zzzzzzzz

 

CLXV
Textos sobre Metafísica
O Filho da Luz

Três dias atrás, nos mundos internos da natureza, enquanto o corpo físico repousava em seu leito, tive a alegria de me encontrar mais uma vez com aquele antigo e sábio personagem, Adonaí, o Filho da Luz, e dialogar com o mesmo sobre a atual situação espiritual mundial e os futuros planos sobre o que está por vir.

Estes encontros com tal personagem sempre causam profundas comoções na Alma, não apelas pelo o que é este Ser, mas por aquilo que ele representa, pelo o que evoca de nosso interior com sua simples presença radiante.

Adonaí é certamente um dos mais exaltados personagens que costumamos ver nos mundos internos. Suas vestes sempre impregnadas de magistral beleza e suas Insígnias sempre muito distintas dos demais iniciados. Sua sabedoria inegavelmente inesgotável fonte de inspiração e altruísmo.
O Bodisatvva de Adonaí vive no Brasil, já tive uma época contato fisicamente com o mesmo, ainda que na época eu não soubesse quem este fosse. Mas posteriormente dei-me conta que este certamente tinha inclinações a reconhecer sua natureza íntima, ainda que não tivesse confirmações acerca disto.

Bem, voltando a questão do diálogo deste último encontro, conversamos acerca do desastre do atual estado das instituições gnósticas, da verdadeira religião (a verdade), e de como se resolveria em um primeiro momento esta situação, já que temos de lidar passo a passo conforme as coisas acontecem.

O Problema das grandes instituições, é que quando se corrompem, todo um grande sistema fica danificado e todas as pessoas acabam assimilando este mal. Claro que nisto há também seus benefícios, mas os danos tem sido extremos nos tempos atuais a este formato de guiatura.
O Que pudemos ver, é que a Loja Branca dará/deu, permissão a algumas pessoas em específico para formar alguns novos Sistemas, de amplitude menor, de forma a que possa controlar melhor o que é entregue, e mais adequadamente ao que cada um precisa, também podendo dissolver o que se perca neste caminho (pequenos grupos), de maneira mais acertada.

Quando entregamos um ensinamento, e o entregamos à toda a humanidade, ou mesmo destinamos a um povo, mesmo a alguma região, temos de o fazer de maneira mais ampla, menos direta, para que possa se adaptar a uma realidade maior, e para um público mais amplo.
Com isto também se resolve este aspecto, aonde o povo, aqueles que não tem o contato direto com estas forças internas da natureza, tem menos intermediários, também algo mais acertado à sua realidade, sua necessidade.
É certo que não estamos dizendo com isto que cada pequeno grupo que exista, ou mesmo que seja criado, que terá o Aval destes princípios, mas senão que surgirá algo neste sentido e que não significa que se manterá, ou não tomará outra forma mais para frente, já que como já dissemos, tudo permanece em movimento de acordo com os resultados disto.

Nesta visão que tive, enquanto ouvia as palavras de Adonaí, pude ver um breve momento o destino, aonde ocorriam estes fatos, e ver alguns rostos e eventos. Mas nada que de fato me incluísse nestes trabalhos. Isto porque claro cada um tem seu trabalho, sua função, e todos corresponde algo distinto, de acordo com sua natureza, seu processo Íntimo.


Sobre isto de instituições, de grupos, realmente temos de entender antes de mais nada, que o bem podemos fazer aonde quer que nos encontremos, e que a verdade advém a nós por nossa vontade e dedicação a encontrá-la, na própria vida, em cada evento, cada situação. Realizar algo junto com outras pessoas, é a forma de potencializar algumas ações, já que cada um de nós tem habilidades específicas e também limitações específicas. Também não temos como fazer tudo sozinhos, dependendo da amplitude deste trabalho que nos propomos.

Nosso objetivo não é entregar simplesmente estes conhecimentos internos, ou relatar vivências, senão que conduzir cada um até tais magistrais acontecimentos e conhecimentos.

26/07/17