CLXV
Textos sobre Metafísica
Recorrências Mecânicas e Espirituais

Recorrência como já sabemos é tornar a ocorrer. Acontecer novamente, algo que já aconteceu.
Quando tomamos alguma ação em nossas vidas e a repetimos, criamos o que se chama recorrência, porque deste dois gera a possibilidade de um terceiro, quarto, quinto.

Então tudo que fazemos duas vezes, é provável que repitamos indefinidamente.
Em termos de dia a dia, uma pessoa que faça uma viagem um ano e em outro ano na mesma época faça uma viagem, criou uma recorrência neste sentido.
Romper com recorrências é algo relativamente difícil se não nos fazemos conscientes destas recorrências.

Há recorrências positivas como relacionadas ao próprio caminho. Muitos dos Iniciados de outros tempos regressam a suas escolas esotéricas por uma recorrência que os atrai para repetir os mesmos fatos do passado.

Estes fatos que tornam a ocorrer, não podemos pensar apenas a nível de uma existência, muitas das ações que fazemos e das decisões que tomamos, são recorrências do que já repetimos em outras existências.

Quando um Discípulo pergunta a seu Mestre quem foi ele em outra vida, não é raro o Mestre responder: "Exatamente o mesmo", indicando que continuamos repetindo os mesmos erros e acertos do passado, recorrendo em nossas virtudes e defeitos.

A Recorrência tende ao centro. É Uma força espiral que vai se acentuando normalmente não apenas em relação a intensidade mais em tempo.

Então se em uma existência temos uma disputa com outra pessoa, isto se repetindo em outra existência já criou-se a recorrência. Então na próxima vez que acontecer será mais intenso e provavelmente em um tempo mais curto do que a primeira.

Vemos muito isto nos casais que tem problemas, eles tem problemas a cada 10 anos, depois 6... 3.... 1.. e quando menos esperam já brigam todos os dias, repetindo mecanicamente sem dar-se conta que apenas repetem ações do passado, muitas vezes sem motivo real.

Há casais que tiveram problemas logo nos primeiros anos e quando se repete, vai claro acentuando estas dificuldades e tende a uma briga catastrófica que é o ponto central de que falamos.

Então que muitos problemas que temos, desde físicos (da vida, do dia a dia), e até psicológicos (sentimentos, pensamentos), são forças recorrentes que tendem a nos levar a cometer as mesmas ações do passado, seja desta ou de outras existências que tivemos.

Reconhecer recorrências não é algo difícil, na verdade entendemos que qualquer pessoa pode reconhecê-las, basta estar auto-observada frente aos eventos.
Aquela sensação de já haver feito aquela ação, muitas vezes relaciona-se a recorrências, a pessoa vê-se na mesma situação e conhece por assim dizer algumas frações de seu futuro, ou pelo menos de como foi no passado, projetado naquele instante que está para se repetir.

Claro que isto não é o único sinal de recorrência, muitas vezes ações desproporcionais aos eventos, indicam recorrências.

Mas há recorrências propositais em relação a forças maiores que o próprio homem. Quando repetimos os feitos de nossos Mestres, nos colocamos na mesma direção e na mesma posição que eles se colocaram, não é verdade?
Quando digo repetimos os feitos, me refiro claro as ações espirituais e não a parte meramente física, o que não teria sentido imitar ao pé da letra, sem o impulso interno sabiamente dirigido.

Nisto também recorreremos nos mesmos feitos e na mesma triunfal morte que o Cristo sempre tem que simbolicamente passar.
A Própria Obra nos demonstra uma recorrência, pois há 9 Iniciações Menores e 9 Iniciações Maiores, é um duplo nove, uma recorrência de feitos em escalas maiores.

Aqui vemos dois tipos de recorrências, uma que tende a um ponto central que é o fim e outra que tende ao infinito, sendo projetada para fora, representada por maiores feitos e maiores responsabilidades.

As primeiras provas que o candidato é submetido são as dos Quatro Elementos, mas sabemos que estes Quatro Elementos provam repetidamente o Iniciado, sendo eles próprios o alimento da Serpente nas Iniciações Maiores.

Recordem que para cada Corpo há uma Serpente (Kundalini), que corpo após corpo, repete, recorre um mesmo simbólico caminho, em uma oitava acima de sua anterior.

O Interessante disto de ter que haver 2 para se considerar recorrência, é que somente após termos concluídos de levantar as duas primeiras serpentes (Físico e Vital), podemos no Astral trilhar o caminho secreto que vai até o coração.
Indicando claro que esta Terceira repetição é a que estamos firmes no trabalho.

Três vezes de auto-realização, é quando o Ser recebe condições de ingressar ao Absoluto.

Então vemos dois tipos de recorrências, mecânicas e espirituais.

As Recorrências mecânicas tendem ao centro e a agravar-se no sentido negativo e as espirituais tendem a expandir-se tal qual o fogo que se amplia e conquista novos horizontes.

Nisto vemos que esta propagação desta força central dirigida positivamente a expansão, forma constantemente o 6 e o 9 quando em seu ápice superior e inferior.
O 1 e o 0 são representados pela força magnética (que tende ao centro) e repulsora (tende a periferia) pois da mesma forma que se necessita deste movimento ao redor de um ponto central, há a questão da necessidade da propagação e por isto a força repulsora.

O Próprio Mahavantara (Dia Cósmico) e Pralaya (Noite Cósmica), sempre repetem recorrentemente as mesmas ações, acrescidas de seus resultados anteriores.
A Criação do Universo e do Homem é uma recorrência muito bem conhecida pelos Deuses do Mahavantara.

28/11/12