CLXV
Textos sobre Metafísica
Discernimento Astral

"Na realidade e de verdade, escrevemos este livro para os que já estejam cansados de tantas teorias pseudo-ocultistas e pseudo-esoteristas; para os que em verdade queiram já de imediato ingressar aos mundos internos; para os que já estejam desejosos de entrar no laboratório da natureza. Certamente nos dói muito ver as pessoas perdendo o tempo miseravelmente. Queremos magos práticos, ocultistas verdadeiros e não simples charlatões." - Medicina Oculta e Magia Prática, Samael Aun Weor


Não há dúvida, não há razão para crer, que não devamos lutar por este Despertar nas regiões superiores da natureza.
Realmente muito, muito mesmo, podemos fazer pelo bem da humanidade e dos demais iniciados nos mistérios, se estamos despertos nestas regiões.

Quantas dúvidas podemos tirar diretamente com os Mestres, participar das atividades seja de nosso raio iniciático, ou das atividades da Igreja Gnóstica dos Mundos Superiores, enfim há muito por fazer.
Belzebu, o príncipe dos demônios quando arrependido por suas ações e desejoso de seguir o caminho reto, lançou-se a transportar internamente (nos mundos internos da natureza) os enfermos até o Templo de Alden (Templo de Cura).

Isto é um exemplo de tantas coisas que podemos fazer.
Hoje em dia há irmãos especialistas ajudando a estas pessoas que trilham o caminho, seja desfazendo trabalhos de Magia Negra, seja defendendo de entidades que queiram causar dano, etc.


Claro que nisto tudo há regras e regras muito claras dadas pela Loja Branca, e muitas vezes se não vamos diretamente a fonte e não nos fazemos conscientes destes ordenamentos, acabamos cometendo erros e estancados no caminho.

O Mestre Lakhsmi, fisicamente, em um concílio gnóstico, comentava que se vamos a uma floresta a e lá, mesmo que para defender a vida, matamos a um Tigre, o karma por ter matado este Tigre é o equivalente a ter matado como dez pessoas.

Isto do ponto de vista intelectual pode parecer uma loucura, pois a mente não tem compreensão da dimensão e da realidade interna das leis que somos regidos.
Igualmente o Mestre Lakhsmi ainda reforçava neste mesmo dia, que nós temos todo o direito de nos defendermos dentro de nossos lares e dentro de nossos Templos Gnósticos, mas que no mundo, fora destes dois lugares, não podemos intervir, porque o mundo, é a casa do Demônio.

O Cristo Jesus já dizia, "Meu Reino não é deste mundo", demonstrando que o mundo era regido por forças tenebrosas. Dizemos isto porque há pessoas que se põe a passar saumérios nas ruas ou na casa de entes queridos, de exorcizar fora de um lumisial ou de suas próprias casas e isto faz com que não tenham o suporte da Loja Branca para estas ações.

Indicamos tanto as instituições gnósticas, estas que tem um suporte da Loja Branca, porque nestes lugares realmente os Mestres podem atuar, defender e proteger estas pessoas que lá concorrem.
Se um demônio destes adentra em um lugar sagrado, qualquer Sacerdote, casto, pode enviar a uma entidade destas ao Abismo, tranqüilamente.

Tem este direito porque exerce três poderes, a força do Terceiro Logos (Espírito Santo) por meio da castidade, o mistério do Verbo (Pai) por meio dos mantras e a misericórdia e o amor da presença dos Mestres dando suporte e apoiando a pessoa (Cristo).


Por isto que temos que despertar e despertar urgentemente, porque as teorias poderiam uma pessoa fazer algo fora do lugar adequado e nisto sem este suporte da Loja Branca, se ver atacado e mantido em cárcere porque está em desacordo com os Mestres que poderiam lhe ajudar.


Este que vos escreve sempre teve muita dificuldade em fazer o Desdobramento diretamente no instante da vigília e sono, mas nunca nos faltou infinitas ocorrências de por um discernimento nos darmos conta de que região nos encontrávamos.
E Isto é muito simples, basta que nos proponhamos a trabalhar DIA E NOITE por este Despertar.

Cada sonho, cada tema que venhamos a sonhar durante a noite, temos que estudar e esquadrinhar que elementos egóicos ali atuaram, e identificar estes mesmos em nosso dia a dia e eliminá-los, sem dó nem piedade algum.
Estudar, compreender, rogar a mãe e lhe projetar o fogo do Terceiro Logos.


Nisto, por uma auto-observação que tenha de sua psique, por uma observação física do que o rodeia, acaba repetindo no momento de sono e inevitavelmente se dá conta da realidade interna e é guiado ou vai por conta própria aonde tem ou quer ir.

Se sonhamos com o trabalho, temos que nos fazer conscientes e observados, auto-observados, nestes momentos em que estamos ao trabalho.
Se sonhamos com a família, temos que fazer o possível e o impossível para não nos deixar identificar e fascinar por nada, nestes momentos em que estamos junto a família.
Isto se repetimos para cada tema que sonhamos, me digam como será possível que estas fantasias e este sono da consciência se processe?


