zzzzzzzz

 

CLXV
Textos sobre Metafísica
A Lei e o Destino

A Vida já é algo bastante incompreensível para todos aqueles que firmemente tentamos compreender os detalhes que ela encerra, e realmente há infinitos mistérios a serem desvendados e compreendidos, não apenas no que tange a vida visível e suas ações e consequências, mas também certos laços invisíveis que moldam o destino e que fixam as variaveis e as constantes da vida comum e cotidiana de todos nós.

Muito do que ocorre na vida de cada pessoa, é no fundo o resultado de algo mais além do que o observável e do que é compreensível com os sentidos comuns e ordinários que temos comumente acesso para investigar e observar.


Esta noite deparei-me com um destes casos insólitos de onde um certo personagem, alguém conhecido em meu viver diário, teria uma dívida de outra existência cobrada.
A Situação em questão, consistia que este personagem em outro tempo, em outra existência, teria ocasionado o desencarne de um rapaz, e agora teria de desencarnar como consequência direta deste evento.
A Vida como conhecemos, no fundo é formada por uma série de existências. Isto de "quem" hoje somos, da forma que temos, é algo que muda de acordo com a época, pois a Alma nasce e desenvolve-se em diferentes tempos, de diferentes formas, com propósitos distintos.

Falando deste caso em específico, fui incumbido de resolver a situação deste iniciado, visto que havia chegado o momento aonde esta dívida seria cobrada.
O Espantoso é que não era uma determinação da Lei Divina, no sentido como Karma convencionalmente falando, que geraria esta cobrança, senão a falta de perdão da antiga viuva do rapaz que desencarnou no passado por conta deste iniciado, que não era capaz de perdoar o mesmo.
Na existência atual, este mesmo casal reencontrou-se e hoje vive seus processos juntos, e inclusive conhecem esta outra pessoa, o iniciado que tem esta dívida, no entanto nunca afinaram-se nunca tiveram uma plena convivência, e ao longo da noite pude entender os reais motivos desta falta de afinidade.

Certamente sempre pude observar que estas pessoas não afinavam-se na vida diária, também internamente nunca tiveram uma proximidade ou interesse mútuo, mas é óbvio que jamais suspeitei que houvera por detrás desta dificuldade de convivência, uma causa tão grave e que seria cobrada ao longo do atual curso da vida destes.

Uma longa noite de ir e vir, nos mundos internos, buscando um e outro, e dialogando acerca dos eventos e das causas e consequências, buscando um ajuste e uma finalização para este processo até então não resolvido, não finalizado.


Em certo momento, conversando com a esposa do antigo falecido, expliquei a situação, e lhe adverti que haveriam consequências graves, a não superação destes passados eventos, já que tanto prejudicavam alguém que hoje trilha o caminho da santidade com real interesse e afinidade, como não liberava-se deste peso de um mal do passado que lhe assombrara ao longo de tanto tempo.
É certo que é com a vara que medimos que seremos medidos, e se não aprendemos a perdoar, certamente não seremos perdoados... E Ninguém no mundo teve a pureza de jamais cometer algum delito.

Não foi dificil para a dama, compreender todos os argumentos e liberar-se de suas mágoas a tanto tempo guardadas contra esta Alma arrependida e redimida de seus crimes.
Uma outra Iniciada que observava esta intervenção divina, questinou-me acerca deste evento, perguntando porque alguém interferiria na Lei do Karma, e lhe expliquei que existem duas Balanças, uma Branca e uma Negra, e que estes assuntos seriam uma cobrança Negra, e não Divina, já que a Lei Divina já não tinha queixas contra este iniciado. É aonde entra aquilo do que chamamos a Lei do Karma, e a Lei de Talião, aonde nesta segunda se pede olho por olho, dente por dente... E neste caso, vida por vida...

Ao fim de todos os eventos relatados, busquei o Iniciado já liberado de sua dívida e lhe comuniquei o sucesso em resolver sua pendência, o qual certamente ficou aliviado em receber tal proveitosa notícia, e sua esposa que lhe acompanhava também comemorou tão aguardada solução.


Isto tudo nos traz a reflexão de quão amarradas nossas vidas estão, e quantos eventos e desfechos não dependem apenas de nossa vontade ou de nossa compreensão e solução de eventos, mas do altruísmo e da boa vontade daqueles aos quais fizemos sofrer, ou causamos danos ao longo de nossas existências.
Por isto que é importante não apenas encontrar a paz, mas estar em paz com os demais, sempre que isto seja possível.

Isto que o antigo Cristianismo já pregava com tanta ênfase do Perdão, é certamente um ponto a ser revalorizado em nossas vidas, pois são amarras que nos prendem a forças muito malígnas e nos conduzem ao fato de que se não somos capazes de Perdoar, não temos o devido mérito para obtermos o Perdão, tanto Divino como o para com aquele que sofreu o crime.

04/06/2017