CLXV
Textos sobre Metafísica
A Imaginação e a Meditação

Muitas pessoas reclamam de falta de iluminação e falta de poderes internos. Claro que a maioria delas está ainda muito no começo de seus trabalhos para poder ter algumas vivências claras e objetivas da parte espiritual. Há sempre uma ponte que temos que atravessar entre a velha vida e a nova vida, um deserto, ou um mar, como antigamente era dito.

A Iluminação, no sentido de vivências espirituais objetivas, depende de muitas questões, não apenas do nível de consciência do caminhante, mas de limitações relativas ao processo que ele vive, em relação a esta reintegração com seu Real Ser, seu Deus Interno. Além disto, há funções que correspondem a certas partes autônomas do Ser, e apesar delas estarem presentes, podem não estar desenvolvidas ou integradas com esta pessoa.

Os Próprios corpos solares cristificados pela iniciação são exigências para certos graus de iluminação.


Mesmo assim, vemos muitas pessoas que vão no caminho, que lutam pela liberação de sua consciência, que estão sacrificando-se, que estão nascendo corretamente e ainda assim vão como cegos, tateando o caminho.

Hoje em dia é muito difícil ver uma pessoa que seja realmente equilibrada, que saiba não mal gastar suas energias em uma ou outra coisa.
O Mundo tornou-se um espetáculo de prazeres e de afazeres sem fim.

A Televisão, o rádio, o computador, tudo nos trás a todo momento, centenas de milhares de estímulos e tudo isto prejudica as funções da imaginação consciente.
O Stress do dia a dia, danifica nosso sistema nervoso, que é por onde ingressam e por onde manifestam-se boa parte das capacidades internas, quando integrando-se com as funções humanas normais.

Um Clarividente vê o que vê, porque sua imaginação não está corrompida por forças alheias a realidade, também porque seu sistema nervoso é capaz de sobrepor o que a clarividência (imaginação consciente) percebe, por sobre o que vemos com nossos olhos físicos. Isto de forma voluntária e consciente.


O Inverso disto é bastante conhecido, a clarividência negativa, que são as pessoas que são atormentadas por visões de dimensões inferiores da natureza, e que por este tormento, tornam-se loucas, caluniadoras, assassinas, e outras coisas do gênero. Ou seja, a pessoa tem uma imaginação corrompida por medos e temores, influências negativas, tem um sistema nervoso danificado e sensível as energias tenebrosas.

Mesmo o clarividente positivo, por mais que o que ele veja seja a realidade, existem momentos e momentos do caminho, e seus sentidos antes de uma Quinta Iniciação de Mistérios Maiores, não pode ser totalmente levadas em consideração, porque ainda tem influencias negativas.


Todos nós, absolutamente todos, temos algum tipo de clarividência, porque o primeiro nível de clarividência é a imaginação. Por isto que as crianças normalmente estão mais suceptíveis a visões e percepções ocultas, porque sua imaginação ainda não foi perdida e para ela tudo é uma possibilidade, ela não se fechou para estas dimensões superiores da natureza.

Se a imaginação consciente é a base não só da clarividência, mas da intuição, da telepatia, de tudo... temos que aprender a restaurar estes poderes da imaginação.


A Meditação é uma das melhores técnicas que hoje temos e ensinamos para restaurar o sentido da imaginação e por conseqüência desenvolver novamente estes méritos do coração.
Quando o homem aprenda verdadeiramente a meditar, ele poderá ser, mesmo que por alguns instantes, a própria Consciência, mover-se conscientemente pelas regiões superiores da natureza, durante o êxtase místico.

A Meditação é uma técnica simples que tem muitos fins distintos. Ela pode ser utilizada como uma técnica de atingir o vazio iluminador, quando buscamos apenas a quietude e o silêncio em todos os níveis da mente. Quando a mente fica em completo silêncio, o Ser simplesmente penetra nesta e a preenche.

Há outro tipo de meditação que serve para obter informação, ou avaliar algo, desde o ponto de vista que tem o Ser e a Consciência. Claro que isto não é algo que normalmente se consegue realizar da noite para o dia, assim como o vazio iluminador, mas é algo possível e que temos que praticar até conseguir esta perfeição.


A Meditação consiste em um relaxamento do corpo físico em uma posição confortável, em deixar de lado todos os cinco centros inferiores da máquina humana, colocando eles em perfeito repouso.
Na meditação algumas pessoas terão dificuldades para ficarem paradas, isto indica que falha o motor em relaxar. Outras terão comichões e algum mal estar, relacionado ao instintivo... assim todos os centros temos que prepará-los para a meditação.

A Emoção e a Mente, para o iniciado acabam sendo os dois últimos obstáculos finais para as experiências transcendentais.


A Emoção humana deve ser substituída pela Emoção Superior, e isto fazemos com esta oração, esta adoração, esta integração para com nossa Divindade, para com nossa Consciência. Fazemos pela mística.
A Mente precisa tornar-se passiva, deixar de emitir pensamentos nestes momentos. Não podemos simplesmente negar por negar o que ela apresente, mas a cada novo estímulo que venha, observar, compreender e então sim deixar passar, porque desta compreensão tiramos a energia ali depositada naquilo que certamente nos faria dormir e sonhar.

Há estados de meditação em que a pessoa simplesmente já vê-se não mais como um indivíduo mas como um oceano, e tudo lhe é possível ver e compreender. Quando nos fusionamos com nossa consciência divina, nos é então possível seja ver o passado ou conhecer o futuro... realmente avaliar nossa vida, nosso dia, nossas ações, desde o ponto de vista do Ser.

Isto é importante para quem realmente anele o caminho reto, porque o que buscamos é uma reta maneira de pensar, uma reta maneira de atuar, uma reta maneira até de ganhar a vida (sustento). Então nestes estados de consciência, aonde por alguns instantes nos vemos seja em posse de nossa consciência ainda aprisionada no ego, mas liberada por uns breves momentos, ou em posse, em forma de consciência divina, avaliar tudo isto que é nossa vida e nossas realizações.


Pode ser muito agradável ver um filme, ou escutar uma música bonita, e não estamos dizendo que não se faça, mas estamos afirmando que muitas vezes são alguns destes detalhes que impedem a pessoa de recapitular existências anteriores, de poder assimilar e integrar-se com a consciência, dentre tantas coisas que necessitamos fazer no caminho. Claro que há músicas e músicas, filmes e filmes, e não podemos simplesmente colocar tudo para dentro, como faz todo mundo, porque não vamos em uma mesma direção que os demais.

Há no mundo muitas coisas belas, umas lícitas outras ilícitas, dependendo do caminho que escolhamos tomar. Cada um é livre para escolher, mas de suas escolhas, serão os frutos que poderá produzir.

"Já vos não chamarei servos, porque o servo não sabe o que faz o seu senhor; mas tenho-vos chamado amigos, porque tudo quanto ouvi de meu Pai vos tenho feito conhecer." - João 15:15

18/06/13