CLXV
Textos sobre Metafísica
Discernimento

Ontem falávamos de aspectos relativos a Loja Branca, e o que é a estrutura interna que existe por parte deste Círculo Consciente da Humanidade Solar.
A Questão é que nisto tudo, destas informações, muitos tomam como teorias, ou até como verdades incomprováveis, não apalpáveis.

Há uma frase que citamos ontem, e hoje repetimos, para adentrar neste tema que é tão necessário tocar:
"Se esse homem, em vida, quando possuía seu corpo físico, tivesse praticado a Chave do "Discernimento", teria sido capaz de despertar consciência durante seu sonho normal, e, agora depois de morto, converter-se-ia num discípulo consciente, embora desencarnado, da Grande Loja Maçônica Branca." - Logos, Mantram e Teúrgia - V.M. Samael Aun Weor.

Há muitas chaves nisto que é o Despertar da Consciência e métodos para estarmos despertos nestas dimensões superiores da natureza, e talvez a mais simples e a mais significativa seja o discernimento.

Muitos entendem que para estarem conscientes nas regiões internas da natureza, precisam se levantar do leito naquele instante preciso aonde o corpo físico já está pronto para liberar o corpo astral, e realmente é uma das formas que temos para a Projeção Astral, mas há outras formas de também estarmos conscientes no interno.

O Discernimento é um dom da própria consciência, uma inteligência que nos permite avaliar, julgar, compreender o que nos cerca.
É o Discernimento que nos permite distinguir entre o que é certo e o que é errado, do ponto de vista espiritual, natural (Leis Espirituais e Leis Naturais)... e dependendo do nível que esteja esta humanidade, até mesmo o relativo ao humano (Leis Humanas).

No caminho, nesta busca pelo Ser, pelo Cristo Íntimo, passamos por uma série de processos aonde temos que encontrar dentro de nós, frações, partes que em conjunto vem a formar o Cristo em nós. Isto são virtudes, dons, atributos, e uma série de forças auto-conscientes que no inicio desta jornada, se encontram apenas em seu estado potencial, muitas delas escravizadas por forças negativas, dentro de nós mesmos.

O Discernimento é uma destas virtudes e um destes dons, que abrem as portas para muitas possibilidades, porque está intimamente ligado com a intuição, que é esta capacidade de ver, de compreender, de perceber o que nossas capacidades físicas, não podem.
Percebemos o interno ou o que nossos sentidos não são capazes de perceber, por meio da intuição, mas reconhecemos sua natureza por meio do discernimento.
A Intuição por si só, já confere certa capacidade de discernimento, mas o discernimento é um outro nível da intuição.

Intuir é receber, perceber algo, discernir é ir lá e pegar, apalpar, avaliar conscientemente.


Nós não estamos despertos, noite após noite, pela falta do discernimento. Claro que inevitavelmente sonhos vão ocorrer, porque temos desejos, temos pensamentos, e isto tudo nesta parte interna, projeta-se como sonhos. Há também sonhos espirituais, e mesmo despertos, também inevitavelmente vão ocorrer, estes sonhos simbólicos e até relativos a existências anteriores, como uma recapitulação das mesmas.

Na prática, discernir é perceber conscientemente estas influências que nos rodeiam, é saber escolher, saber afirmar, ser capaz de perceber a realidade.
Se na vida prática, no dia a dia conseguimos atuar dentro do que seja esta capacidade de ter este juizo, esta razão sobre cada questão, cada evento da vida... se nos mantemos conscientes no dia a dia, no Astral, nas dimensões superiores da natureza, nestes momentos de sono do corpo físico, repetiremos exatamente o mesmo feito, tal qual no físico e o resultado será o Despertar da Consciência.

A Única forma de um Iniciado converter-se verdadeiramente em um Adepto, é sendo capaz de investigar o oculto por si mesmo, é ser capaz de discorrer o véu do mistério, e penetrar no santuário secreto, por suas próprias realizações.


