CLXV
Textos sobre Metafísica
A Morte do Mim mesmo

A Morte já explicamos e todos tem que ter isto muito bem entendido, é o primeiro passo firme que temos que dar em relação a nossa Obra.
Sem a morte, não há jamais despertar, nem físico, nem interno, nada...
Antes de que morramos em nossos defeitos e em nosso egoísmo, não seremos mais do que mortos que parecem estar vivos, por este movimento inconsciente que realizamos.

Na morte absoluta encontramos um novo nascimento do ponto de vista Espiritual. Cada dia necessitamos nascer e morrer constantemente, no que diz respeito a estes ciclos do sono ao estado de vigília de sono novamente.

Todos os dias passamos por uma simbólica morte aonde nosso corpo fica repousado em um leito e nossos Veículos internos se desdobram ainda que inconscientemente nestas regiões internas como é o Plano que denominamos Astral.

Já falamos imensamente de toda esta necessidade de estarmos despertos hora após hora, observando nossas ações tanto físicas como internas, agora complementamos isto aos trabalhos Astrais deste Despertar.

Percebam, entendam que todos somos mais ou menos clarividentes, toda pessoa que tenha uma Alma, que esteja trilhando o caminho, tem já o dom da clarividência, o que impede uma pessoa de ver a realidade tal qual são estas visões, se chama Ego.

O Mago, o Adepto, faz uso da imaginação para ver a realidade por detrás das coisas, ainda que não tenha ainda o dom "físico" de perceber as coisas como se vistas pelos próprios olhos, ele imagina e vê pela capacidade interna que tem as realidades ocultas por detrás do mundo físico.

Um Adepto, ao imaginar algo, ele vê a realidade daquilo que tenta observar, ou pelo menos um reflexo ainda que retorcido pelas imperfeições que ainda carrega em seu interior.
Por isto que recomendamos silêncio nestes processos do desenvolvimento destas capacidades internas, "Saber, Ousar, Querer e Calar" são as máximas do Ocultismo por um motivo muito óbvio.

Durante o estado mágico da Meditação, ou outros processos similares, qualquer Adepto pode projetar sua Alma, ou seus Corpos Internos, Mental, Astral, etc, a regiões do cosmos para obter a informação ou observar o que necessite.

A Questão é que este Adeptado, se conquista por base a práticas, principalmente em relação a vivência destes três fatores de Revolução da Consciência. E é isto que necessita entender todo Neófito e todo Iniciado, para que progrida até o ponto de se tornar um Adepto e posteriormente um Mestre.

Claro que estamos falando do caminho da auto-realização íntima do Ser, são exigências que temos que ir cumprindo para ir podendo fazer uso destes dons.
Um Adepto, por ainda carregar em seu interior o equívoco do Ego e a influência das energias alheias, acaba por muitas vezes ver a realidade ofuscada por estas energias falsas e negativas, em relação a verdade.
Muito facilmente um Adepto ou Iniciado em processo de Adeptado poderia caluniar, maldizer, amaldiçoar a inocentes, visto que suas capacidades ainda sofrem estas interferências que relatamos.

Este processo afirmamos é assim até a coroação da Quinta Iniciação de Mistérios Maiores, aonde não podemos confiar totalmente nestas capacidades que estamos desenvolvendo.
Claro que podemos fazer muito bom uso de tudo isto, mas há que ter aquela virtude de que falamos da Inspiração, uma pessoa que tenha o sentido do coração desenvolvido (intuição), facilmente poderá perceber a realidade e a falsidade de tais experiências e fazer uso do que é justo e verdadeiro, sem incorrer em graves erros.

Mas em termos práticos, fica claro que é urgente eliminar os sonhos, os desejos, as projeções feitas pelo ego, tudo que nos impede de ver a realidade tal qual é, pois é o que nos ofusca tais sentidos e capacidades que temos que desenvolver.

Muitos iniciados aprenderam em algum momento a Sair em Astral conscientemente, pelo menos já se deram conta algumas vezes de que estão no Astral, mas por não terem desenvolvido no físico este estado de alerta, de viver cada momento, de não sonhar quando estão acordados, naqueles momento de sono, o eu facilmente faz uso da matéria astral para emitir suas idéias e realizar seus desejos, viver seus temores, enfim, aprisionar nossa alma durante estes momentos de sono.

