CLXV
Textos sobre Metafísica
Pés a Mãos, Passado e Futuro

Nosso corpo físico, é na verdade o resultado da cristalização de nossos veículos internos, e ele torna-se algo relativo ao que somos em essência.
Para nascer necessitamos da semente humana, mas as forças que moldam esta semente (já transformada em indivíduo) depois do nascimento, se relacionam com esta Alma que esteja ligada à este corpo. Claro que não é apenas isto que molda o corpo físico, mas isto define certas características muito especiais da pessoa.

Há duas partes de nosso corpo que chamam muito atenção e tem um sentido muito especial, no que são estas características espirituais que temos cristalizadas no físico. Estamos nos referindo às mãos e os pés.


É Interessante porque nos apoiamos sobre os pés, e utilizamos as mãos para nossos feitos. Os Pés são os que nos levam em nosso caminho, e nas mãos muitas vezes levamos o que carregamos conosco ou o que estejamos moldando para nosso uso futuro.

Os Pés são um símbolo do passado, porque eles simbolizam a caminhada que já fizemos, também claro do presente, porque é aonde estamos pisando no momento. Já as mãos simbolizam o labor do momento e também as ações que determinam o futuro.

Assim compreendemos o porque de tantos estudos sobre as linhas dos pés e das mãos. Realmente em nossos pés fica assinalado nosso passado, nossas ações positivas e negativas já executadas, nesta e em outras existências.
Nas Mãos está determinado o presente e o futuro da pessoa, não apenas a nível físico mas espiritual.


Então em síntese podemos dizer que os pés simbolizam o passado, e as mãos o futuro. Nos olhos da pessoa, por meio do estudo da íris, podemos determinar o presente, principalmente no que se refere a questões físicas, como de saúde.
Não que não hajam outras formas de diagnóstico, mas é uma das mais precisas que temos para esta análise.


Recordemos o lavatório de pés, aonde o Cristo lava os pés de doze varões (homens), como símbolo da purificação de seus pecados.
Este lavatório de pés, este ritual que executou o Cristo, é um rito aonde se purifica o indivíduo dos erros do passado.

Os Iniciados, no decorrer de alguns processos da Alta Iniciação, tem de repetir este feito, seja no papel de varão, tendo seus pecados perdoados, seja do ponto de vista do Cristo, realizando tal rito. Logicamente estamos nos referindo a ritos que ocorrem nos mundos internos.


Quanto as mãos, nos cabe ainda dizer, que a mão esquerda refere-se a saúde e a vida material, enquanto a direita refere-se ao caminho espiritual e ao Ser.
Este é o motivo que chamamos o caminho tenebroso de caminho da Mão Esquerda, porque tende a materialidade, e ao domínio do ponto de vista inferior, já que o Mago Negro como Alma Humana, quer que se faça a sua vontade.
Já o caminho divino de integração com o Espírito dizemos o caminho da Mão Direita, porque é exatamente esta integração da pessoa, como Alma Humana, com sua consciência e com seu Ser. Diz o Cristo ao Pai: "Se for possível afasta de mim este cálice, mas que não se faça a minha vontade, senão a tua".

Na Mão esquerda por exemplo, temos a linha da vida, é a linha que inicia na palma da mão, perto do pulso e que termina no verso da mão, entre o polegar e o dedo indicador.
O Tamanho desta linha, medida em milímetros, nos diz os anos de vida que temos destinados à esta existência.

Estas linhas das mãos, assim como outros traços no corpo, se alteram conforme se altera o destino do indivíduo, ainda que nem sempre a alteração do destino se cristalize nestas formas (porque há alterações que levam tempo para cristalizarem-se).


Na Mão direita, a linha equivalente à linha da vida, é a linha espiritual que indica as nuances e os momentos que vivemos em nosso caminho espiritual.
Cada milímetro desta linha, corresponde a um ano físico, e assim podemos prever os anos difíceis e até comprovar se são idades que já passaram, estas cristalizações do que nos estava assinalado pelo destino.

Por a iniciação ser algo tão particular e velado ao Ser de cada pessoa, este é o motivo que jamais devemos mostrar as linhas de nossa mão direita, à ninguém.

Existe no meio gnóstico, livros escritos por Mestres, que se dedicam a explicar estes sistemas de diagnóstico seja pela iridologia (estudo da íris) ou pela quiromancia (estudo das mãos).


A Outra questão relacionada à Mão Direita, são vivencias próprias que tivemos e nos parece interessante relatar neste momento.
Em certa altura dos processos iniciáticos, é natural reviver eventos que viveu a Alma Humana (o Bodhisatwa), no decorrer de existências anteriores, aí se revive todos estes processos de iniciação que como humanos já fomos submetidos. Porque acaba sendo uma recapitulação, se não estamos fazendo pela primeira vez a Obra.
Na seqüência natural deste processo, se revive o relacionado ao Ser, e os processos que o Ser já viveu por meio da Alma Humana, no decorrer de seus processos.

Neste processo aonde revivemos questões relacionadas ao Ser, pudemos rever uma cerimônia de outros tempos, aonde o Ser chegava até certo processo aonde lhe era dado, dentro do templo, o nome sagrado. Nesta manhã, ao voltarmos ao corpo físico, tivemos o impulso espiritual de olhar a mão destra, e ali havia a primeira letra deste nome sagrado, em letras claramente e artisticamente desenhadas.
Então que em nossa destra, levamos em potência a Obra do Ser de cada um de nós.

Na testa de cada um de nós, também há outra indicação referente ao Ser, que é ao Raio que corresponde cada pessoa.
Nosso Ser em seu processo de ingresso à Terra, teve de passar por um dos sete principais planetas, para lograr este acesso planetário.
Este dizemos é o Raio Planetário de cada Ser.

A Quantidade de linhas na testa do indivíduo (linhas que atravessam horizontalmente a testa), assinalam a que Raio Planetário corresponde e os atributos primários que tenha este Ser.
1 - Lua;
2 - Mercúrio;
3 - Vênus;
4 - Sol;
5 - Marte;
6 - Júpiter;
7 - Saturno;

Não vamos adentrar nas características de cada um destes raios, pois isto já existe documentado, mas podemos relembrar alguns, citando relacionado à Lua o Raio do Lar, da Família; Mercúrio como Raio da Sabedoria, da Medicina; Júpiter como Raio da Justiça e Saturno como Raio da Agricultura, da Morte (Anjos que regem o desencarne).

Assim podemos compreender, o porque algumas pessoas tem características mais voltadas ao campo, ou realizam-se dentro do sistema familiar, ou qualquer um destes raios que aqui apresentamos.

27/05/13