zzzzzzzz

 

CLXV
Textos sobre Metafísica
A Experiência do Ciclo

A Existência que hoje temos por si só já é uma repetição de outras existências, e cada vez que a vida se faz manifesta revivemos os mesmos processos e os mesmos eventos, já que aquilo que na vida nos atrai e o que atraímos é relativo a esta nossa natureza interior, aquilo que somos.
Enquanto nada muda definitivamente em nós, nossos ciclos são sempre similares, sempre muito similarmente iguais aos que já foram, e não apenas ao longo das existências que temos no decorrer da vida, mas mesmo de processos dentro da própria vida que vez ou outra se repetem, mais uma vez retornam, voltam a repetir.

Todo ciclo finalizado ao retornar ao cenário da vivência prática, repete-se dentro do que já foi, somado sempre os resultados de nossas ações, as mudanças e os aprendizados que tivemos, as boas e más ações que fizemos.
A Experiência do Ciclo é o que determina como serão estes novos ciclos, sejam de trabalho, sejam de processos com a família, seja de estudo, ou qualquer mínimo ou complexo estado ou situação que possamos imaginar.

Repetição é algo muito comum na natureza, todas as coisas repetem-se, e esta constante movimentação entre dois estados, entre duas polaridades, entre duas naturezas é o que dá rumo e função a vida. O Dia sucede a Noite e mais uma vez a Noite vem em encontro do Dia. Vida e Morte constantemente igualmente ligam e desligam forças, trazem e levam princípios do mundo das formas.

Os dias se repetem, os meses se repetem, os anos se repetem, as estações eternamente superam umas as outras e este ciclo produz e sustenta a vida, bem como destrói e elimina esta mesma vida.
Nossa vida é formada por muitos eventos que vão e vem, ocorrem e voltam a repetir-se.
Em geral as pessoas vivem a vida de maneira adormecida, identificados com a situação e não percebem o início e fim dos ciclos, muito menos a repetição dos mesmos.

Necessitamos tomar consciência destas repetições, exatamente para conscientemente fazer escolhas mais sábias e conduzir estes processos de maneiras sempre mais elevadas e justas, visto que qualquer erro, qualquer delito é sempre cobrado logo mais a frente, e senão nesta em outras existências, ao repetir estes mesmos ciclos.

A Vida tem infinitos seguimentos, há diversos tipos de relações, e uma infinidade de pessoas as quais cada vez que nos relacionamos estamos revivendo certos tipos de ciclos. Entendamos que na doença por exemplo, se manifesta um tipo de ciclo, e em cada doença específica recorrente, revivemos um tipo ainda mais específico de ciclo. Assim que há ciclos dentro dos próprios ciclos, já que a vida por si só é um ciclo.

Vejamos um exemplo destes ciclos dentro de ciclos. A Vida dentro de uma existência, já é um ciclo, dentro desta existência temos amizades, há certas amizades, certos tipos de pessoas que nos relacionamos com certos propósitos que ciclicamente sempre alguém ocupa certa função em nossa vida e nós na vida desta pessoa e isto já é um ciclo. Aquilo que oferecemos, aquilo que esperamos desta pessoa, ou destas pessoas, é de certa maneira o resultado do ciclo anterior. Os acertos e os erros cometidos com outras amizades que desempenhavam esta mesma função, traz ao ciclo atual certas características, também certas vivências inevitáveis.
Ainda dentro desta mesma amizade, há certos momentos que se desencadeiam ciclos, como quando alguém necessita de alguma ajuda, seja sentimental seja em algum afazer prático e isto cada vez que se repete vem como já vemos somado das vivências anteriores.

É muito comum vermos pessoas reclamando de suas vidas, dos momentos difíceis em que se encontram, que não são compreendidas, que não tem o que gostariam ou o que necessitam, e assim por diante. Isto nada mais é do que o resultado das próprias ações de cada um de nós, porque o que temos, o que nos deparamos, é o resultado daquilo que somos, daquilo que merecemos ou não, nada mais que isto.

13/12/16