Estudar nossos sonhos, é estudar a atuação do Ego, a nível subconsciente. Muitos homens castos e honestos, ao serem submetidos a provas nos mundos internos, fornicam, roubam, matam, fazem as mais cruéis atrocidades, sendo que fisicamente são pacatas criaturas.
Conhecer nossos sonhos, é estudar o Eu nas cavernas em que se esconde, e com isto poder eliminar quaisquer resquícios que possam permanecer em nossos mundos internos.

A Parte física da Morte (Trabalho físico sobre a morte psicológica), como todos os estudantes devem saber, muito bem, é a observação do ego fisicamente, a nível instintivo, emocional, mental e sexual. Entender um agregado e suas relações com outros elementos, é poder separar ele e fazer com que perca força, tornando possível sua eliminação.
Batemos na associação, na família, para ver suas ramificações, mas uma vez isto observado, trabalhamos em separado o que nos parece difícil a eliminação em conjunto.

Não temos como eliminar o que não compreendemos, este estudo, esta luz da consciência projetada frente a realidade de tal ou qual Eu, é o que nos permite entender o que é o eu e o que é a consciência que o Eu faz uso para justificar sua existência.
Qualquer Eu tem razão em suas afirmações, ele faz uso da razão que tem a essência que ele aprisiona, faz uso de sua inteligência e de sua força, para manter-se vivo.

Então não há como discutir com o Ego, temos apenas que compreender, separar (da essência) e eliminar.

Nosso trabalho como Homens e Mulheres, é de separar com o bisturi na compreensão o Ego desta essência e então apelar a este desdobramento do Terceiro Logos, dentro do Homem, nossa Mãe Divina.
Não há força que resista ao poder do Terceiro Logos, esta força, cria e torna a criar, igualmente reduz a poeira cósmica qualquer criação indesejada que lhe supliquemos com imensa vontade e confiança, tal desintegração.

A Compreensão é essencial para a eliminação do Ego, pois a Mãe não poderia eliminar ou causar dano a aquela fração de Alma que está presa em meio a tirania do Eu. Necessitamos compreender e estudar profundamente o Ego em todas as suas manifestações, observar realmente e então apelar em meio a oração e a súplica, realizada com imensa vontade e confiança para que nossa bendita Mãe Kundalini o elimine.

Isto pode que tenha que ser feito muitas vezes, e esta compreensão deve persistir sobre este elemento, pois o Ego tende a ocultar-se, transformar-se, justificar-se, enfim, de tudo faz para continuar existindo, e uma vez curvado temos que permanecer firmes até sua eliminação completa.

O Complemento deste trabalho físico e que é importante principalmente aos Adeptos, é o trabalho Astral sobre estes agregados. Recomendamos sinceramente que todo Neófito e Iniciado que já compreenda a imensa profundidade do trabalho, se dê a tarefa de estudar e compreender suas vivências internas.

Cada dia irmãos, cada dia.. temos que viver como se fosse uma nova existência, porque o eu se vale do fator tempo para continuar existindo e justificando sua existência na simples repetição de atos. Não estamos falando de viver sem rumo ou tornar-se um alienado, nada disto.
Estamos nos referindo a questão de seguir a nossa consciência, um Adepto sabe guiar-se por sua consciência e é isto que devemos sempre todos buscar, aprender a sentir a expressão do Ser, exercer esta consciência e permitir com que seja nosso guia.

A Consciência é o que determina quando e como uma pessoa irá agir frente a uma prática ou diante de alguma realização que necessite cristalizar.
É a Consciência que necessita assumir a guiatura de nossa vida, se é que almejamos este verdadeiro Despertar.

No Astral (ou em meditação), uma pessoa poderia facilmente ver eventos futuros, observar o passado, conhecer e estudar fenômenos da natureza, mas não lhe é possível, porque não sabe concentrar-se, não consegue impor sua vontade e voltar toda sua atenção a um só ponto, porque ainda não atua como uma unidade.

Por tal motivo que dizemos que neste caminho buscamos formar o que se chama, Unidade Múltipla Perfeita, que é todo este conjunto de virtudes que vem a formar nossa Alma (e demais criações).
Conforme se vá tendo esta individualidade e esta proteção frente as forças que nos rodeiam, por esta imantação pessoal que o Adepto desenvolve, ele pode fazendo uso de sua vontade, de seu verbo mágico, cristalizar o que necessite.

