CLXV
Textos sobre Metafísica
A Revolução da Era de Aquário e a Quinta Verdade

Hoje completamos 51 anos do inicio da Era de Aquário.
Cinqüenta e um anos de lutas para que a Luz de Aquário possa penetrar no coração e na consciência desta humanidade.
Não é questão de apenas levar uma mensagem a estas pessoas, mas fazer com que verdadeiramente compreendam e assimilem a verdade e a realidade que estão frente aos olhos de todos, e ninguém vê.

Todos temos o livre arbítrio e por isto não podemos interferir na liberdade que cada um tem de escolhas e decisões frente sua própria vida e frente aos caminhos.
Mas é com muita dor que os Mestres nos acompanham frente a todo este processo de transição, daqueles que estejam dispostos a passar por esta Morte, por este Nascimento e por este Sacrifício.
Esta dor que sentem nossos Mestres é pela constante instabilidade na consciência destas pessoas, que apesar de sentirem muitas vezes o chamado da consciência e dos desígnios de seu Ser, constantemente falseiam em fazer com que esta expressão da vontade do Espírito, se manifeste e se expresse em suas vidas, suas ações, seus sentimentos, seus pensamentos.

O Homem é um templo, aonde a seu tempo, o próprio Deus Vivo individual de cada pessoa, torna-se o oficiante.
Necessitamos de uma transformação verdadeiramente radical, absoluta e sincera, para que cada região consciente e inconsciente (subconsciente, infra-consciente), seja verdadeiramente tomada por esta Luz, por esta Sabedoria, por esta Compreensão emanada de cada uma das partes auto-conscientes desta força que nos personifica.

Assim cada qual poderá dar sua nota e recolhendo seu próprio tom, participar desta imensa sinfonia mágica que são estes eventos impulsionados pelo próprio Logos Solar (O Cristo Cósmico) e a Loja Branca.


Nestes momentos que escrevemos estas palavras, com imensa facilidade podemos fechar os olhos e ver nas regiões superiores da natureza, uma grande preparação que fora ordenada por parte do Logos; seus cavaleiros, suas espadas e armaduras, seus cavalos, trovejando e relampejando como que acumulando forças e poder para se lançarem a esta batalha, esta revolução que não se tarda.

Mais uma vez nos encontramos em épocas aonde a Luz brilha de uma forma esplendorosa, e nossos Mestres não fazem faltar sua presença e sua força.
Uma voz que fora silenciada, para que quando falasse fosse escutada, dá sua ordem, e cada um emite seu próprio tom.

As Trevas não tem poder sobre a luz, porque a luz brilha e nesta luminescência, dissipa as trevas e o erro.
Avança a Luz dentro de cada uma destas Almas e o Macrocosmos se comove e se contorce para compensar as forças geradas nestes Microcosmos.


O Arrebatamento das Almas não é um desaparecimento físico do veículo tridimensional de uma pessoa, mas a integração, a posse e o encarne da Verdade (o Cristo).
Este arrebatamento não é outra coisa do que a integração da Vontade Humana com sua Consciência e com a expressão de seu Ser.
Por consequência é levado e guiado por caminhos únicos e individuais ao qual lhe corresponde trilhar.

Cada qual, como já dissemos, tem sua Missão e sua função dentro deste Plano do Logos, nos cabe encontrar dentro de nós esta razão de nosso Ser e nos colocarmos no local exato aonde somos esperados.

No entanto não se pode sentir o impulso do Ser, muito menos ser capaz de segui-lo, se em nós habitam esta antítese de nossa Alma, esta abominação que são nossos defeitos de tipo psicológico, nossa falsa personalidade, etc.

Necessitamos exercer um domínio permanente e constante sobre nossa natureza interior, compreendendo e desintegrando tudo aquilo que se põe como obstáculo para a cristalização de nossa Alma, de nossa Consciência e de nosso Espírito (Ser, Mônada, etc..).

