zzzzzzzz

 

CLXV
Textos sobre Metafísica
As Duas Correntes Mágicas

Mais além das aparências cotidianas do mundo físico, distintos princípios levam e trazem forças as quais no fundo regem o rumo da humanidade.
O Impossível nada mais é do que o não comumente manifesto, visto que alterando certas forças em sua origem, obtemos resultados os quais comumente ou geralmente são impossíveis já que a natureza em geral não produz por si mesma tais resultados.

A Magia é bem sabemos o manejo destas forças sutis da natureza, aonde em vez de buscar alterar diretamente a consequência, lidamos com a causa, com a origem, por meio de influências internas que fazem com que se cristalizem prodígios no mundo tridimensional e nas demais seções da natureza.

Existem duas correntes nas quais se fundamentam a Magia, que são o Amor e o Ódio.
A Magia Amorosa, é certamente o poder celeste pelo qual todas as coisas são criadas, e tudo é sustentado e desenvolvido.
A Própria Magia Natural como domínio da natureza, é por consequência um desdobramento deste mesmo tipo de Magia de Criação, de Amor, aonde a vida se faz manifesta em base a certos fluxos e refluxos espirituais o qual o Mago maneja com destreza e sabedoria.

O Amor e o Ódio são duas faces de uma mesma moeda, dois polos de uma mesma força, são Eros e Anteros, as duas antíteses as quais são desdobramentos opostos de um mesmo princípio.

Nós sempre pensamos em Anteros como o mal, e em Eros como um desdobramento do bem, e assim o é, no entanto a Obra Espiritual é dito devemos sustentar terríveis lutas contra o Bem e contra o Mal, e isto se reflete mesmo nestes aspectos de Eros e Anteros.
Muitas vezes se fala no sentido esotérico que Amor é Lei, no entanto um Amor de tipo Consciente. Eros certamente simboliza o Amor, e por outro lado Anteros simboliza a Ordem.
Eros em geral simboliza um amor inconsequente, enquanto Anteros simboliza uma rigidez mórbida e um certo desafeto.
No entanto estes dois quando unidos, quando realmente integrados, geram estes processos do surgimento daquilo que chamamos Amor Consciente, aonde é a realidade de um amor composto e completo, organizado e perfeito.
É claro que o Ódio, no fundo não é uma referência a Anteros, senão a uma sombra da sombra, um desdobramento negativo deste aspecto negativo do amor.

Mas falando nestes momentos desta composição perfeita da Liberdade e da Ordem, do Amor e da Lei (Amor Consciente), certamente encontramos aí, os princípios mais divinos para o exercício da Magia. A contra parte disto, é um segundo desdobramento fatal de Anteros, aonde surge a absoluta inversão dos valores amorosos os quais conduzem as correntes abismais e submersas do ódio.

Quando Eros e Anteros, quando o Amor e a Ordem, falham em integrar-se, quando o amor é imprudente, quando a lei é exagerada, surge então este aspecto fatal negativo do verdadeiro desamor, do ódio.
Em geral quem Ama, quando não compreende as Leis Espirituais, quando não se integra com as correntes universais da vida, quando viola os preceitos e mandamentos divinos, acaba inevitavelmente penetrando nestes sentimentos fatais do absoluto desamor.

O Verdadeiro amor acaba sendo a mais poderosa corrente magnética e mágica, porque arrasta realmente tudo ao seu redor em meio a este impulso divino ascendente e faz com que tudo brilhe e floresça. E é por isto que quando alteramos a origem de algo em meio a estas regiões internas da natureza, por meio desta Magia do Amor, o resultado acaba sendo perfeito e inevitável, porque se está fazendo pelos motivos corretos e pelo meio correto, sob uma investidura Divina.

Já o inverso também torna-se poderoso e terrível, porque é a suprema antítese do maior poder existente da vida.

19/11/16