zzzzzzzz

 

CLXV
Textos sobre Metafísica
Deus

Existe uma tênue linha que limita nossa realidade. Mais além desta fina barreira, encontramos verdades transcendentais, uma natureza completamente nova e livre da maior parte das leis e normas que comumente conhecemos.

Para nós, certamente há muitas coisas que são um mistério, muitas palavras que tem um significado por vezes duvidoso, impreciso, etc. Mas ainda assim, é comum intuirmos a força que tem cada coisa, a natureza que representa.

Há palavras que por si só, já tem um poder muito grande, algo que vai mais além do valor que atribuímos a elas, e que por vezes ainda tem um valor maior, exatamente pelo valor que atribuímos a elas.


Nesta noite que passou, estando consciente nos mundos internos, flutuava livremente com o objetivo de observar a cidade e as pessoas. Não demorou muito para que algumas pessoas se dessem do improvável ato de uma pessoa estar flutuando livremente por sobre suas cabeças e passaram a observar e seguir para entender o que se passava.
A Verdade é que mesmo que quisessem flutuar livremente, estas pessoas não conseguiriam, devido ao seu estado de consciência, sua negatividade... Mas ainda assim foram capazes de dar-se conta do incomum, e reflexionarem acerca disto.

Claro que para aquelas pessoas, este ato improvável fora tomado como um Milagre, como um ato Divino... Ainda que ocorresse nestas regiões internas da natureza onde regem outras leis, outras normas.
Subi e desci algumas vezes, flutuei com os pés quase tocando o chão, para que aquela pequena multidão pudesse verificar por si mesma a realidade do fato, comprovar que nada me sustentava, nada me impulsionava, senão minha vontade, minha espiritualidade.

Foi quando diante de um grande número de pessoas resolvi invocar a Divindade, não alguma divindade em específico, não meu próprio Deus Íntimo, mas o Princípio e a força que dá Origem a tudo isto e que compenetra e dá forma a tudo isto.
Apenas pronunciei a palavra "Deus", com profunda veneração e força, e de verdade que me senti tomado por uma energia misteriosa e divina, e ascendi não apenas em estado de consciência mas me sentia mais leve, livre, e ascendia para o céu com naturalidade, como se aquela leve gravidade que internamente rege tivesse sido transportada para algum lugar do céu estrelado.
De alguma maneira as pessoas sentiam os eflúvios que recaiam sobre mim, e vibravam conforme estas bênçãos recaiam também sobre elas, dentro de suas capacidades de perceber e de receber tais eflúvios Divinos.

É Claro que repeti a invocação muitas vezes, sempre com muita emoção e vibrante espiritualidade, e o resultado sempre ascendente me conduzia a regiões dentro de mim mesmo mais elevadas e mais próximas de sentir a Grande Divindade, também meus corpos internos ascendiam em direção ao Céu, atraídos por aquela força.
Meu esforço passou a ser de me manter próximo ao chão, e não de flutuar em direção ao céu.
Me senti como uma pessoa que se adiantava em agarrar uma corda mais para frente, e logo puxava, como se fizesse um esforço para me aproximar da Divindade, e logo a puxasse para mais perto.
Este duplo esforço lembra muito o nosso trabalho interno, aonde algo faz a Divindade, algo fazemos nós, para que ela se humanize, e nós nos divinizemos.

Não há como duvidar que o que senti, o que vivi naqueles momentos, foi algo indescritível, não apenas pude sentir a Divindade e seus eflúvios, mas sentir suas energias passando por meio de mim, até aqueles que necessitavam e ansiavam por isto.

Deus não é uma pessoa, assim como Cristo, não é uma pessoa, é uma força, um princípio, uma energia, a qual encarnamos, a qual manifestamos, a qual damos passagem.

É Certo que naqueles momentos estava alinhado, integrado, e por isto foi possível de alguma maneira, sentir, encarnar, manifestar e servir de intermediário entre esta força e aquelas pessoas.

16/10/17