Mas tenham um bom motivo, encontrem em seus corações uma razão objetiva para realizar algo em Corpo Astral, e lhes digo que terão toda a ajuda, desde sua própria consciência e Ser, até os Mestres e a própria natureza, compadecida da necessidade.


Gostaria de dar dois exemplos interessantes que ocorreram um esta noite que passou e outro no ultimo sábado...
Esta noite, logo depois da meditação acabei dormindo e me vi andando por uma rua, nisto peguei no Astral meu telefone para ver que horas eram e notei que não era meu telefone (como é no físico). Isto foi o primeiro sono, o primeiro sonho da noite, o primeiro instante.

Olhei ao meu redor, vi umas pessoas correndo, me parecia um lugar desconhecido, uma atmosfera muito incomum (para ser física), óbvio que estava em Corpo Astral. exclamei, ainda disse isto a pessoa que me acompanhava.
Nisto pedi ao Pai, pedi a Mãe, que nos permitisse ser transportados até a Santa Igreja Gnóstica...


Não que nesta mesma noite não tenhamos mais sonhado nem que em noites neste meio tempo do sábado até hoje não tenhamos tido outras experiências, mas gostaria de citar esta do sábado em particular, por considerar ser importante para o entendimento de como se processa este discernimento.

Sábado estava meditando e senti uma presença no quarto, minha esposa já estava na cama e dormindo, sabia que não era ela.
O Que não havia notado é que eu já havia me desdobrado e estava meditando no próprio Astral, por isto que pude sentir tão bem e até ver claramente aquela pessoa ingressando ao recinto.

Não sei se era um Mestre ou se era alguma personalidade, entidade, "mas não fiquei para ver", ao me dar conta da realidade Astral, fechei as quatro paredes do quarto com as conjurações (para que não fosse atacado) e saí voando e rogando mais uma vez ao Pai que me permitisse chegar até a Santa Igreja Gnóstica dos Mundos Superiores.


Qual a dificuldade da pessoa observar ao seu redor e tentar identificar as leis que o regem naquele momento? Como demonstramos, nenhuma.
Nós temos que eliminar de nossa natureza a preguiça, o pessimismo, o intelectualismo, as teorias; e buscar a prática e ter a mais absoluta certeza que faremos porque faremos, e faremos.


Aos irmãos que estão afastados destes grupos que comprovamos como idôneos, pedimos que façam a prática e que peçam ao Ser, a sua consciência e aos V.M da Loja Branca que lhes permitam ter experiências internas no sentido de lhes revelar a natureza destas instituições e verão, que sim porque sim, vale a pena e existe um porque de toda esta indicação que fazemos.


Muitas pessoas não podemos ajudar e não podemos dar um suporte, proteger, realmente fazer algo objetivo, porque se fazemos as pessoas se afastariam mais e mais do caminho, acreditando estarem certas.
Então lhes deixamos ir, e sofrer pelos erros cometidos, nisto ao retornarem ao caminho, podemos dar esta ajuda física e interna, pois assim compreendem que estão caminhando dentro dos planos divinos.


"Mas isso desagradou extremamente a Jonas, e ele ficou irado.
E orou ao SENHOR, e disse: Ah! SENHOR! Não foi esta minha palavra, estando ainda na minha terra? Por isso é que me preveni, fugindo para Társis, pois sabia que és Deus compassivo e misericordioso, longânimo e grande em benignidade, e que te arrependes do mal.
Peço-te, pois, ó SENHOR, tira-me a vida, porque melhor me é morrer do que viver.
E disse o SENHOR: Fazes bem que assim te ires?
Então Jonas saiu da cidade, e sentou-se ao oriente dela; e ali fez uma cabana, e sentou-se debaixo dela, à sombra, até ver o que aconteceria à cidade.
E fez o SENHOR Deus nascer uma aboboreira, e ela subiu por cima de Jonas, para que fizesse sombra sobre a sua cabeça, a fim de o livrar do seu enfado; e Jonas se alegrou em extremo por causa da aboboreira.
Mas Deus enviou um verme, no dia seguinte ao subir da alva, o qual feriu a aboboreira, e esta se secou.
E aconteceu que, aparecendo o sol, Deus mandou um vento calmoso oriental, e o sol feriu a cabeça de Jonas; e ele desmaiou, e desejou com toda a sua alma morrer, dizendo: Melhor me é morrer do que viver.
Então disse Deus a Jonas: Fazes bem que assim te ires por causa da aboboreira? E ele disse: Faço bem que me revolte até à morte.
E disse o SENHOR: Tiveste tu compaixão da aboboreira, na qual não trabalhaste, nem a fizeste crescer, que numa noite nasceu, e numa noite pereceu;
E não hei de eu ter compaixão da grande cidade de Nínive em que estão mais de cento e vinte mil homens que não sabem discernir entre a sua mão direita e a sua mão esquerda, e também muitos animais?
"
Jonas 4:1-11

15/02/13