CLXV
Textos sobre Metafísica
Estados de Consciência

O Que difere, em ultima síntese, uma pessoa de outra, é sua exaltação psicológica, em outras palavras o estado de consciência em que ela se encontra.

O Caminho iniciático, o processo de reintegração com a Divindade, nada mais é do que esta criação de regiões psicológicas, povoadas de virtudes, de consciência.


Há muitas pessoas que possuem liberada, uma boa quantidade de essência, já realizaram o trabalho de uma maneira capaz de poderem exercer certos estados de consciência, tão necessários ao caminho.

Mas o que vemos é que estas pessoas não sabem manejar os estados de consciência, não sabem integrar-se com esta consciência e exercer estas capacidades já latentes e disponíveis em sua psique.

A Mística, é uma destas formas tão indispensáveis de encarnar, de expressar, de integrar-nos com esta consciência que temos, e exercer ativamente estas capacidades espirituais.


Muitas pessoas não estão despertas nos mundos internos, ou não tem exercido esta consciência e esta locomoção consciente, simplesmente porque não aprenderam a manejar estes estados psicológicos.
Se uma pessoa qualquer consegue provocar estes estados de êxtase durante o dia a dia, se consegue penetrar por detrás do véu do mistério e realmente sentir, tocar a Divindade, ela pois ao fazer isto internamente, ao repetir este mesmo feito durante os momentos em que o corpo repousa no leito, faz-se desperta nas regiões superiores.

Isto tudo, certamente não é uma questão de teorias, depende realmente de uma prática por buscar esta integração e ter esta posse de nossa consciência.


Estar Desperto é estar Consciente, é perceber a realidade e não projetar sobre ela fantasias, medos, conceitos.
Eliminar nossas fantasias, nossos medos, nossos conceitos, é pois o caminho para que possamos perceber e lidar com a realidade.


O Homem deve aprender a valorizar o belo, o divino, o muitas vezes fisicamente simples, mas que internamente está cheio de vitalidade espiritual, de Deus.
Quando nossas ações físicas são a cristalização da vontade do Deus Íntimo de cada um, temos condições de internamente seguir sendo guiados por esta Divindade, e seguir este instinto Divino que nos guia até aonde temos que ir, que nos impulsiona a fazer o que temos que fazer.


Vemos que todos os ensinamentos gnósticos são muito simples, realmente muito simples. E Não nos falta ajuda em nenhum momento para realizarmos o que se faça necessário.

Já tivemos por diversas vezes a chance não apenas de dialogar com os Mestres, mas de receber sua ajuda ativa, para experimentar estados de consciência ao qual sabemos, que em um grau mais elevado, é o que seremos quando não tenhamos mais defeitos.
Isto é importante para cada um de nós, porque são vivências que nos permitem ver o futuro e nosso destino, se efetivamente cumprimos com os mandatos de nosso Deus Íntimo, porque é esta integração com ele, que nos dá estas capacidades.

Nunca esqueceremos aqueles momentos, aonde nos mundos internos a Mestra Litelantes nos fez um trabalho para nos ajudar a compreender algo, e realmente estivemos despertos, absolutamente despertos, ainda que por um breve momento. Conseguimos uma única vez replicar por nossa própria conta este mesmo estado, e é algo que certamente nos impulsiona a romper com estas barreiras e estes limites que nos impõe nossos defeitos.

Existem claro estados e estados, podemos estar despertos no sentido de estarmos conscientes, mas isto tem muitos niveis e muitas variações. Isto é como a luz que pode iluminar ou pode realmente desfazer todas as trevas em sua expressão.

Mas o que queremos exemplificar, é que os Mestres sempre nos ajudam, não são questão de palavras, é uma questão de integração, de realmente falar com estes seres, com este sentimento superior que toma a pessoa. É Realmente ter fé no que estamos fazendo, e perceber tudo aquilo que se processa, não apenas fisicamente mas internamente.

Há objetos que tem tanto poder e tanta luz espiritual, que sinceramente as pessoas tirariam as coisas que tem em seus altares e colocariam estes objetos se pudessem ver a realidade espiritual dos mesmos. Mas estamos acostumados a só ver, a só sentir a parte física por meio de nossos sentidos ordinários.

Em tudo isto, é uma questão de vontade, de nos colocar ativamente a serviço de nossa consciência e realmente buscar esta integração, esta ação justa, que tanto nos impulsiona dia após dia.
Não é uma questão de buscar poderes, mas encarnar as virtudes, porque não é pela cobiça ou pelo desejo que vamos perceber esta parte espiritual, e sim pela ausência de sonhos, pela ausência de desejo, pela ausência de cada um destes defeitos que são os que nos aprisionam neste abismo que acaba sendo a vida material de cada um.


O Que ganhamos por estes esforços, por cada uma destas vivências, são questões que o tempo não pode apagar. Passarão as eras, passarão as raças, voltaremos ao absoluto e tornaremos a retornar a esfera e isto permanecerá gravado na consciência de cada um de nós.

31/07/13