Isto é o que fazem os Mestres com inteira perfeição e isto é o que o Adepto necessita aprender e desenvolver conscientemente.
No caminho negro tais Adeptos desenvolvem negativamente estes dons e por diversas vezes são atormentados vendo o que não querem ver.
Fazemos esta observação porque seus chackras giram ao inverso e com isto não tem controle sobre tais dons, conscientemente. Aos que desenvolveram estas habilidades negativas e fizeram cristalizações negativas, informamos que primeiro devem dissolver tais cristalizações para então atuar positivamente em relação ao caminho e as práticas do Adeptado.

O Adepto do caminho autêntico, desenvolve e progride conscientemente, vê e desliga-se de suas visões a vontade, concentra-se e desperta seus dons conforme há necessidade, ainda que vez ou outra, estas capacidades ativem-se como proteções auto-conscientes, já que são frações de nosso Ser que nos conferem estas habilidades.

Então compreendamos sinceramente o quão importante é aprender a viver cada momento, aprender a controlar nossa vontade, nossas emoções, nossos pensamentos, nossos instintos, nossa sexualidade.

Este caminho é o caminho dos Homens Autênticos, mas antes de mais nada, precisamos ser Homens (e Mulheres), no real sentido do termo, com corpos solares e sem a manifestação do Ego.

Percebam que estamos falando com franqueza e sem receios de verdades que se abrem para todos que estejam dispostos a realizar em si o Mistério da Grande Obra.
Dêem valor ao que estes Mestres tem nos ensinado na atualidade, pois são verdades que estiveram veladas e reservadas a poucos Homens no decorrer destas ultimas Eras.

Todo aquele que for capaz de fazer nos dias atuais, carne e sangue destes ensinamentos, levará em si estas verdades latentes, e nem o tempo, nem a morte, nem mesmo o Abismo poderá apagar de sua consciência todos estes acontecimentos que foi capaz de vivenciar e de comprovar por suas próprias experiências.

Sinceramente temos a fé que ainda alguns mais perceberão a realidade deste estreito caminho e percorrerão ele. Ousamos afirmar que em fatos, realmente poucos, muito poucos atualmente trilham este caminho.
A Maioria se perdeu nas teorias e se aprisionou no intelecto do que supostamente é o caminho.

O Céu se toma por assalto!

Lúcifer em nós, como expressão da Paixão, necessita ser domesticado, o impulso bestial, a força desencaminhada, só nos conduz a segunda morte. Necessitamos verdadeiramente dominar a nós mesmos, dominar a Paixão tal qual é representada a figura da Mãe Divina quando a seus pés se encontra esta Serpente tentadora.
Lúcifer em nós é a reflexão do Terceiro Logos, é o próprio Terceiro Logos individual de cada criatura, aprisionada em nossos instintos sexuais.
Por isto ao Divino Prometeu se representa como aquela criatura que acorrentada a dura rocha do Sexo, se representa que lhe devoram os Abutres.
Estes abutres nada mais são do que nosso Ego e nossas Paixões mal canalizadas, e esta regeneração que ele sofre a noite, é porque o sexo, é a única força em nós que se regenera.

A Mente ao esgotar sua energia, morre, as Emoções, os Instintos, nossa capacidade motora, igualmente tem um capital vital limitado, no entanto a sexualidade é a força criadora, mantenedora e destruidora, depositada dentro do organismo humano.

Pois aprendamos a nos servir conscientemente nestas forças colocadas ao nosso dispor verdadeiramente como Reis e Rainhas e não como escravos bestiais que são arrastados até o Abismo pelos delitos que nos incitam a cometer.

Não estamos de acordo com os que maldizem a Lúcifer, porque sem o impulso sexual, sem a Paixão, jamais poderia haver o drama crístico, no entanto não podemos nos deixar levar pelas paixões mal canalizadas.

Recordem que ao Drama Crístico, denominamos "Paixão de Cristo", e nisto fica exemplificada a necessidade da Paixão, corretamente direcionada, para nossa Obra.

Paz Inverencial!

19/10/12