CLXV
Textos sobre Metafísica
Percepções Clarividentes


Todas as pessoas são mais ou menos clarividentes, tem algo de telepatia, de intuição, e de tantos dons que são naturais ao ser humano.

A Questão é que estes dons tem de ser exercidos, tem de ser desenvolvidos, e a maioria das pessoas está muito ocupada com outras coisas. Tem outras prioridades.

Tudo na vida é uma questão de prioridade, não temos claro como fazer tudo, e algumas coisas são incompatíveis com as outras, esta é a verdade.


A Clarividência depende de uma imaginação de tipo consciente, não fantasiosa, capaz de perceber as influências ocultas e logo projetar por meio dos sentidos de uma pessoa.

Claro que a Clarividência que todos imaginam é ver como que pelos olhos físicos as regiões internas da natureza, e realmente isto é o que inevitavelmente acontece, quando temos um pleno equilíbrio e este dom totalmente desenvolvido.


Mas muitas pessoas vêem vultos, percebem que um ambiente está denso, diferente de outro. Sentem que alguém pensa nele, que lhe emana sentimentos, pensamentos.
Isto ocorre muito, realmente muito.

Algumas pessoas sentem que há algo errado e simplesmente ignoram escutando uma música, vendo televisão, com qualquer atividade que lhe tire este peso.

A Verdade é que atrofiam mais e mais estes sentidos ocultos.

Perceber as forças divinas ou perceber influências negativas é necessário.
Saber que estamos sendo ajudados, fazer a nossa parte é essencial para que tenhamos resultados em nossas práticas.

Nos proteger de influências negativas, eliminar focos de doença e de mal estares, é indispensável.


Mas precisamos ser capazes de identificar e realmente perceber com nossos sentidos ocultos tais influências.


Uma noite destas questionava ao Mestre Samael, desde o mundo astral, a respeito destas percepções que tem as pessoas, e porque percebíamos algumas vezes sua existência e não sua origem.

A Resposta do Mestre foi que quem tivesse a capacidade de perceber tais influências, que deveria investigar com toda sua força a origem e buscar integrar-se caso seja algo divino, ou eliminar sua influência, caso seja algo negativo, exatamente como um exercício para seus dons ocultos.

E Realmente fazendo uma reflexão nas palavras do Mestre, se há algum tipo de percepção oculta, e buscamos realmente seguir esta linha magnética de influências, vamos exercitando este dom que já se mostra latente. Neste esforço vamos ter de trabalhar com uma série de virtudes e ao mesmo tempo eliminar uma série de debilidades que nos impedem esta percepção plenamente consciente.


Se aprendemos a fazer isto corretamente no mundo físico, se exercemos esta capacidade no físico, quando isto ocorra nos mundos internos será algo excepcionalmente surpreendente, porque deste esforço por encontrar as origens, vamos realmente exercer esta Divina Clarividência, desde as regiões internas da natureza.

As pessoas estão acostumadas a viver teorizando e a jurar coisas que jamais viram. É mister despertar a clarividência para ver as grandes realidades internas. O chakra frontal é o Trono da Mente. Quando o estudo e a clarividência marcham de modo equilibrado e harmonioso, então entramos de fato no Templo do Verdadeiro Saber. Muitos afirmam o que leram, repetem luzes emprestadas. Esse tipo de gente pensa saber, porém jamais viu o que leu e segue repetindo como papagaio, isso é tudo. Essa gente não sabe nada. Trata-se de gente ignorante. São ignorantes ilustrados. Para saber, tem-se que primeiro ser. A clarividência é o olho do ser. O ser e o saber devem marchar equilibrados e paralelamente. Aqueles que leram muito ocultismo sentem-se sábios. Se essas pobres pessoas não viram o que leram, podemos com certeza dizer que não sabem absolutamente nada. No mundo há videntes de todos os tipos. O verdadeiro clarividente não anda dizendo que é tal.
– O Matrimônio Perfeito, Cap. 7 - Samael Aun Weor

06/10/13