"A 4 de Fevereiro de 1962 entre as 2 e 3 da tarde começará a era Aquária." - Os Mistérios Maiores, Samael Aun Weor

"Eu, Samael, humilde servo da nova era tão só vos ensinei a quinta verdade: Escutai homens! A quinta verdade é a magia sexual. Gabriel foi Avatara da primeira raça; Rafael foi o da segunda; Uriel foi o da terceira; Michael foi o da quarta; eu Samael Aun Weor sou o Avatara da atual quinta raça; Zachariel será o da sexta e Orifiel será o da sétima. Existem 7 verdades: I, conhecimento das dores e misérias deste mundo; II, conhecimento dafragilidade humana; III, conhecimento do desejo e do pecado; IV, conhecimento da mente humana; V, a árvore do conhecimento; VI, a consciência humana; VII, a árvore da vida. São 7 Avataras e 7 verdades, cada uma ensina uma verdade terrível. Jesus o Cristo não é Avatara, é mais que todos, é o Salvador do mundo, chefe de todas as almas, ele confirma os ensinamentos dos Avataras e os amplia. Ele virá no zénite de aquário e confirmará as que Samael os deu, assim sucessivamente nas demais raças; Então o reino de Deus se haverá consumado como ele o anunciou a seus servos, os profetas. Cada raça termina com um cataclismo. O poço do abismo está agora aberto, o fumo que sai dele traz guerras, fome e miséria; todo o século XX e parte do XXI será de guerras mortíferas, agora todas as almas que têm a marca da besta nas mãos e na frente estão entrando no abismo. Cada um dos 7 tocou sua trombeta para o grande cataclismo; Ai daqueles que não queiram aceitar a quinta verdade!, "A árvore do conhecimento", lede os capítulo 8, 9 e 10,Apocalipse. Todos os países serão assolados, destruídos, a grande Babilónia se afundará no abismo." - Os Mistérios Maiores, Samael Aun Weor.

"Perece o justo, e não há quem considere isso em seu coração, e os homens compassivos são recolhidos, sem que alguém considere que o justo é levado antes do mal.
Entrará em paz; descansarão nas suas camas, os que houverem andado na sua retidão.
Mas chegai-vos aqui, vós os filhos da agoureira, descendência adulterina, e de prostituição.
De quem fazeis o vosso passatempo? Contra quem escancarais a boca, e deitais para fora a língua? Porventura não sois filhos da transgressão, descendência da falsidade,
Que vos inflamais com os deuses debaixo de toda a árvore verde, e sacrificais os filhos nos ribeiros, nas fendas dos penhascos?
Nas pedras lisas dos ribeiros está a tua parte; estas, estas são a tua sorte; sobre elas também derramaste a tua libação, e lhes ofereceste ofertas; contentar-me-ia eu com estas coisas?
Sobre o monte alto e levantado pões a tua cama; e lá subiste para oferecer sacrifícios.
E detrás das portas, e dos umbrais puseste o teu memorial; pois te descobriste a outros que não a mim, e subiste, alargaste a tua cama, e fizeste aliança com alguns deles; amaste a sua cama, onde quer que a viste.
E foste ao rei com óleo, e multiplicaste os teus perfumes e enviaste os teus embaixadores para longe, e te abateste até ao inferno.
Na tua comprida viagem te cansaste; porém não disseste: Não há esperança; achaste novo vigor na tua mão; por isso não adoeceste.
Mas de quem tiveste receio, ou temor, para que mentisses, e não te lembrasses de mim, nem no teu coração me pusesses? Não é porventura porque eu me calei, e isso há muito tempo, e não me temes?
Eu publicarei a tua justiça, e as tuas obras, que não te aproveitarão.
Quando clamares, livrem-te os ídolos que ajuntaste; mas o vento a todos levará, e um sopro os arrebatará; mas o que confia em mim possuirá a terra, e herdará o meu santo monte.
E dir-se-á: Aplainai, aplainai a estrada, preparai o caminho; tirai os tropeços do caminho do meu povo.
Porque assim diz o Alto e o Sublime, que habita na eternidade, e cujo nome é Santo: Num alto e santo lugar habito; como também com o contrito e abatido de espírito, para vivificar o espírito dos abatidos, e para vivificar o coração dos contritos.
Porque não contenderei para sempre, nem continuamente me indignarei; porque o espírito perante a minha face se desfaleceria, e as almas que eu fiz.
Pela iniqüidade da sua avareza me indignei, e o feri; escondi-me, e indignei-me; contudo, rebelde, seguiu o caminho do seu coração.
Eu vejo os seus caminhos, e o sararei, e o guiarei, e lhe tornarei a dar consolação, a saber, aos seus pranteadores.
Eu crio os frutos dos lábios: paz, paz, para o que está longe; e para o que está perto, diz o SENHOR, e eu o sararei.
Mas os ímpios são como o mar bravo, porque não se pode aquietar, e as suas águas lançam de si lama e lodo.
Não há paz para os ímpios, diz o meu Deus.
"

Isaías 57:1-21

04/02/13