Uma vez que tenhamos consciência que não nos encontramos na parte física, no mundo tridimensional, há infinitas possibilidades de realizações, de ações que podemos fazer.
Podemos realizar uma cura, realizar algum procedimento mágico, fazer algum experimento, invocar aos Anjos e Arcanjos, dialogar com um Elohim, face a face.
Tudo é possível quando aprendemos a discernir nestas regiões internas da natureza.

Para que possamos ir à algum Templo da Loja Branca, basta rogar ao Ser, ou a Mãe (internos, Espirituais de cada um), que nos leve a tal ou qual lugar, e sem demora, se temos este direito, este merecimento, seremos de imediato transportados a tal lugar.

Há um inconveniente que costuma acontecer nos que estão aprendendo a viajar conscientemente no Astral, que é recordarem-se de seu corpo físico, é muito normal acordar, retornar ao corpo físico, ao recordar dele; Porque o pensamento, o sentimento, nos mundos internos são suficientes para nos levarmos a qualquer canto... e neste caso de volta ao corpo físico.


É este mesmo discernimento que nos permite saber, ao estar frente a alguma criatura, seja fisicamente, seja internamente, sua real natureza.
Os Mestres muitas vezes relatam que ao entrarem em um templo, mesmo belo, vendo pessoas falarem coisas divinas, percebiam que por detrás daquelas palavras, por detrás daquelas ações, havia um fundo que de todo era negativo, e a intuição neste nível chamamos discernimento.

Mais além da lógica, está o bom senso, mais além do bom senso está a intuição, mais além da intuição está o discernimento, após isto são graus de omniciência e pela visão e compreensão das coisas, já torna-se estes casos aonde não se pode mais dormir, que se vive consciente tanto física como internamente, um Turya.


Sabemos que muitas pessoas gostariam de comprovar estes ensinamentos, de realmente vivenciar estas experiências internas, de penetrar nos Templos e dialogar com os Mestres, e tudo isto é possível e acessível, para quem tenha a boa vontade e a paciência para realizar estes feitos.

A Natureza não dá saltos, e assim como a árvore leva muito tempo para crescer, para dar seus frutos, assim o homem, precisa de tenacidade e de vontade em captar estas forças solares e lunares, estas forças de cima e de baixo, até ser capaz de dar seus frutos, realizar seus feitos.

É Muito raro já nascer (de berço) como um Adepto, como Mestre, o normal é ser um Neófito, tornar-se um Iniciado e depois alcançar o Adeptado. Os Adeptos de berço, são os que chegaram em prévias existências até uma Terceira Iniciação de Mistérios Maiores...


Há poucas noites estando em um Templo da Loja Branca, encontramos a um velho irmão, uma destas tantas pessoas que já estiveram a nosso lado neste caminho... nos surpreendemos ao ver não o Bodhisatwa (Alma Humana) ou a Personalidade, mas ao Ser daquele indíviduo, sentado imponente naquele templo, vestido com uma túnica amarela cor de areia, e sob sua cabeça a mitra de mesma cor. Ao chamar aquele indivíduo sagrado pelo nome humano que lhe conhecia, ele me repreendeu dizendo: "Me chame de ...", e dizendo seu nome sagrado.

Ficamos contentes por ver o Ser destes indivíduos, porque se a parte humana não estivesse laborando dentro do que sejam os Planos da Loja Branca, dentro do que seja a vontade do Ser, ele não poderia estar ali, daquela maneira, com aquelas vestimentas.

O Ser inevitavelmente está ligado e depende de sua fração humana. Pois se o Ser não se expressa (por meio da parte humana), se ela, a parte humana, não responde a seus estímulos e se não realiza a Obra que é a Obra dele, pois o Ser internamente fica privado sequer de adentrar nestes locais sagrados, e privado de sua vestidura.


É Uma terrível responsabilidade que recai sobre a parte humana, nestes trabalhos em relação ao que necessita o Ser.

Discernimento, discernimento!


Paz Inverencial!

 

15/08/13