zzzzzzzz

 

CLXV
Textos sobre Metafísica
O Amor e o Infinito

Bem sabemos que há alguns símbolos que ao longo da história humana povoaram a imaginação e os corações dos homens, alguns dotando indivíduos de certos impulsos e de profundas percepções os quais foram utilizados para realizar certos movimentos cósmicos necessários no mundo.
Também por vezes reconhecemos certos Símbolos Divinos ao observar os movimentos na própria natureza, seja física ou interna, ou mesmo espiritual.

Símbolos são representações mais básicas e mais objetivas as quais determinam algo, que como diz o nome, traduzem e resumem algo, pois servem de símbolo para uma ou muitas coisas.

Muitos símbolos podemos observar em distintas partes da natureza, também em diversas seções da mesma. Obviamente em cada região, em cada circunstância se manifestam como algo distinto, mas ainda assim são representadas e visíveis da mesma maneira, sob um mesmo signo.


Há um símbolo em especial que sabemos encontra-se no mais profundo de tudo, como força central e motriz da vida e de todos aqueles processos Pessoais, Naturais ou mesmo Espirituais.

Quando observamos com os Olhos do Espírito um casal que verdadeiramente se Ama, um casal que realmente esteja integrado de maneira justa e perfeita, em vez de vermos duas linhas horizontais simbolizando a Natureza de cada um e a Obra de cada um, o que vemos é que desde a parte Humana até a fração Espiritual, forma-se o símbolo do infinito unindo perfeitamente e indissoluvelmente estas duas naturezas aonde a Obra de um torna-se a Obra do outro e assim o fracasso ou a Vitória de um torna-se inevitavelmente o fracasso ou a Vitória do outro.

Isto deste símbolo que internamente podemos observar claramente entre o Matrimônio Perfeito, ocorre como resultado elétrico-magnético maravilhoso do Amor que um tem pelo outro e por consequência que as correntes que recebem do Espírito reca`em sobre o outro ainda que como uma bênção sob si mesmo, e aquilo que o segundo emana desde o espírito recaem sob o primeiro, de maneira a que tudo que o primeiro necessita, recebe por intervenção do ser amado e de seu Íntimo, e vice-versa.

Um casal que se ama, recorda-nos muito quando visto internamente aquelas duas Serpentes que enroscam-se para ascender até o Espírito, tal como ocorre internamente dentro de um indivíduo vemos no mundo quando em um casal devidamente integrado. É certo que alguns dos processos da Obra exigem que seja desta maneira, esta integração e esta perfeita união de dois Íntimos, de duas Almas e tudo o demais que estejam ligado a estes.


É certo que algo assim é muito raro, para não dizer impossível de ser encontrado no mundo, já que mesmo aqueles que estejam destinados um ao outro, pelas debilidades psicológicas que carregam e pela falta de vontade em mudar, em transformar-se para executar estas integrações causam o completo fracasso destes trabalhos e da manifestação plena deste Amor.

I + I = 8.

15/01/17