zzzzzzzz

 

CLXV
Textos sobre Metafísica
Filhos Espirituais

A Reprodução sempre foi algo que fez parte do cotidiano do mundo. Claro nos referimos neste momento a reprodução física, aonde criamos novos corpos para as Almas que vem ingressar neste mundo em que vivemos.
Existem em verdade quatro tipo de reproduções, duas fora e duas dentro de nós mesmos. Uma positiva dentro, uma positiva fora, uma negativa dentro e uma negativa fora.

Dentro de nós a forma negativa de reprodução é a criação do Ego, o desenvolvimento e sustento de nossas falhas Morais, Psicológicas.
Fora de nós a forma negativa de reprodução é exatamente o ato de criar corpos para novas Almas. Não estamos falando neste caso de algo mal por assim dizer, senão que simplesmente cuja natureza é negativa pois "traz para baixo" as Almas que estão em regiões superiores, por isto a natureza da polaridade.

Bem, certamente dentro de nós mesmos existe a criação de nós mesmos, no sentido espiritual. Na verdade tudo aquilo que falamos da Grande Obra é esta criação de nós mesmos, este ato de esculpir esta pedra bruta e retirar os belos traços do Espírito Luminoso dentre esta matéria escura que somos nós.


Existe ainda um quarto tipo de reprodução, que ocorre fora de nós mesmos, que são os Filhos Espirituais.
Se tomamos a história antiga quando fala-se da História dos Deuses, aonde um Deus era filho de outro Deus, e um Deus era irmão de outro Deus, é exatamente a este tipo de reprodução que estamos falando e nos referindo agora.

Quando um Deus investe na criação e no desenvolvimento de uma Alma, podemos dizer que o desabrochar desta Alma é certamente o resultado do esforço deste que propiciou isto. Por este motivo, segundo a natureza, é Pai, é Mãe, é Criador deste feito, de acordo com a participação que teve.

É Certo que a vida se desenvolve ela mesma, não é possível para um Deus forçar a vida a manifestar-se sem que seja de esforço e interesse dela própria. No sentido espiritual não é diferente, a Divindade entrega uma fagulha de vida, uma semente a qual pode ou não germinar e desenvolver-se totalmente a seu tempo.


E não estamos falando de intelectualismos, não estamos nos referindo a conceitos, estamos falando realmente de Criação Espiritual, do surgimento verdadeiro dos Deuses.


Aquilo que se fala que Zeus teve muitas mulheres, que teve muitos filhos, certamente se refere a este tipo de criação que aqui nos referimos. São as forças que colocaram em movimento esta Vida Espiritual...
Obviamente que quando transferimos estas histórias que são Espirituais, que se referem a outro tipo de criação para nossa realidade física e cotidiana, nos dá a entender equívocos como de um Deus ser Adúltero ou coisa similar, enquanto na verdade são criações Espirituais em um sentido bem distinto do material.


Conta a história dos séculos que o único filho que Zeus não teve com Hera, e que cativou a admiração e o respeito desta, foi Hermes.

Os Deuses usam partes de si mesmos em suas criações, algo muito similar neste ponto ao aspecto físico.

Não podemos confundir isto que aqui estamos falando com o mero Apadrinhamento, com Guiatura, mesmo com o Guru. Ainda que por vezes nosso Padrinho Espiritual, nosso Guia, nosso Guru, seja este mesmo Ser, temos de entender que hoje é a continuidade de muitos ontens e esta criação se já ocorreu, mesmo hoje quem nos ajude e auxilie, não necessariamente é este mesmo princípio que nos gestou, ainda que por vezes possa ser.


A Vida Espiritual, neste sentido da criação, lembra muito o desenvolvimento humano e suas etapas... Isto porque no princípio o filho sempre necessita do auxílio e da proteção dos Pais, e pouco a pouco vai aprendendo a agir e interagir por si mesmo e vai precisando de espaço e de liberdade.

Hermes também é conhecido como um dos Cinco Supremos, que assim como Zeus e outros mantiveram-se fiéis a vontade do Logos.
É Interessante observar quantas pessoas acreditam que vão bem e vão mal no trabalho, também quantas pessoas vão bem e acreditam que vão mal.
Hermes nos dias atuais, seu bodhisatvva certamente tem realizado grandes prodígios espirituais ainda que dificilmente seja notado, mesmo por ele próprio. Somente Espiritualmente podemos ver claramente a natureza de sua realidade.

Nossa realidade, ou a realidade dos demais dificilmente fica permanentemente oculta, já que cedo ou tarde encontramos pistas e questões muito significativas que nos demonstram quem somos ou quem são cada indivíduo.
Já havia tido uma compreensão sobre quem era Hermes há muito tempo atrás, digo sua manifestação humana, algumas noites atrás tive outra experiência que reforçou esta compreensão e novamente na noite que antecedeu o dia que escrevo estas palavras.

É muito interessante ver as Divindades presentes e atuantes, sendo criadas e criando.

24/03/2018