CLXV
Textos sobre Metafísica
O Templo de Vulcano

João estava frente ao Templo de Vulcano e encontrou alguns anjos, um deles cantava em versos o drama da vida de João.
Os Anjos com seu verbo divino e com sua supra-consciência conhecem o passado e o futuro pois tem acesso ao Akasha por meio do Fogo Divino.

A Mãe Divina de João interrompe o Anjo e o tomando pela mão entra no Vestíbulo do Templo, e ordena que João ponha suas vestes.
Segue o diálogo entre João e sua Mãe Divina:
- Minhas vestes foram queimadas, não posso entrar no templo;
- Meu filho, jamais deixaria que queimassem tuas vestes, toma, está na tua hora de entrar no templo;
- Mas me faltam os implementos Sacerdotais;
- Não te preocupes, eles não te reconhecerão;

João põe suas vestes e toma seu posto diante da porta que conduz ao centro da terra. Vulcão a dentro entra, aonde as massas involucionantes seguem seu caminho.
João vai lavar-se na água de vulcano.
A Mãe de João o conduz até um Mestre de vestiduras brancas que guarda o sinuoso caminho vulcão a baixo.
O Mestre questiona a João quanto calça, e respondida a pergunta o guia até aonde deve lavar seus pés para purificar-se.
João mergulha seus pés nas águas do Estige, e de fato desfaz o erro do Calcanhar de Aquiles. João é purificado.

João então é conduzido até o vinhedo e colhe as uvas para o Santo Ofício;
Passado os demais ritos, investiga e dialoga com alguns seres Divinos que ali laboram e também alguns seres involucionantes.
Alguns Adeptos dialogam de Três Deuses, e por fim discorrem mistérios sobre o Deus Matéria.

À Matéria todos temos de descer e sermos regidos por tal Deus, ele é quem prova os homens e lhes conduz a imortalidade ou a condenação.
Ninguém poderia ter a graça de ascender aos Céus, se não tivesse tido o infortúnio de ter de baixar ao Averno para purificar-se de todo mal, e vencer todas as provas que são dadas por esta Divindade.
Espírito e Matéria se complementam, Ninguém pode integrar-se com o Espírito, se não vence a tentação da matéria.
Ninguém vence a tentação da Matéria, se não é guiado pelo Espírito.

Maria, a Mãe Divina, sempre conduz seu filho pelo caminho do êxito.
Os Amargurados, os condenados, poderiam salvar-se da perdição do Abismo, se escutassem à sua Divina Mãe Kundalini.
A Mãe nunca abandona seu filho. Também Mestres mesmo no Averno trabalham por salvar a Alma dos arrependidos.

Arrependimento é a chave que pode tirar estas almas do Abismo. Arrependimento e a ajuda da Serpente Mágica, a Divina Mãe Kundalini.

Aos que adoram o Deus Matéria e vivem no ateísmo materialista, estes não podem ser ajudados por pela Mãe adorada. Necessitamos lidar sabiamente com a Matéria, mas visando a integração com o Espírito. Do Espírito e da Matéria surge o Filho do Homem. O Filho do Homem é o resultado da sábia integração da Luz e das Trevas.
Imensas multidões descendem os estreitos labirintos que conduzem ao centro do mundo, mas como João, temos de baixar a Nona Esfera, para que sejamos purificados pela Água e pelo Fogo.

Sem o Fogo, sem a Água, e sem a Bendita Mãe, estaríamos perdidos. A Mãe bendita nos conduz ao Abismo para que nos purifiquemos, e logo nos guia até o Cristo.
Maria, o Fogo do Terceiro Logos em nós, é a única que pode conduzir-nos até o centro do mundo e fazer-nos ressugir à superfície. Todos aqueles que baixam até a Fornalha de Vulcano e esquecem de sua Mãe Bendita, caem na perdição do Abismo. Estes rumam para a Segunda Morte.

"O Cristo Íntimo efectuou o Seu mandato no coração dos Adeptos que descem ao tenebroso Reino de Plutão para trabalhar na Grande Obra.
Quando os Adeptos descem ao «Tártarus» afastam-se do Cristo Íntimo e sofrem o indizível.
Pistis Sophia clama pela Luz quando se encontra no «Averno».
A Luz cumpre, sempre, o seu mandato no Caos.
Os «Mensageiros» são as Partes Superiores do Ser que visitam o Adepto no Averno para instruí-lo.
Obviamente, a cada subida antecede uma descida e a toda a exaltação mística precede uma espantosa e terrível humilhação.
Ninguém pode subir sem antes ter experimentado o incómodo de descer.
O Mistério do Nome Secreto de cada um de nós é terrivelmente divino.
Dentro de nós existem matérias abomináveis, algumas vezes heróicas e bondosas, com muitos méritos, porém, que nunca poderão purificar-se e que, por isso, devem desintegrar-se no Abismo.
O Iniciado no Averno, carregado de Pistis Sophia, canta louvores à Luz e os seus arrependimentos ascendem até ao Pai.
A Luz deve inundar os Trabalhadores da Grande Obra que sofrem no Reino tenebroso de Plutão.
Que o poder da Luz chegue até ao Caos para bem dos Sábios que trabalham na Super-Obscuridade Augusta dos grandes Mistérios.
Que os terrores do Abismo não confundam os Sábios, é o nosso anelo.
São multifacetados os terrores dos Mundos Infernos, dentro das entranhas da Terra.
As diversas Partes Autónomas e Auto-Conscientes do nosso próprio Ser devem auxiliar os Adeptos.
Budhi, a Beatriz de Dante, a Bela Helena de Tróia, a Alma-Espírito, deve auxiliar o Adepto.
Ditoso o Adepto que é auxiliado pela sua Walquíria.
Bem-Aventurado o Adepto que é auxiliado por Ginebra, a Rainha dos Jinas, Aquela que serviu o Vinho a Lancelote entre as taças de Sukra e de Manti.
O «Vinho» da Sexualidade Transcendente resplandecendo no Cálice de todas as delícias.
" - Pistis Sophia Desvelada, Samael Aun Weor.

29/09/13