que é a Alma, também buscar na Consciência e no próprio Ser, bem como nas Divindades, uma possível guiatura e solução para estas adversidades.
É muito comum que tenhamos a percepção de algo estar errado, ou de eminência de um evento negativo e no dia a dia não vejamos a manifestação destes eventos que por diversas vezes são internos como isto que aqui relatamos.
Assim que, sempre que tenhamos uma percepção, precisamos avaliar de onde provém, e também como proceder, já que por diversas vezes podem ser questões cruciais, talvez não somente para conosco mesmos mas para com nossos familiares ou para com a Humanidade.

18/05/16